Esta leitura, surge no âmbito da leitura conjunta realizada no blogue destante.

Opinião:
As Serviçais, é um romance de Kathryn Stockett que nos dá a conhecer os anos 60 no Mississípi.
As relações entre brancos/negros, empregadas/patroa… relações de amor, ódio, amizade, indiferença.
A história é contada através de 3 narradores – Skeeter, Aibileen e Minny.
Skeeter é uma jovem branca que abomina todas as injustiças praticadas para com as pessoas de cor. Penso que Kathryn Stockett será a própria Skeeter, uma vez como a própria autora nos diz: “Posso dizer com certeza que ninguém na minha família alguma vez perguntou a Demitrie como era ser negra no Mississípi e trabalhar para a nossa família branca (…) Desejei durante muitos anos, ter sido suficientemente crescida e atenciosa para lhe fazer esta pergunta. Ela morreu quando eu tinha 16 anos. Passei anos a imaginar qual seria a sua resposta. Foi por isso que escrevi este livro” O livro será portanto uma homenagem a todo o povo negro vítima de racismo do qual a autora esteve perto e vivenciou as suas angustias e tristezas.
Aibileen e Minny são duas empregadas negras que trabalham para famílias brancas em Jackson. Através destas personagens, damos conta da indiferença, racismo e injustiças de que são vítimas por parte dos brancos.
Estas três mulheres juntam-se com o objectivo de escrever um livro que denunciará as injustiças de que são alvo. Tendo conhecimento que correm risco de vida com a publicação do livro, nada as detém. Pois viver no Mississípi numa altura em que a segregação racial é uma constante, já é por si só um grande desafio para a vida.
Esta foi uma leitura bastante agradável, uma história consistente na qual são explorados factos históricos, uma linguagem simples mas não simplista e que consegue chegar ao coração de quem lê. É uma narrativa que não deixa o leitor indiferente, no entanto senti que faltava algo para agarrar o leitor à história.

Sinopse:
Skeeter tem vinte e dois anos e acabou de regressar da universidade a Jackson, Mississippi. Mas estamos em 1962, e a sua mãe só irá descansar quando a filha tiver uma aliança no dedo.
Aibileen é uma criada negra, uma mulher sábia que viu crescer dezassete crianças. Quando o seu próprio filho morre num acidente, algo se quebra dentro dela. Minny, a melhor amiga de Aibileen, é provavelmente a mulher com a língua mais afiada do Mississippi. Cozinha divinamente, mas tem sérias dificuldades em manter o emprego… até ao momento em que encontra uma senhora nova na cidade.
Estas três personagens extraordinárias irão cruzar-se e iniciar um projecto que mudará a sua cidade e as vidas de todas as mulheres, criadas e senhoras, que habitam Jackson. São as suas vozes que nos contam esta história inesquecível cheia de humor, esperança e tristeza.
Uma história que conquistou a América e está a conquistar o mundo.

Sobre a autora
O nome de Kathryn Stockett foi catapultado para a fama com o seu romance de estreia, As Serviçais, sobre a segregação racial na América sulista, na década de sessenta, e já é considerada a obra que maior sucesso conquistou nos últimos anos nos EUA. Natural do Mississippi, a autora formou-se na Universidade do Alabama e vive atualmente em Atlanta, após ter trabalhado durante alguns anos em Nova Iorque, em edição de revistas.

2 comentários:

    Ando atrás deste livro há uns meses, a ver se me animo de uma vez:) Li comentários sobre ele no 45 days book challenge e são unânimes!

     

    Antes deste ainda quero ler "por favor não matem a cotovia", de Harper Lee. Já li algures que abordam o mesmo tema.
    É verdade, reparei que já não dás conotação às tuas opiniões... Alguma razão em especial?

     

Blogger Templates by Blog Forum