Fernando Pessoa

(foto tirada por mim, ilha de S. Miguel, costa norte)


Não Digas Nada!


Não digas nada! 
Nem mesmo a verdade 
Há tanta suavidade em nada se dizer 
E tudo se entender — 
Tudo metade 
De sentir e de ver... 
Não digas nada 
Deixa esquecer 

Talvez que amanhã 
Em outra paisagem 
Digas que foi vã 
Toda essa viagem 
Até onde quis 
Ser quem me agrada... 
Mas ali fui feliz 
Não digas nada. 

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro" 

Editora: Jacarandá
Data 1ª Edição: 04/02/2016
Nº de Edição: 
ISBN: 978-989-88-2735-7
Nº de Páginas: 296

Arriscaria a minha vida por ti…

A 24 de novembro, Yasmin e a filha de dez anos, Ruby, partem numa viagem pelo Norte do Alaska. Procuram o pai de Ruby, desaparecido na imensidão do Ártico.

Cada vez mais isoladas, embrenham-se profundamente na noite sem fim. E Ruby, surda de nascença, tem de enfrentar a escuridão.

Embora estejam determinadas a não desistir, o inverno aumenta de intensidade e alguém segue-lhes no encalço através da escuridão.

O Som do Silêncio é o novo thriller da autora do bestseller Irmã e foi escolhido pelo Richard & Judy Book Club como um dos 8 melhores livros da primavera 2016.



O livro aqui na editora

Bom dia!!!!




Este mês, o livro proposto, para passatempo, pela Editorial Presença é...

A Filha Desaparecida de Jane Shemilt




As horas passam mas Naomi não aparece. A noite avança e Jenny desespera. A filha adolescente já devia ter voltado da escola, onde participou numa peça de teatro. A vida de Jenny, uma médica casada com um neurocirurgião de sucesso, está prestes a mudar.

Um ano depois da noite fatídica, Naomi continua desaparecida. A polícia procurou em vão e os piores cenários (rapto ou homicídio) parecem hipóteses remotas. A busca obsessiva de Jenny, que não desiste da filha, sugere outra explicação: as pessoas em quem confiava e que julgava conhecer têm escondido segredos – sobretudo a própria Naomi.

A Filha Desaparecida é um bestseller internacional.

Ficam as regras, para relembrar...

A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
A partir de 2015, o envio dos livros é feito apenas para Portugal Continental e Ilhas.

Nós por aqui, estamos a ler...


 

E vocês, o que estão a ler??


Hoje lembrei-me disto #5

Sabem com o que é que o pessoal do meu tempo brincava?!?!

Com isto:


Óptimo para vazar um olho!

E quando fazíamos anos? Acontecia isto, que é como quem diz levava-se aniversariante ao poste:


O que me valia é que faço anos em Agosto, ou seja, estava em férias de Verão. Só por causa desse facto é que conservo a minha fertilidade.

E quando alguém de um bairro rival nos insultava?
Era isto:


Vendo as coisas por este prisma, os miúdos de hoje até são atinadinhos.

Lembro-me de, a certa altura da minha curta vida - sim, sou um gajo novo -, ter visto um artigo sobre este brinquedo:


Hoje penso qual seria o slogan desta Barbie... talvez "Preta por fora, mas branca por dentro?"

Depois caí em mim... e voltei a pensar "Nã... nenhuma empresa de entretenimento infantil seria tão racista..."

E então vi isto:


VOLTA Barbie Oreo! Estás perdoada!

Prepara-te para momentos de pura diversão com este cintilante e glamoroso livro de autocolantes!


Veste as amigas da moda em diversos cenários com roupas autocolantes fantásticas, responde a testes e faz acessórios com as tuas amigas.



Contém mais de 300 autocolantes que te vão colocar no topo do mundo da moda e divertir-te durante horas!



Recomendado a partir dos 6 anos de idade.


Fantástico! Estes livros da Editorial Presença são um show!


Saiba mais aqui!


Depois de ler alguns livros actuais, decidi enveredar por este clássico!
Embora esteja ainda no início, estou a gostar muito!

Sinopse
Fisher e Ivy vivem uma relação idílica durante dezanove dias, durante a qual são inseparáveis. Os dois sentem intimamente que estão destinados a ficar ligados para sempre. E facto de saberem tão pouco sobre o outro é apenas um pormenor. Nos doze meses seguintes, período em que as suas vidas mudam radicalmente, Fisher e Ivy vão perceber que apaixonar-se é uma coisa, mas manter uma relação é outra completamente diferente.
Nós os dois é um romance muito honesto e transparente sobre vida, amor e a importância de não se tomar nada nem ninguém por garantido.

Opinião
Forte. Desesperante. Divertido.
"Nós os Dois" é uma luta permanente contra aquilo que uma relação não deve ser. O enredo deste livro é muito interessante, uma vez que aborda aquilo que muitas vezes sucede na vida real, embora não seja normal acontecer de um modo tão brusco. 
Basicamente, existe uma paixão que é obrigada a transformar-se em amor. Assim, à força, como quem pega um touro pelos cornos - registe-se que sou anti-touradas. Duas pessoas que não se conhecem acabam por ter de se amar. Este é o resumo em cru desta obra.
E, acerca da narrativa, mais não digo porque, como sabem, nunca falo do conteúdo dos livros, mas sim da forma de cada um.
Embora eu não saiba muito bem a razão, julgo que Andy Jones tem um modo atípico de escrever. Não que seja uma escrita adornada ou que possua um estilo incomum. Acaba por ser bastante directa até, mas existe um certo azedume ou dureza nas palavras do autor, sem que no entanto chegue a ser chocante ou provocadora. Algo que, logicamente, aprecio. Ou não fosse uma grande parte dos meus autores favoritos não mais do que mentes corrosivas e efusivas.
Gostei bastante de "Nós os Dois" e penso que quase toda a gente terá um sentimento semelhante.


A ler...

O meu novo companheiro:


Citação

"Gêmeos (...) Pelo menos, se der para o torto, pode ficar um para cada. Ha-ha!"
Nós os Dois,. Andy Jones




AH!AH!AH!
(Isto já sou eu a rir)
Chegou à nossa caixa de correio um pedido de divulgação de um site de encontros!
Normalmente chegam novidades literárias, mas desta vez foi diferente!
Esperem, não é o que estão a pensar! É um site de encontros que tem um publico alvo - Pessoas cujo parceiro já tenha partido desta para melhor ou pior (quem sabe). Só Deus sabe (se Ele existe).

Se fosse 1 de Abril eu até pensaria que isto era uma partida! Mas parece que não! É sério!

Então, o site chama-se "Felizes " 
O link aqui para os interessados!

O objectivo será fazer um viúvo (a) feliz no dia dos namorados!
*

Posto este inquérito, será que o podemos classificar como o melhor??
Of course not!
Para mim não é, mas poderá ser para outras pessoas! Why not?
Ou se calhar muita gente o conhece (da tv) e como não conhecem outros escritores lançaram o nome dele aquando do inquérito!
São opiniões, valem o que valem! Nas redes sociais não se tem falado/discutido outra coisa!

* retirado daqui
Sinopse
"Deixe-me avisá-la de uma coisa a respeito da minha família", disse o velho Mortimer Winshaw. "São o pior, o mais ganancioso, o mais cruel bando de filhos da mãe, gatunos, egoístas e traiçoeiros, que alguma vez rastejou à face da Terra."
No Verão de 1990, nas vésperas da guerra contra Saddam Hussein, um jovem escritor prepara a biografia oficial da família Winshaw. Ao reunir as peças da verdadeira história destes monstros grotescos e sedentos de poder, ele descobre que essa história começa a coincidir, estranhamente com a intriga de um filme com a bela Shirley Eaton, cuja imagem o perseguia desde então.
Mas descobre também que os Winshaw continuam hoje em dia connosco: os políticos, os negociantes de armas e os barões da informação que devoram (que grande banquete!...) as entranhas da Grã-Bretanha.
No que é simultaneamente o mais divertido e mortífero romance político dos últimos anos, Jonathan Coe juntou histórias públicas e privadas numa farsa trágica de proporções dickensianas. Cáustico, feroz e divertido, o seu olhar de escárnio sobre o ridículo dos nossos auto-eleitos senhores e sobre a ruína que espalham por toda a parte ficará como um marco da actual produção literária inglesa.

Opinião
Mordaz. Fatídico. Provocador.
Após ter lido tantos livros de Jonathan Coe julguei que nada provindo da sua mente fosse capaz de me surpreender, ou pelo menos de me surpreender em larga escala. Pois bem, enganei-me, claro. Não que tivesse sido presunçoso. Na verdade eu conheço muito bem a sua escrita. Entendo-a, identifico-me com ela.
Enquanto que nos seus títulos mais recentes Coe é capaz de demonstrar uma sensibilidade ímpar, neste livro ele exibe precisamente o contrário. Talvez por ser uma obra pensada/ concebida em finais de 80/ princípios de 90, se sente um autor mais dedicado em demonstrar todo o seu descontentamento relativamente à sociedade britânica - com especial atenção para a classe política, para uma espécie de Thatcherismo, para o deficiente sistema de saúde, para a morbidez da população, para a corrupção. Ou melhor, a sensibilidade está lá, embora usada de outra forma. Curiosamente, as dificuldades que ele via na comunidade há 25 anos na Inglaterra são as mesmas que toda a gente vê em Portugal nos dias que correm.
Ora, tudo isto para dizer que Jonathan Coe era brilhante há 3 décadas atrás como o é agora. Alerto ainda para o facto de o protagonista ser, uma vez mais e, isso sim, sempre fiel a si próprio, uma alma frágil, perseguido por fantasmas e caminhando permanentemente numa corda bamba sem fim - nem fundo - à vista. 
Coe é isto, um autor tridimensional, capaz de avaliar tudo e todos, capaz de alcançar qualquer ponto a que se proponha, analisando cada momento e instante até chegar ao seu destino final.
Ele é, para mim, um intocável no mundo da literatura (para não dizer que é o maior de todos, porque, para mim, em grande parte do tempo, o é efectivamente).

As horas passam mas Naomi não aparece. A noite avança e Jenny desespera. A filha adolescente já devia ter voltado da escola, onde participou numa peça de teatro. A vida de Jenny, uma médica casada com um neurocirurgião de sucesso, está prestes a mudar.

Um ano depois da noite fatídica, Naomi continua desaparecida. A polícia procurou em vão e os piores cenários (rapto ou homicídio) parecem hipóteses remotas. A busca obsessiva de Jenny, que não desiste da filha, sugere outra explicação: as pessoas em quem confiava e que julgava conhecer têm escondido segredos – sobretudo a própria Naomi.

A Filha Desaparecida é um bestseller internacional.

  • «Prende até à última página.» | My Weekly
  • «Arrebatador.» | Sunday Express
  • «Absolutamente empolgante. A tensão acumulada pela desconfiança e pelo suspense leva a um desenlace devastador.» | Mail On Sunday


Jane Shemilt é médica de clínica geral. Frequentou a Royal Free Medical School, tendo-se formado com distinção. Concluiu uma pós-graduação e posteriormente um master in arts em Escrita Criativa na Bristol University e em Bath, respetivamente. Foi finalista do Janklow & Nesbitt Bath Spa Prize e do Lucy Cavendish Fiction Prize com A Filha Desaparecida, seu romance de estreia. Vive em Bristol com o marido e os cinco filhos.

Podem consultar a página da editora, aqui.
Aqui estão as duas sortudas que irão receber um exemplar em formato digital do livro "O Bom Ditador", de Gonçalo J. Nunes Dias:

Sílvia Reis, de Queluz
e
Carina Grabulho, de Palmela.

Parabéns a ambas.

O autor encarregar-se-á do envio da obra.


Este mês, o livro proposto, para passatempo, pela Editorial Presença é...

A Filha Desaparecida de Jane Shemilt


As horas passam mas Naomi não aparece. A noite avança e Jenny desespera. A filha adolescente já devia ter voltado da escola, onde participou numa peça de teatro. A vida de Jenny, uma médica casada com um neurocirurgião de sucesso, está prestes a mudar.

Um ano depois da noite fatídica, Naomi continua desaparecida. A polícia procurou em vão e os piores cenários (rapto ou homicídio) parecem hipóteses remotas. A busca obsessiva de Jenny, que não desiste da filha, sugere outra explicação: as pessoas em quem confiava e que julgava conhecer têm escondido segredos – sobretudo a própria Naomi.

A Filha Desaparecida é um bestseller internacional.

Ficam as regras, para relembrar...

A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
A partir de 2015, o envio dos livros é feito apenas para Portugal Continental e Ilhas.

Entretanto já temos o vencedor da rubrica do mês de Janeiro!!

A vencedora é...

Fernanda Costa
(Fica a foto para que não haja dúvidas de quem é)

E vai receber o livro...


Fernanda, não se esqueça de enviar os seus dados para o mail do blogue!

Nós por aqui, estamos a ler...


E vocês??




Já não aguento...

Ver/ler os post do Pedro Chagas Freitas no facebook 
e ouvir a Adele!!!
Please!

Já não se aguenta!

(um, posso bloquear, o outra entra-me pelos ouvidos a toda a hora e não digam que posso escolher a emissora que ela está em todas!!!)
Bom dia! Boa semana a todos!




 Passatempo de Janeiro: 
As Horas Invisíveis" de David Mitchell 


Sinopse
Holly Stykes foge de casa dos pais para viver com o namorado. Embora pareça uma típica adolescente inglesa, é propensa a fenómenos paranormais. Durante a fuga, conhece uma mulher estranha que a alicia com um gesto amável em troca de asilo. Décadas depois, Holly compreende por fim que espécie de asilo a mulher procurava…
Este thriller empolgante de David Mitchell, aclamado autor de Atlas das Nuvens, acompanha a vida atribulada de Holly numa série de eventos que se cruzam por vezes de maneira indizível, pondo-a no centro de uma intriga perigosa jogada nas margens do mundo e da realidade. Dos Alpes suíços da Idade Média ao interior australiano do século XIX, culminando num futuro próximo distópico, As Horas Invisíveis é um romance caleidoscópico que nos oferece uma alegoria do nosso tempo.

Ficam as regras, para relembrar...

A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
A partir de 2015, o envio dos livros é feito apenas para Portugal Continental e Ilhas.

Por aqui estamos a ler...
 

E vocês, o que estão a ler??

(Boas) Novidades

Um post da Editora Objectiva:

"Algumas das novidades literárias até ao verão incluem dois novos títulos de Afonso Cruz (Alfaguara e Companhia das Letras) e a chegada do terceiro e último volume da trilogia de João Tordo, depois de O Luto de Elias Gro e o Paraíso Segundo Lars D (Companhia das Letras)"



A Branca de Neve norueguesa...


Novidades Editorial Presença

A Editorial Presença parece ter entrado em 2016 cheia de força.

Creio que haja novidades para todos os gostos...





Os mais recentes lançamentos aqui!

I like it!

Cadeia "ajudar o próximo"!


Passatempo:


O autor Gonçalo Dias tem para oferecer aos nossos leitores dois exemplares em formato digital da sua obra de estreia.

Participem!

Regras do Passatempo:
- O passatempo começa hoje, dia 22 de Janeiro, e termina às 23.59h do dia 29 de Janeiro de 2016; 
- O participante vencedor será escolhido aleatoriamente;
- O vencedor será contactado via e-mail;
- Apenas poderão participar residentes em Portugal e só será permitida uma participação por residência.;
Ser Seguidor do blogue (para ser seguidor, basta clicar em “seguidores” na barra lateral direita).


PASSATEMPO ENCERRADO!

Boa sorte aos participantes!
Sinopse
Os atentados de 11 de setembro trouxeram para o nosso quotidiano assuntos como o terrorismo, jihadismo, a Al-Qaeda ou o «Estado Islâmico». Nem sempre foram interpretados da melhor forma.
Por um lado, foram assumidos como manifestações de violência armada de religiosidade. Por outro, encaram-se como algo inovador e paradigmático. Mais ainda. A violência jihadista passou também a ser lida como o fruto de uma organização disfuncional e operacionalmente controversa. Ou seja, uma violência não-instrumental, irracional, empurrada pelo fanatismo religioso e ofuscada pelo culto do martírio. 
Jihadismo Global põe em causa as premissas que levaram a estas conclusões. 

A violência armada em nome do Jihadismo não é necessariamente uma manifestação violenta do Islão. Aliás, no que se reivindica há propósitos políticos e fórmulas seculares bem delineados. Para o cumprimento dos objetivos está uma aplicação eficiente e instrumental da violência armada. Tudo isto é fruto de uma estratégia racional e de longo prazo. 

Opinião
Tive imensa curiosidade em ler este livro pelo que tem acontecido recentemente com este mundo cada vez mais doido, digo "cada vez mais" porque nunca deixou de o ser, doido pois bem.
Jihadismo Global é fundamentalmente um livro informativo, quase científico, acerca do movimento que, hoje em dia, toda a gente fala mas também de todas as organizações paralelas, assim como todas aquelas que as antecederam. Este título enquadra o movimento Jihadista no mundo árabe, na vida das pessoas, na actividade religiosa e nas relações passado/ presente e países árabes/ ocidente.
É verdade que muito do que é explicado em Jihadismo Global é do senso comum e aquilo que não é, de senso comum, pode ser facilmente encontrado por qualquer curioso. Ainda assim, o que posso garantir é a fiabilidade desta obra que, de facto, é bastante assertiva nos argumentos que expõe.



Saibam onde encontrar o livro aqui.

Blogger Templates by Blog Forum