Este mês, como muitos de vocês já sabem, com o apoio da Editorial Presença, temos para oferecer (em sorteio) um exemplar do livro "O Miniaturista" de Jessie Burton aos participantes da rubrica.


Relembrando as regras para a atribuição do livro:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
A partir de 2015, o envio dos livros são feitos apenas para Portugal Continental e Ilhas.


Esta semana, nós continuamos a ler "Alguns Preferem as Urtigas" Junichiro Tanizaki para a nossa leitura conjunta aqui no blogue.



Que leituras andam vocês a fazer?

Leituras...

Neste Domingo...


Read Much

Foda-se

Luís Miguel Rocha, autor mundialmente reconhecido, faleceu nesta quinta-feira em Viana do Castelo, vítima de doença prolongada. Tinha apenas 39 anos. 


Um abraço, Luís.

Por norma, costumamos comunicar o vencedor de alguns prémios importantes. Mas, desta vez, por via das dúvidas e caso não ganhe, gostaríamos de destacar a presença de Mia Couto no lote restrito dos dez finalistas.

Dos restantes eleitos, três deles foram publicados em Portugal: César Aira (Assírio & Alvim), Amitav Ghosh (Editorial Presença) e Alain Mabanckou (Europress).



Recentemente vi o filme baseado na obra de Somerset Maugham - O Véu Pintado (leitura esta que adorei e recomendo).



Se fizerem uma pesquisa, o filme está disponível na integra no YouTube.
Aconselho!!

A minha opinião ao livro aqui

Se gostei mais do livro ou do filme?
Eu já li a obra há 3 anos, por isso gostei muito, certamente se o tivesse visto logo após a leitura não ia gostar tanto...
Somerset escreve de forma fenomenal e tudo o que ele consegue incluir na escrita será impossível de passar para a grande tela, no entanto, e como já referi, gostei bastante do filme.


Já muito se falou deste livro que, um dia, a Tinta da China decidiu publicar. Trata-se de um relato que põe a nu uma boa parte dos problemas da sociedade angolana, bem como de todas as outras que com ela se fundem de forma a garantir um enriquecimento fácil e rápido a todos aqueles que não olham a meios para atingir os seus fins.
"Diamantes de Sangue" foi lançado há cerca de quatro anos, depois foi retirado do mercado devido a uma acção judicial e, por fim, recolocado nas livrarias quando a justiça deu razão a Rafael Marques - autor e jornalista - e a Bárbara Bulhosa - editora.
Em Portugal, o tribunal deu razão ao autor. Porém, no dia em que o próprio começou a ser julgado em Angola, a editora resolveu disponibilizar o livro na integra em formato digital: aqui.
Haja coragem para denunciar, haja vontade para ler.



Esta semana, estamos a ler "Alguns Preferem as Urtigas" Junichiro Tanizaki



Este mês, com o apoio da Editorial Presença, temos para oferecer (em sorteio) um exemplar do livro "O Miniaturista" de Jessie Burton aos participantes da rubrica.




Relembrando as regras para a atribuição do livro:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
A partir de 2015, o envio dos livros são feitos apenas para Portugal Continental e Ilhas.

E vocês, que viagens programaram para esta semana?

Orientações...


Sol de infância...

The Sower 
by Vicent Van Gogh


"Uma pessoa só dá valor ao sol da infância quando o perde (...) quando perde o chão que sempre pisou, as mãos que pegaram nela, a casa em que cresceu. Quando parte para sempre, quando forças alheias a empurram e tem a certeza de que nunca voltará"

In Recomeçar, María Dueñas


O Pintassilgo, Donna Tartt

Opinião:
De Donna Tartt li "A História Secreta" e "O Amigo". Em relação à primeira obra, adorei. Esta é, para mim, uma referência, sempre que ouço falar na autora! Em relação à segunda que mencionei, li mas não gostei!
Quanto ao tão aguardado "O Pintassilgo", acho que esta narrativa tinha tudo para ser excelente, se Tartt não lhe tivesse "atribuido" oitocentas e noventa e cinco páginas! Peca pelo tamanho e por dezenas de páginas que, na minha opinião, não têm interesse nem contribuem para o enredo principal!
As primeiras quatrocentas páginas, lemos com grande entusiasmo e avidez. São estas páginas que nos fazem entrar na história e ficar agarrada aos personagens e a querer saber mais sobre eles! Isso é conseguido!
A história começa com uma explosão no Metropolitan Museum of Art em Nova Iorque, no qual o nosso personagem principal (Theo Decker) está com a mãe e onde esta, fatalmente, morre. Sendo, também este, o local onde Decker comete um delito que o manterá preso ao passado (como uma tábua de salvação), Theo, rouba um quadro intitulado "O Pintassilgo" de Carel Fabritius, discípulo Rembradt e mestre de Vermeer. É uma narrativa rica em pormenores, que nos fala de amizade, amor e sobrevivência de uma forma detalhada e cinematográfica...
A escrita de Tartt é MAGNÍFICA, isso ninguém lhe tira, só que Tartt escreve obras enormes e isto às vezes não é uma mais valia, sobretudo quando não acrescenta nada à história, como é o caso (na minha opinião) desta obra. Apesar de Donna Tartt, pecar pela extensão desta narrativa, gostei de reler a autora!


O livro aqui na editora

No dia do pai...uma foto nossa...


Neste dia especial, fica uma foto minha e do meu pai no Zoo de Lisboa por volta de 1980.
(sim, eu pareço um rapaz!)

I
You Dad!



Paula, não achas que o Wembley (sabes o que é, certo?) tem mais estilo quando eu estou a pisar aquela relva?



Espaço mágico...


O vencedor é

Rosária Pereira

Parabéns à vencedora e boas leituras ;)
Opinião: 
Patrick Modiano, com esta obra, deixa-nos um testemunho do que foi a perseguição, as punições e as injustiças contra os judeus em Paris.
Tentando reconstruir o que terão sido os passos de Dora Bruder, (judia) após o seu desaparecimento, Modiano evoca e mostra-nos todo o sofrimento de um povo que foi vítima de uma guerra que maltratou os seus, ao mesmo tempo que nos mostra a forma fria e desumana com que outros acatavam e desempenhavam ordens, matando, ferindo e fazendo desaparecer pessoas inocentes.
Não há muito mais a dizer sobre este livro, a não ser referir que esta é uma obra excelente, digna de ser lida por todos nós!
Em relação à escrita do autor, como sempre, é formidável!

Aconselho!

Sinopse:
Anos atrás, o narrador depara-se com um anúncio publicado no Paris-Soir de 31 de dezembro de 1974: «Procura-se uma rapariga, Dora Bruder, de 15 anos…» Quem era Dora Bruder? Desde esse dia, o destino da jovem judia enredada nas malhas da ocupação nazi nunca mais o largou, obcecado que estava em reconstruir a sua história até aos momentos finais no campo de Auschwitz.


Este livro (como aliás, toda a obra do autor) é assim um combate contra o esquecimento, uma afirmação portentosa dos caminhos redentores da memória – contra tudo aquilo que nos macula e destrói. Com ele, Modiano escreveu porventura a sua melhor obra – e uma das mais notáveis da moderna literatura francesa. 

Como vocês já sabem, este mês a Editorial Presença oferece, em sorteio, aos participantes da rubrica um exemplar do livro O Miniaturista de Jessie Burton.




Podem consultar as regras para a atribuição do livro aqui

Nós, estamos a ler...


E vocês que livros escolheram para esta semana?
Lugar sagrado...


Opinião:
Este livro de Jean Hanff Korelitz fala-nos de Grace Sachs, uma terapeuta conjugal, a qual defende que todas as mulheres, no início de uma relação conseguem perceber as falhas do outro, ou seja, daquele que estão a escolher para namorado ou marido! Falhas estas que nunca serão colmatadas, mas que mesmo assim preferem prosseguir com a relação acreditando no amor e que o amor tudo muda! Entretanto, muito muda na vida desta terapeuta o que faz com que esta pense na sua teoria inabalável.
Infelizmente, e ao contrário do que diz a crítica, esta leitura não me apaixonou, não senti empatia por nenhuma personagem. A história é por demais simples, para além de ser previsível tem um desenvolvimento tardio! O Magazine refere que esta obra é "um thriller provocador", eu diria que o thriller é apenas um pequeníssimo apontamento ofuscado pela narrativa que, na minha opinião, não tem interesse nenhum.

Sinopse: Grace Reinhart Sachs é terapeuta conjugal e, por comparação com a sua experiência clínica, considera a sua vida perfeita. Tem um casamento sólido, o marido é um oncologista pediátrico prestigiado, o filho de ambos, Henry, promete vir a ser um músico talentoso e fazem parte da elite de Manhattan. Mas quando Grace decide escrever um livro dissecando os mecanismos afetivos que fazem que muitas mulheres se tornem vítimas de relações infelizes, e está a poucas semanas do lançamento desse livro, toda a sua existência é abalada por um acontecimento inesperado, que vem pôr em causa tudo aquilo em que acredita. Afinal, Grace não conhece assim tão bem o seu marido e vê-se agora obrigada a refazer a sua própria vida. 
Opinião:
Ora aqui está uma obra muito simples de ser lida e um tanto real. A verdade é que também é bastante previsível, mas nem por isso perdi o meu interesse na leitura. Li-a de uma assentada numa noite de insónia... Tinha-a no Kindle - não estava para matar os neurónios a pensar muito, daí a minha escolha, entretanto, o kindle também tem luz incorporada, o que dá um jeitão para ler durante à noite.
Nesta história, passeiam duas personagens...T.J. e Anna Emerson . T.J. é um miúdo que está a recuperar de uma luta contra o cancro e Anna é professora e sua explicadora.
T.J. e Anna, viajam juntos. Ele com intuito de se divertir e ela contratada para lhe dar aulas para que ele recupere o tempo em que não frequentou a escola devido À doença, no entanto, durante a viagem o piloto tem um enfarte a o avião cai no mar. Por sorte (e porque também nós adivinhamos a determinada altura que assim será) são levados pela corrente para uma ilha e é neste ponto que a história realmente começa.
Como eu referi, não é uma história complicada, é bastante simples, que se lê com algum interesse apesar da sua previsibilidade. No entanto, também fez-me pensar, na nossa incapacidade para lidar com algumas situações complicadas, como a destes dois jovens: estar numa ilha deserta, ter de acender uma fogueira, construir uma simples cabana somente com os materiais disponíveis na ilha, fazer e por a funcionar uma cana de pesca... Acho que estas são coisas que, nós pessoas que vivem na cidade, raramente pensam que algum dia terão de fazer. Mas lá está, "a necessidade aguça o engenho" e se algum dia for necessário acho que também nos desenrascamos, tal como os personagens desta história.
Acho que esta, pode ser uma leitura muito interessante para a malta jovem.
Gostei!

Sinopse:
Uma ilha deserta plena de sol, vegetação luxuriante e mar cristalino é um cenário de sonho. Ou talvez não…
Anna Emerson decide quebrar a sua rotina e deixar Chicago para dar aulas numa ilha tropical. Por seu lado, T. J. Callahan só quer voltar a ter uma vida normal após a sua luta contra o cancro. Mas os pais empurram-no para umas férias num destino exótico.
Anna e T. J. estão a sobrevoar as ilhas das Maldivas a bordo de um pequeno avião quando o impensável acontece: o aparelho despenha-se no mar infestado de tubarões. Conseguem chegar a uma ilha deserta. Sãos e salvos, festejam e aguardam, convictos de que serão encontrados em breve. Ao início, preocupam-se apenas com a sobrevivência imediata e imaginam como será contar tamanha aventura aos amigos. Nunca a citadina Anna se imaginou a caçar para comer. T. J. dá por si a lutar com um tubarão e a ser acolhido por simpáticos golfinhos. Os dois jovens descobrem-se timidamente e exploram a ilha. Mas à medida que os dias se transformam em semanas, e depois em meses, as hipóteses de serem salvos são cada vez menores.
Ambos têm sonhos por cumprir e vidas por retomar, e é cada vez mais difícil evitar a grande questão: conseguirão um dia sair daquela ilha?
Os anjos...


E mais uma Segunda chegou...


Este mês e com o apoio da Editorial Presença, temos para oferecer, em sorteio aos participantes da rubrica...


um exemplar de O Miniaturista de Jessie Burton


O vencedor do mês de Fevereiro é...

Sara do blogue Desabafos Agridoces 

A Sara vai receber a obra Já devias saber...agora é tarde demais




Relembrando as regras para a atribuição do livro:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
A partir de 2015, o envio dos livros são feitos apenas para Portugal Continental e Ilhas.

Nós por aqui, estamos a ler...

Paula: No Kindle - Aquele Instante de Felicidade
Livros Físicos: O Miniaturista e O Pintassilgo


O Vasco: 


E vocês??

By Nora Ephron


Novo passatempo:
"A Segunda Vinda de Cristo à Terra", de João Cerqueira.


Regras do Passatempo:
- O passatempo começa hoje, dia 7 de Março e termina às 23.59h do dia 14 de Março de 2015; 
- O participante vencedor será escolhido aleatoriamente;
- O vencedor será contactado via e-mail;
- Apenas poderão participar residentes em Portugal e só será permitida uma participação por residência.;
Ser Seguidor do blogue (para ser seguidor, basta clicar em “seguidores” na barra lateral direita).



Boa sorte aos participantes!
A fonte...


"No início do ano foi anunciada a integração da Livros do Brasil no Grupo Porto Editora. Dois meses depois, mais precisamente na próxima sexta-feira, a 6 de março, chegam às livrarias portuguesas os primeiros nove livros com esta chancela inseridos na coleção Dois Mundos, a prestigiada coleção dedicada à grande literatura universal.

Nesse conjunto, está incluído o romance Música para Camaleões, do americano Truman Capote, uma estreia no catálogo da Livros do Brasil, com uma nova tradução de Paulo Faria. Ganham ainda nova edição os livros As Vinhas da Ira, A PérolaO Inverno do nosso Descontentamento, do Nobel John SteinbeckO Adeus às Armas, Paris é uma Festa e Na Outra Margem, entre as Árvores, do também Nobel Ernest HemingwayA Condição Humana, de André Malraux, e Mrs Dalloway, de Virginia Woolf."*


*texto enviado pela Porto Editora

Pessoalmente, eu adoro as capas! Adoro a colecção, pena é eu já ter muitos destes que vão ser agora editados, ou comprava-os todos!!
Sinopse

Após regressar à Terra e conhecer a activista Madalena que luta por um mundo melhor, Jesus ver-se-á envolvido em três situações de conflito.
Encontra um grupo ecologista radical, que pretende destruir uma plantação de milho que supõe geneticamente modificada. Assiste à revolta dos habitantes de uma vila contra um empreendimento turístico que vai ser construído numa reserva florestal. Por fim, testemunha um conflito armado entre negros e ciganos.
Neste périplo irá conhecer vários personagens: os referidos ecologistas, um padre que o obriga a confessar-se, um autarca corrupto, empreiteiros sem escrúpulos, um Comandante da GNR obrigado a fazer de Pilatos, os habitantes de um bairro degradado, um bruxo, e um negro e uma cigana apaixonados.
Porém, conquanto se limite a acompanhar Madalena, tentando apenas pacificar os desavindos, nem assim Cristo volta a escapar à fúria dos homens.
E apenas um farsante o irá reconhecer.
Mediante a ironia e o sarcasmo A Segunda Vinda de Cristo à Terra aborda fenómenos de conflitualidade social e política que ocorreram no nosso país.
Mas no fim é Portugal quem acaba posto na cruz.

Opinião
Não conhecia a escrita de João Cerqueira, pelo que foi com agrado que registei que existe mais um autor com qualidade neste país que não valoriza assim tanto a literatura nacional.
Assim, posso assumir que o autor sabe o que diz, sabe o que faz e sabe como fazer-se ouvir. "A Segunda Vinda de Cristo à Terra" retrata de um modo sarcástico e distante uma mentalidade e uma forma de ser tipicamente portuguesa. A pequenez, a tacanhez, a insensatez, o egoísmo, a falta de informação estão sempre presentes na narrativa. E é precisamente neste ponto que entra algum do meu desagrado. É importante não confundir a qualidade da obra, que é indiscutível, assim como do seu autor, com o meu gosto pessoal. A verdade é que estou um pouco cansado da ridicularização que se faz constantemente a tudo o que nos rodeia. Os autores portugueses, os humoristas, os críticos e as milhares de contas de facebook e twitter cansaram-me desta perspectiva demasiado irónica das nossas rotinas. 
É por isso que este livro não me divertiu como deveria ter divertido, mas deixou-me uma mensagem, embora eu já a conhecesse. 
Gostos à parte, trata-se de um livro com valor e que deve ser lido com o mesmo entusiasmo com que o autor o concebeu.

Um relógio interessante!

Tenho de arranjar um destes para cima da estante!!



A arena...


Hello.
Estamos a ler:


E vocês?

A Paula mandou-me - sim, ela manda em mim - anunciar qual o livro a passatempo para este mês:


O vencedor do passatempo de Fevereiro será anunciado na próxima semana.

Blogger Templates by Blog Forum