Os médicos nem sempre curam, às vezes matam

Sinopse:
Célebre pelos seus avanços na medicina, o hospital universitário de Boston tem diversas «salas de operações híbridas do futuro». Os tratamentos são mais bem-sucedidos e os riscos muito reduzidos. É por isso um choque quando um erro de anestesia durante uma operação de rotina resulta na morte do paciente. O Dr. Noah suspeita de William Mason, um cirurgião de renome internacional, narcisista e snobe. Mas Mason põe todas as culpas na anestesista Ava London.

Quando começam a surgir mais mortes associadas a erros nas anestesias, Noah é obrigado a investigar todo o seu pessoal médico, incluindo Ava, que pode muito bem não ser quem parecia ser. Mas, sobretudo, é preciso descobrir o culpado antes que mais mortes sucedam.


Críticas:
«Agarra-nos... aterrador.»
New York Times

«Patologistas forenses e médicos que se transformam em detetives para lutar contra epidemias, doenças fatais e mortes ligadas a medicamentos, cujas causa estão longe de ser naturais... o leitor vai ficar completamente agarrado.»
Daily Mail

«Oferece aos leitores uma dissecação inteligente de questões contemporâneas que nos afetam a todos.»
USA Today

«Robin Cook inventou literalmente o thriller médico nos anos 70 com Coma.»
Guardian

Sinopse:
A biografia ilustrada que faltava de uma das maiores campeãs do nosso atletismo.

Aurora Cunha é um dos nomes incontornáveis do desporto português.

Campeã em várias provas mundiais, nasceu no Norte do País e daí se mostrou ao mundo.

Retirada há anos das competições, tem tido um percurso posterior de grande empenho nas causas sociais e desportivas.


Críticas:
«Os portugueses reconhecem o seu inestimável contributo e agradecem-lho. Também por isso mesmo aqui estou para lhe testemunhar essa gratidão. Que é do cidadão. Mas é, também e sobretudo, do Presidente da República, em nome de Portugal.»
Marcelo Rebelo de Sousa

«Oportuna é, pois, esta homenagem a Aurora Cunha, à sua vida, motivações e propósitos, acção e resultados, porque poderá constituir um apelo, sobretudo aos mais jovens, para que nela encontrem motivação e inspiração.»
António Ramalho Eanes


Sinopse:
O detetive Harry Bosch acaba de se reformar da LAPD, mas o seu meio-irmão, o advogado de defesa Mickey Haller, precisa da sua ajuda. Uma mulher foi brutalmente assassinada, o corpo encontrado na cama, e todas as provas apontam para o cliente de Haller, antigo membro de um gang de Los Angeles que diz há muito ter abandonado o mundo do crime. Embora a acusação de homicídio pareça perfeita, Mickey tem a certeza de que se trata de uma armadilha.

Bosch não quer atravessar a linha que opõe as forças de segurança à defesa de um criminoso. Sente que tal seria trair uma carreira lendária de trinta anos como detetive na Brigada de Homícidios. Mas Mickey garante não comprometer o seu trabalho: se Harry provar que o seu cliente é culpado, então a prova será entregue à acusação.

Desafiando todos os seus instintos, Bosch aceita o caso. A investigação tem, pura e simplesmente, demasiadas lacunas. Se o cliente de Haller é inocente, quem será o culpado? Todos os caminhos vão dar ao interior do Departamento da Polícia – e o assassino que Harry Bosch procura também o tem estado a procurar a ele.

Este mês, com o apoio da nossa querida Editorial Presença, temos um exemplar de "A Carrugem dos órfãos" de Pam Jenoff que irá a passatempo entre todos os que comentarem todas as segundas feiras durante este mês!




A Carruagem dos Órfãos é um romance poderoso sobre a amizade, tendo como pano de fundo um circo durante a Segunda Guerra Mundial. 

Duas mulheres extraordinárias e as suas histórias angustiantes, de sacrifício e sobrevivência.

Noa, de 16 anos, fica grávida de um soldado do exército nazi e é forçada a desistir do seu bebé recém-nascido. Vive no piso superior de uma pequena estação ferroviária, a troco de limpezas... Quando descobre dezenas de crianças judias amontoadas num vagão cujo destino é um campo de concentração, ela não consegue deixar de pensar no filho que lhe foi retirado.

E, num momento que mudará a sua vida para sempre, agarra numa das crianças e foge com ela pela noite fora sob um forte nevão. Acaba por encontrar refúgio num circo alemão, onde tem de aprender números de trapézio para poder passar despercebida, não obstante o azedume de Astrid, a trapezista principal. A princípio rivais, Noa e Astrid em breve criam poderosos laços de afecto entre si. Mas como a fachada que as protege se torna cada vez mais ténue, elas têm de decidir se a amizade entre ambas é suficiente para se salvarem uma à outra - ou se os segredos que guardam deitarão tudo por terra.

Uma extraordinária obra visual e credível, bestseller do New York Times.

Regras da rubrica:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
O envio dos livros é feito apenas para Portugal Continental e Ilhas.


Por aqui estamos a ler...


E vocês o que andam a ler??



Um mês fantástico para todos!!!!

Sinopse:
«O romance A Alegria de Ser Miserável explora a vida de um homem de  feitio rude, que despreza o seu contexto social e a necessidade de relação com os outros. «Se alegria houvesse, e festa se anunciasse  para a celebrar, Zé era convocado por carta, para não contaminar contentamentos». Porém, sofre uma embolia que lhe retira «a capacidade  de sentir tristeza», ficando «impossibilitado de ficar deprimido», perdendo «competências em ser miserável». A sua irmã Alma da  Encarnação, que «teria muito para fazer nesta vida e noutras, quem sabe, que no nome para lá tinha atalho», é uma personagem secundária  que, num inesperado jogo de perspetivas, desenvolve uma singular densidade arquitetónica. O protagonista, Zé da Paixão, experimenta  várias profissões irrelacionáveis, numa vida que é conduzida pelo acaso, e vem a conhecer uma mulher por quem sente uma fixação  inconsequente. Num exercício literário que ultrapassa as habituais técnicas narrativas, a autora faz o seu personagem central assumir a  coragem de sobrepor a vontade à oportunidade, conduzindo-o pelas suas teias mentais, dando uso a recursos narrativos atípicos. E à medida  que a leitura se faz deixamos de ter a certeza se se trata na verdade de uma história de amor. É uma escrita leve, mas com subtis sinais de  seriedade embutidos num intuitivo e engenhoso sentido de humor. Rute Simões Ribeiro expõe uma narrativa nova, destacando-se dela própria e  ilimitando-se numa escrita, uma vez mais, sem grilhos e sem condicionantes.


Opinião:
O protagonista desta obra é Zé da Paixão, personagem “castiça” que vive num despreendimento absoluto, sem a preocupação de agradar seja quem for (por vezes um pouco frio, que pode ser interpretado como desprezo, mas não é essa a sua intenção), sem pensar no dia de amanha, como se vivesse num mundo paralelo ao nosso. Durante a obra vamos ouvindo e descobrindo as suas ideias… sim, entenderam bem… as ideias que lhe vão na alma… e as ideias que conversam umas com as outras… siiiim… o que lhe vai dentro da sua cabeça… do seu cérebro. E o que vemos por “dentro”, demonstra o que o Zé é por fora… uma pessoa simples (de complicada nada tem), mas não julguem que de tão simples, despreocupado e até um pouco frio com as pessoas com que se cruza, nas suas ideias ele não é assim tão despreocupado como parece. Na primeira profissão em que o conhecemos (um pouco estranha até), ele despedia pessoas, e para isso ele “pesquisava” a vida delas e fazia com que fossem elas a despedir-se e partissem para uma profissão que lhes desse prazer e as fizesse felizes. Na realidade ele fazia um dos maiores bens que se pode dar a alguém, enveredar pela profissão que as pode sustentar e fazer feliz. Foi assim que conheceu a paixão da sua vida, uma paixão de carne e osso, e foi assim que essa paixão seguiu a sua verdadeira paixão. Confusos?? Até parece um pouco, mas quando pegarem e devorarem por simples impulso esta obra, já não o vão achar, nem no dia em que o Zé deixa de sentir tristeza e tudo para ele é uma alegria.

O “Ensaio sobre o Dever (Ou a Manifestação da Vontade)”, é a primeira obra publicada desta autora, foi uma obra que devorei e adorei até à última página. Foi uma obra que me deixou curiosa pela chegada da próxima. Pensei cá com as “minhas ideias” que dificilmente Rute Ribeiro pudesse ultrapassar o quanto foi maravilhosa, tanto na forma de escrever, como na imaginação de todo o enredo… não podia estar mais enganada. Quanto à escrita, se eu não soubesse de quem era esta obra, depressa chegava lá (pois tem uma escrita diferente e muito própria), quanto à imaginação…. a autora tem tal como Zé da Paixão “as ideias” sempre a fervilhar, uma imaginação soberba, que trás para o enredo situações que dificilmente alguém se lembraria, e é isso que tanto me agrada e me agarra da primeira à última página.


Disponível na Amazon em versão impressa e ebook aqui.
Podem ler a minha opinião da obra “Ensaio sobre o Dever (Ou a Manifestação da Vontade)” aqui.
aqui a participação da autora na nossa rubrica ““O Livro” aquele que para mim é único”.

Este mês, com o apoio da nossa querida Editorial Presença, temos um exemplar de "A Carrugem dos órfãos" de Pam Jenoff que irá a passatempo entre todos os que comentarem todas as segundas feiras durante este mês!




A Carruagem dos Órfãos é um romance poderoso sobre a amizade, tendo como pano de fundo um circo durante a Segunda Guerra Mundial. 

Duas mulheres extraordinárias e as suas histórias angustiantes, de sacrifício e sobrevivência.

Noa, de 16 anos, fica grávida de um soldado do exército nazi e é forçada a desistir do seu bebé recém-nascido. Vive no piso superior de uma pequena estação ferroviária, a troco de limpezas... Quando descobre dezenas de crianças judias amontoadas num vagão cujo destino é um campo de concentração, ela não consegue deixar de pensar no filho que lhe foi retirado.

E, num momento que mudará a sua vida para sempre, agarra numa das crianças e foge com ela pela noite fora sob um forte nevão. Acaba por encontrar refúgio num circo alemão, onde tem de aprender números de trapézio para poder passar despercebida, não obstante o azedume de Astrid, a trapezista principal. A princípio rivais, Noa e Astrid em breve criam poderosos laços de afecto entre si. Mas como a fachada que as protege se torna cada vez mais ténue, elas têm de decidir se a amizade entre ambas é suficiente para se salvarem uma à outra - ou se os segredos que guardam deitarão tudo por terra.

Uma extraordinária obra visual e credível, bestseller do New York Times.

Regras da rubrica:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
O envio dos livros é feito apenas para Portugal Continental e Ilhas.



Por aqui estamos a ler...


E vocês o que andam a ler??



Um mês fantástico para todos!!!!


Maria quer ser sua amiga... Mas Maria morreu... Não morreu?

Sinopse:
Um pedido de amizade no Facebook…
É a coisa mais normal do mundo. Certo?

Maria Weston morreu durante a sua festa de finalistas do liceu. Era uma rapariga irreverente, autêntica e tinha a vida pela frente… O corpo nunca foi encontrado. Portanto, quando Louise Williams, 25 anos depois, recebe o seu pedido de amizade no Facebook, entra em pânico.

Depois do pedido, começam a chegar as mensagens. Inicialmente, parecem inofensivas. Memórias de um passado que Louise não quer relembrar, mas apenas isso.

Depois, começam a ser cada vez mais detalhadas, e as recordações aproximam-se perigosamente de um segredo que nunca deverá ser revelado. Louise nem imagina o que aconteceria se todos soubessem o que realmente aconteceu a Maria.

Mas, afinal, é apenas o Facebook, certo?
Mesmo quando Louise sente alguém a segui-la no metro. É tudo virtual, não é?
Até quando há objetos a desaparecer de casa. O que se passa nas redes sociais não é a vida real, certo?

Certo?


Críticas:
«Cheio de suspense. Marshall tem um talento para saltar entre o presente e o passado de uma forma que agarra o leitor.»
Publishers Weekly


Sinopse:
Em tempos, realizavam-se oferendas humanas em pântanos. Agora, há pessoas a desaparecer…

Antigamente os pântanos eram usados como locais onde se realizavam sacrifícios humanos. Por serem pobres em oxigénio, estes terrenos atrasavam o processo de decomposição dos corpos, levando à sua preservação. Há por isso quem acredite que as almas lá enterradas não conseguem encontrar descanso, atraindo até si novas vítimas.

Nathalie Nordström é uma jovem bióloga que se desloca até a um pântano no norte da Suécia para realizar uma experiência de campo. Nathalie cresceu naquela zona, mas partiu quando uma terrível tragédia se abateu sobre a sua família.

Numa noite de tempestade, um mau pressentimento leva-a até ao pântano. Lá encontra um homem inconsciente, prestes a afundar-se. A polícia começa a investigar o caso e acaba por encontrar cadáveres ali enterrados.

Estará o pântano a reclamar mais sacrifícios, como alguns habitantes locais acreditam?


Críticas:
«Com uma atmosfera apaixonante e habilmente construída, O Pântano dos Sacrifícios é sem dúvida uma das melhores e mais completas estreias literárias que irá ler.»
Dagens Nyheter (maior jornal matutino da Suécia)




A outra mente brilhante por detrás da Teoria da Relatividade

Sinopse:
Um romance fascinante sobre a mulher extraordinária que casou e trabalhou com um dos maiores cientistas da História.

Em 1896, Mileva Maric, uma mulher extremamente inteligente, é a única estudante do sexo feminino a frequentar o curso de Física numa universidade de elite em Zurique. É aí que se apaixona pelo colega Albert Einstein, com quem acaba por casar e ter três filhos. Apesar da total dedicação aos filhos, Mileva nunca abandona a sua paixão pela ciência, trabalhando em conjunto com o marido e contribuindo para estudos científicos tão importantes como a Teoria da Relatividade.

Contudo, por nunca ter concluído a licenciatura, todo o mérito dos artigos que escreve com o marido é-lhe atribuído a ele. À medida que a fama de Albert Einstein aumenta, cresce também o receio de Mileva de que as suas próprias ideias científicas permaneçam para sempre sob a sombra do marido, com quem mantém uma relação cada vez mais conturbada.

A Mulher de Einstein é um romance, inspirado em factos reais, que relata a história da primeira mulher de Einstein, uma cientista brilhante cuja contribuição para a Teoria da Relatividade continua a ser altamente debatida.


Críticas:
«Um intrigante romance sobre uma das mais fortes parcerias intelectuais do século XIX.»
Kirkus Reviews

«Muitos irão gostar das opiniões feministas de Benedict e ficarão fascinados pela vida de uma mulher quase desconhecida.»
RT Book Reviews

«Um romance histórico intimista e envolvente… Prepare-se para se comover.»
Library Journal

«Um retrato histórico magnífico.»
Publishers Weekly


Sinopse:
Imagine que conhece um homem e se apaixona loucamente. E é recíproco. São almas gémeas. E um dia ele desaparece sem deixar rasto.
É o que acontece a Sarah. O seu primeiro encontro com Eddie é acidental mas tão intenso que não voltam a separar-se durante sete dias. São dias mágicos em que partilham tudo e se dão a conhecer sem reservas. Sabem que o que sentem um pelo outro é profundo e verdadeiro. Até que ele parte numa viagem breve. Promete telefonar. Mas não telefona. Nunca mais.
Passam-se semanas, meses… e a preocupação de Sarah intensifica-se. Não acredita nos amigos, que tentam convencê-la a esquecê-lo. Afinal, dizem, ela não é a primeira pessoa (nem a última) a ser ignorada por um amante. O melhor, garantem, é seguir em frente e não pensar mais no assunto. Mas ela não é capaz. Pois sabe – e sabe, com toda a certeza – que algo de terrível aconteceu.
E um dia descobre que, afinal, tinha razão.


Ken Follett
Ken Follett nasceu a 5 de Junho de 1949 no Reino Unido, é um dos mais notáveis autores da atualidade. Dos seus trinta e um livros, publicados em mais de 80 países, já foram vendidos mais de 150 milhões de exemplares. O seu primeiro êxito foi Eye of the Needle, ao qual se seguiu Triplo.

Depois do prestígio alcançado como autor de thrillers, o mais inesperado e retumbante êxito chegaria com a epopeia medieval Os Pilares da Terra (1989) - as sucessivas edições deste título motivaram Follett a escrever a sequela Um Mundo sem Fim (2008), tornando-se ambas obras de culto, e mais recentemente o magnífico e arrebatador romance Uma Coluna de Fogo (2017), marcando assim o regresso à saga dedicada ao ciclo de Kingsbridge.

Ken Follett arrebatou em definitivo a crítica e o público com a trilogia O Século - uma dramática retrospetiva do século XX e, sem dúvida, um dos seus projetos mais grandiosos e aplaudidos.

Noite Sobre as Águas junta-se a outros títulos do autor publicados pela Presença, entre os quais: 
- O Vale dos Cinco Leões;
- A Chave para Rebecca;
Uma Terra Chamada Liberdade;
O Homem de São Petersburgo;
Uma Fortuna Perigosa;
A Ameaça;
O Voo das Águias;
Voo Final;
Os Filhos do Éden;
O Escândalo Modigliani;
Contagem Decrescente;
- Nome de Código: Leoparda.



E um novo mês começa e por aqui temos novo livro!!!
Desta feita um exemplar de "A Carrugem dos órfãos" de Pam Jenoff que irá a passatempo entre todos os que comentarem todas as segundas feiras durante este mês!





A Carruagem dos Órfãos é um romance poderoso sobre a amizade, tendo como pano de fundo um circo durante a Segunda Guerra Mundial. 

Duas mulheres extraordinárias e as suas histórias angustiantes, de sacrifício e sobrevivência.

Noa, de 16 anos, fica grávida de um soldado do exército nazi e é forçada a desistir do seu bebé recém-nascido. Vive no piso superior de uma pequena estação ferroviária, a troco de limpezas... Quando descobre dezenas de crianças judias amontoadas num vagão cujo destino é um campo de concentração, ela não consegue deixar de pensar no filho que lhe foi retirado.

E, num momento que mudará a sua vida para sempre, agarra numa das crianças e foge com ela pela noite fora sob um forte nevão. 

Acaba por encontrar refúgio num circo alemão, onde tem de aprender números de trapézio para poder passar despercebida, não obstante o azedume de Astrid, a trapezista principal. A princípio rivais, Noa e Astrid em breve criam poderosos laços de afecto entre si. Mas como a fachada que as protege se torna cada vez mais ténue, elas têm de decidir se a amizade entre ambas é suficiente para se salvarem uma à outra - ou se os segredos que guardam deitarão tudo por terra.

Uma extraordinária obra visual e credível, bestseller do New York Times.

Regras da rubrica:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
O envio dos livros é feito apenas para Portugal Continental e Ilhas.

E chegou o tão aguardado momento de revelar o vencedor do passatempo de Maio!!!

O vencedor é...

Bela



Parabéns Bela, tens agora a partir de hoje 30 dias para enviar os teus dados para o mail do blogue:
ligialeituras@gmail.com

Parabéns!!!!!

Por aqui estamos a ler...


E vocês o que andam a ler??

Que Junho seja um mês fantástico para todos!!!!


Sinopse:
Num contexto de ódio e violência, A  Irmandade Hiramic: a Profecia do Templo de Ezequiel aprofunda a questão da limpeza étnica de palestinianos de Israel e aborda os crimes racistas contra a humanidade no Médio Oriente.

O romance segue o jornalista Conrad Banner,  influenciado pelo seu pai, Mark - um autor e correspondente estrangeiro com inúmeros prémios de jornalismo pela cobertura do Médio Oriente - que tem a intenção de filmar um documentário fatualmente imparcial acerca do conflito resultante de quase setenta anos de ocupação ilegal e muitas vezes bárbara. O ódio e a violência também foram provocados principalmente pela limpeza étnica da população indígena palestiniana por Israel, cujos crimes contra a humanidade estavam a ser retratados de uma forma de propaganda conhecida como hasbara, ou ”explicação”. Essa propaganda foi dirigida a uma audiência internacional para retratar as ações e políticas controversas de Israel - passado e presente -  numa luz positiva, proporcionando um retrato negativo dos árabes em geral, e os palestinianos em particular. Juntamente com o ativista judeu Adam Peltz e o guia palestiniano Sami Hadawi, os esforços de Banner são indesejáveis e muitas vezes culminam em consequências perigosas e, em última análise, fatais. O romance é motivado pela flagrante negação de direitos humanos básicos de Israel a milhões de palestinianos, incluindo crianças cuja perseguição sem fim é tolerada hipocritamente pelo duplo padrão das chamadas democracias ocidentais. Explorando os temas da cultura, racismo, religião e violência, Hanna traz a primeira história convincente de luta e divisão.

Para mais informações vir aqui.


Sinopse:
Anna e Marina não se veem há muitos, muitos anos. Inseparáveis durante a infância nas praias ensolaradas de Maiorca, afastaram-se cada vez mais.

Anna, a irmã mais velha, loira e delicada, permaneceu na ilha, presa num casamento infeliz; Marina, a maria-rapaz da família, fez do mundo a sua casa e vive onde a leva o seu trabalho na Médicos sem Fronteiras.

Quando descobrem que herdaram um moinho com uma padaria, as duas irmãs mal podem esperar para se livrar dele e continuar com as suas vidas. Mas, no momento da assinatura do contrato de venda do imóvel, Marina volta atrás. As circunstâncias e motivações por detrás da doação são demasiado misteriosas para serem ignoradas: quem era María Dolores? Que tipo de ligação tinha com elas essa mulher?

Graças à padaria e às antigas receitas familiares, Marina, Anna e a sua filha Anita encontrarão força para perdoar os erros do passado e enfrentar o difícil futuro que as aguarda.

Uma Herança de Amor é um romance sobre a amizade feminina, segredos e coragem, na paisagem encantada de Maiorca.


Opinião:
Anna e Marina, duas irmãs de personalidades e aspeto físico totalmente diferentes são inseparáveis durante a infância, mas durante 14 anos afastaram-se cada vez mais. Ao herdarem um moinho com uma padaria de uma pessoa para elas desconhecida, vão-se reencontrar. Embora de início apenas pensassem em se desfazer dele, no último momento Marina volta atrás, pois a curiosidade de saber o motivo pelo qual uma total desconhecida lhes deixou tal herança, vence.
A pouco a pouco Marina faz novas amizades, retoma a amizade e a ligação que tinha com a irmã. Claro que nem tudo são Rosas, e vamos lidando com os problemas de uma relação entre homem e mulher, os problemas pelo qual se passa para a adoção de uma criança, com as descobertas de uma adolescente, a forma de se lidar com um cancro, entre várias situações que a qualquer um de nós pode acontecer.
A aldeia Valdemossa (a onde se encontra o moinho) é uma daquelas aldeias em que toda a gente gostava de morar, porque embora todos saibam da vida de uns dos outros, todos se dão bem, querem o bem dos outros, preocupam-se e  entreajudam-se.
A descrição das paisagens são maravilhosas, dá vontade de tirar umas férias e passar lá umas semanas valente.
Para além da forma ternurenta da autora de escrever e descrever todo este romance (sim, para mim a forma de descrever a amizade e o amor entre as personagens desta forma, tem uma escrita “ternurenta” e bela), também tiramos “mensagens” super importantes. É quase como um conto infantil em que no fim a criança aprende que as boas acções são a melhor opção e os bons vencem sempre.
Aqui o que para mim se tira de mais essencial, é que nunca devemos desistir do que nos dá prazer e dos nossos sonhos. Mesmo que todos nos digam que esse não é o caminho, e por vezes se ter de nadar contra a corrente e mesmo que no fim nos demos mal, daí tiramos algo que nos marcou e ensinou. Mas também muitas das vezes nadar contra a corrente não quer dizer que o fim vá ser trágico, muitas vezes faz-nos alcançar o que nos faz feliz. Também nos ensina que nunca é tarde para recomeçar, nunca somos demasiado velhos para tentar uma vida nova. Ensina-nos que não nos devemos acomodar, só porque é mais seguro, se o que temos nos faz infeliz, devemos sair da nossa zona de conforto e devemos lutar pelo que desejamos. Por vezes o que nos parece estranho, se olharmos duas vezes compreendemos que lá por ser estranho e absurdo para nós, para outra pessoa pode ser o que a faz sentir bem e a faz feliz, e não a devemos condenar/criticar, só porque nós não vemos as “coisas” dessa forma.
Adorei todas estas mensagens. Eu sei que a toda a hora ouvimos este tipo de “coisas”, mas nunca é de mais vê-las criadas nas personagens de um livro.

 Para mais informações procurar aqui.




Sinopse:
Escrito com o habitual tom direto e visceral do autor, Fabián e o Caos é a história da amizade improvável entre dois párias da revolução cubana.

Num um momento de turbulência política em Cuba, o acaso une dois rapazes que aparentemente não tem nada em comum. Pedro Juan é um sedutor insolente que leva uma vida caótica. Fabián, ao contrário, é um pianista recluso, frágil, medroso e homossexual. Apesar das diferenças, ambos possuem condutas que não se ajustam aos princípios ideológicos do novo governo cubano.

Anos mais tarde, os seus caminhos voltam a cruzar-se quando os dois são conduzidos a uma fábrica de enlatados onde trabalham os párias da sociedade revolucionária, mas a forma como cada um irá encarar essa situação hostil fará com que as suas vidas tomem rumos opostos.

Um romance repleto de sexo e de vida, que é uma nova prova do arrebatador talento dessa espécie de Bukowski caribenho que é Pedro Juan Gutiérrez.


Este mês, com o apoio da Marcador, temos para oferecer, em sorteio, "Uma Herança de Amor" de Cristina Campos.
Para participarem, basta que comentem na rubrica o livro que estão a ler... 
Leiam as regras!


Regras da rubrica:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
O envio dos livros é feito apenas para Portugal Continental e Ilhas.




Sinopse:

Anna e Marina não se veem há muitos, muitos anos. Inseparáveis durante a infância nas praias ensolaradas de Maiorca, afastaram-se cada vez mais.

Anna, a irmã mais velha, loira e delicada, permaneceu na ilha, presa num casamento infeliz; Marina, a maria-rapaz da família, fez do mundo a sua casa e vive onde a leva o seu trabalho na Médicos sem Fronteiras. 
Quando descobrem que herdaram um moinho com uma padaria, as duas irmãs mal podem esperar para se livrar dele e continuar com as suas vidas. Mas, no momento da assinatura do contrato de venda do imóvel, Marina volta atrás. As circunstâncias e motivações por detrás da doação são demasiado misteriosas para serem ignoradas: quem era María Dolores? Que tipo de ligação tinha com elas essa mulher? Graças à padaria e às antigas receitas familiares, Marina, Anna e a sua filha Anita encontrarão força para perdoar os erros do passado e enfrentar o difícil futuro que as aguarda.

Uma Herança de Amor é um romance sobre a amizade feminina, segredos e coragem, na paisagem encantada de Maiorca.

Por aqui estamos a ler...





E vocês, o que andam a ler??

Blogger Templates by Blog Forum