Janeiro!!!! 2019!!!




Este mês com o apoio da Editorial Presença, temos para oferecer, em passatempo na rubrica, um exemplar da obra de Marcos Chicot O Assassinato de Sócrates
Para participarem, basta que comentem todas as segundas (ou durante toda a semana) a rubrica, leiam as regras!


Sinopse:
Grécia, século V a. C. Um oráculo sombrio vaticina a morte de Sócrates. Um recém-nascido é condenado a morrer por vontade do seu próprio pai. Uma guerra sangrenta entre Atenas e Esparta divide a Grécia. Um livro que recria magistralmente uma das épocas históricas mais extraordinárias de sempre. 

Mães que lutam pelos seus filhos, amores impossíveis e guerreiros que se esforçam por sobreviver entrelaçam-se de uma forma fascinante com os governantes, os artistas e os pensadores que conduziram a Grécia clássica ao apogeu da nossa civilização. 

Ao longo das páginas deste absorvente romance, destaca-se de modo fulgurante a figura inigualável de Sócrates, o homem cuja vida e morte nos inspiram há mais de dois milénios, o filósofo que marca um antes e um depois na história da humanidade.

Regras de participação na rubrica:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte.
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
O envio dos livros é feito apenas para Portugal Continental e Ilhas.

Por aqui estamos a ler...


E vocês, o que andam a ler??


Sinopse:
Os Templários foram a mais rica e poderosa e a mais secreta das ordens militares que floresceram na era das cruzadas. A sua história - que passa pelo maior conflito internacional da Idade Média, por uma rede financeira global, e pela ascensão veloz seguida de uma queda sangrenta e humilhante - deixou um rasto de mistério que continua a fascinar e a inspirar historiadores e romancistas e a alimentar teorias da conspiração.

Dan Jones documenta cada fase da história de duzentos anos dos Templários, desde a sua fundação no começo do século XII como ordem de caridade para prestar apoio aos peregrinos que visitavam a Terra Santa; o seu crescimento como uma elite guerreira; a sua evolução para uma sofisticada entidade financeira isenta de regulação fiscal e com acesso privilegiado a papas, imperadores e reis; até à sua extinção em 1312. A partir de então, a sua lenda gerou enorme especulação. Quem eram na realidade os Templários? E o que lhes terá, de facto, acontecido?

Um livro imperdível, escrito com grande rigor sobre uma das épocas mais fascinantes e ao mesmo tempo mais dramáticas da história da Humanidade.


Opinião:
Confesso que esta obra me suscitou grande curiosidade. “Ouvi” tanto sobre estes cavaleiros, desde a escola, a obras de literatura e diversos filmes, que chegou a uma determinada altura que fiquei sem saber o que era realidade e o que era imaginação de alguns autores. Dan Jones desmistifica tudo isso, ao ter escrito esta obra após um profundo estudo/investigação sobre estes cavaleiros de Cristo. Agora sim, a minha curiosidade ficou satisfeita.
Se tal como eu, sentes esta curiosidade em saber o que é real sobre estes nobres cavaleiros, esta obra é perfeita para ti.  


Para mais informações procurar aqui.





O pequenito cá de casa já pediu para encomendar o livro e este fim-de-semana vamos ao cinema ver o filme, antes que ele me enlouqueça…
Entretanto tenho de fotografar o livro que o meu pirata está a ler. Quando este Sábado entramos numa livraria e ele implorou por aquela “riqueza”, não sabia se havia de rir ou de chorar… diz ele que o autor é um youtuber muito famoso…

Sinopse:
O quê?!
Os Gauleses mal podem acreditar!
Após ter dado uma queda, Panoramix decide que está na altura de assegurar o futuro da aldeia.

Acompanhado por Astérix e Obélix, percorre então o mundo gaulês à procura de um jovem druida talentoso a quem possa transmitir o segredo da poção mágica!

Mas o que ele não sabe é que o terrível Enxofrix, seu rival dos tempos da escola de druidas, engendrou um plano maquiavélico para se apoderar da receita da poção mágica.

Por Tutatis!
Se ele conseguir alcançar os seus objetivos, a aldeia está perdida!

Este é um post para vocês.

Este é um post para vocês...
E do que se trata?
Gostaríamos que vocês deixassem na zona dos comentários, os livros que mais gostaram de ler em 2018.
Achámos que seria uma forma de conhecermos novos títulos, autores e principalmente, conhecer um pouco o gosto literário dos nossos visitantes.


Aceitam o desafio?
Ah, se têm blogue, deixem o link.
Janeiro!!!! 2019!!!




Este mês com o apoio da Editorial Presença, temos para oferecer, em passatempo na rubrica, um exemplar da obra de Marcos Chicot O Assassinato de Sócrates
Para participarem, basta que comentem todas as segundas (ou durante toda a semana) a rubrica, leiam as regras!


Sinopse:
Grécia, século V a. C. Um oráculo sombrio vaticina a morte de Sócrates. Um recém-nascido é condenado a morrer por vontade do seu próprio pai. Uma guerra sangrenta entre Atenas e Esparta divide a Grécia. Um livro que recria magistralmente uma das épocas históricas mais extraordinárias de sempre. 

Mães que lutam pelos seus filhos, amores impossíveis e guerreiros que se esforçam por sobreviver entrelaçam-se de uma forma fascinante com os governantes, os artistas e os pensadores que conduziram a Grécia clássica ao apogeu da nossa civilização. 

Ao longo das páginas deste absorvente romance, destaca-se de modo fulgurante a figura inigualável de Sócrates, o homem cuja vida e morte nos inspiram há mais de dois milénios, o filósofo que marca um antes e um depois na história da humanidade.

Regras de participação na rubrica:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte.
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
O envio dos livros é feito apenas para Portugal Continental e Ilhas.

Por aqui estamos a ler...


E vocês, o que andam a ler??

Bom, o ano passado contive-me imenso na compra de livros!
Mas este ano, já vi que a coisa vai pelo mau caminho!!! Este é outro livro que vou ter de ter (desculpem a redundância)!!


Sinopse:
Julia Lambert está no auge do sucesso: é considerada a maior atriz inglesa do seu tempo. No palco, domina totalmente as emoções e as suas atuações são arrebatadoras. Na vida real, está cansada do marido e é bastante menos disciplinada. Quando um jovem fã a cobre de atenções, Julia fica inicialmente divertida; mais tarde, entusiasmada pela sua persistência; e, por fim, louca e perigosamente apaixonada. A sua vida, aparentemente perfeita e imperturbável, vai sofrer uma viragem irreversível.
 
De execução magistral, As Paixões de Julia retrata as tensões e os triunfos das artes performativas: quer em palco, quer fora dele.  


Obrigada a todos os que passam neste cantinho!!







Domingando!!


Para quem gosta de café é só substituir :D


Que bom que é!


Livros Recebidos no Natal...

Não cheguei a falar nos livros que recebi no Natal. Não foram muitos, mas foram bons!!
Começo a ficar com medo do volume destes livros de Chimamanda Ngozi Adichie.



Sinopse:
No início do século xix, a sociedade inglesa descobre o encanto dos banhos do mar e os Parker iniciam a transformação de Sanditon, uma antiga aldeia piscatória, numa estação balnear na moda.
Convidada para a magnífica vivenda dos Parkers, a jovem Charlotte Heywood descobre um meio repleto de intrigas e paixões. Em torno de Lady Denham e da pupila Clara, gravitam as Beauforts, o tenebroso Henry Denham, e o esplendoroso Sidney Parker.
Vai Charlotte manter-se apenas como espectadora ou irá participar no turbilhão de sentimentos que a rodeiam?
Quando morreu em 1817, Jane Austen deixou inacabada a obra, e Sanditon só veria a luz do dia em 1925. Mas a novela tem toda a ironia e o ceticismo de Jane Austen na abordagem de personagens caracterizadas pela hipocondria e pelo narcisismo.


Opinião:
Tenho de confessar que ainda não tinha lido qualquer obra desta autora. Deve ser das poucas autoras em que vi o filme baseado na sua obra e não li o livro. Estou a referir-me a “Orgulho e Preconceito”, gostei bastante do filme e fiquei sempre com muita vontade em fazer a sua leitura, mas nunca surgiu oportunidade.
Por isso estava bastante curiosa quanto a esta obra. Adorei a forma simples da sua escrita, as suas descrições nada maçudas, as suas “curiosas” personagens, e no fim o que aconteceu é que me apetecia mais, muito mais… ficou tanto por se saber…
A onde levaria a imaginação desta autora?
Qual o destino de cada uma das personagens?
Personagens tão distintas, mas todas tão ricas…
Adorei a forma como a autora conseguiu reunir personagens tão diferentes a socializarem umas com as outras.
É de lamentar sem qualquer dúvida a perda desta grande autora tão precocemente…
Uma obra magnífica para iniciar este ano de leituras.

Para mais informações procurar aqui.

Esta obra parece-me bastante interessante!



O meio envolvente tem uma influência decisiva no ser humano. Afeta os nossos pensamentos, as nossas emoções e a nossa resposta física, quer nos sintamos deslumbrados pelo Grand Canyon ou pela Basílica de São Pedro, em pânico numa sala lotada, ou tentados nos casinos e nos centros comerciais.

Em A Alma dos Lugares, o psicólogo e investigador na área da neurociência Colin Ellard explica como as nossas casas, os nossos locais de trabalho, as cidades que habitamos e, claro, a natureza nos vêm influenciando ao longo da história, e dá conta de como o cérebro e o corpo respondem de forma diferente aos espaços reais e virtuais. Neste livro fascinante, publicado em vários países, este especialista na dinâmica entre a psicologia, a arquitetura e a geografia - a que chama psicogeografia - analisa também a influência que as tecnologias têm no meio envolvente, questionando o leitor sobre o tipo de mundo que estamos a criar.

You

Ora aqui está mais uma série vista... mas desta vez não gostei.


Continuo a ver Reign... vou no 10º episódio e estou a gostar "assim assim", nada de especial...

Sinopse:
«Que aconteceu ao meu filho? E à nossa família? Que fiz eu de errado?»

Estas foram perguntas dolorosas que martirizaram David Sheff durante o longo período de dependência de drogas do seu filho Nic e de várias tentativas de recuperação.

Antes de se tornar toxicodependente, Nic Sheff era um rapaz encantador, alegre e divertido, um aluno excelente, praticante de desporto e adorado pelos dois irmãos mais novos. A toxicodependência fez dele um débil fantasma de si mesmo, que mentia, roubava e vivia na rua.

Neste livro, David Sheff descreve os primeiros sinais de aviso - a negação, os telefonemas de madrugada - «É o Nic», «É da polícia», «É do hospital» -, e como a sua preocupação com Nic se tornou obsessiva, um vício em si mesmo e um peso tremendo para toda a família. Mas, graças à sua experiência de jornalista, David dedicou-se a uma intensa pesquisa de todos os meios de tratamento disponíveis que pudessem salvar o seu filho. E, mais importante ainda, recusou-se a desistir de Nic.

Autêntico e profundamente comovente, este é o testemunho da dedicação e do amor por um filho à beira do abismo.

Agora também numa adaptação cinematográfica com Steve Carrell como protagonista.


Autor:
Para além de jornalista, David Sheff é autor de diversos livros. Os seus artigos e entrevistas a personalidades públicas de grande relevo têm sido publicados em vários jornais e revistas, como The New York TimesRolling StonePlayboyWire e Fortune. O artigo «My Addicted Son», publicado na New York Times Magazine, venceu o prémio da American Psychological Association, tendo sido considerado um excelente contributo para o desenvolvimento do conhecimento na área da toxicodependência.


Citações:
«Um livro autêntico, uma mensagem de esperança.» PUBLISHERS WEEKLY

«Um livro emocionante, sério, com uma escrita brilhante. Uma leitura fundamental para adolescentes e pais.» DAILY MAIL

«Uma leitura excelente para todos os pais, independentemente das circunstâncias que envolvem os seus filhos.»
LIBRARY JOURNAL
«Este livro vai salvar muitas vidas e ajudar a sarar corações.» ANNE LAMOTT, ESCRITORA


Opinião:
Esta obra trata de um assunto que aterroriza muitos pais ou futuros pais. Um assunto muito difícil de lidar... a toxicodependência. A toxicodependência não escolhe estrato social, ou raça, ou em famílias monoparentais ou biparentais... e não acontece só aos filhos dos outros...
Se para se lidar com uma criança na fase da adolescência é difícil, então adolescente e toxicodependente deve ser aterrorizante.
O jornalista David Sheff passou por isso e nesta obra conta-nos pelo que passou e o quanto lutou para ter o seu filho de volta. Ele não dá conselhos, porque infelizmente não há fórmulas mágicas para que os nossos filhos não enveredam por esse caminho, nem as há para nós pais sabermos lidar com a situação.
E como o autor escreveu "Espero, contudo, que na nossa história, exista algum consolo, alguma orientação e, se não houver mais nada, sim, alguma companhia."
Terminei a leitura desta obra no dia um e posso-vos garantir que é excelente.

Transcrevo “alguns” parágrafos que penso que vos irá interessar e fazer com que tenham uma “ideia” do que realmente é esta obra.

“A história da nossa família é única, claro está, mas também é universal, na medida em que todas as narrativas de toxicodependência se assemelham. Apercebi-me das semelhanças entre nós quando fui pela primeira vez a uma reunião dos Al-Anon.  Durante muito tempo, resisti à ideia de ir, mas essas reuniões dos Al-Anon embora me tenham feito chorar imensas vezes, deram-me forças e mitigaram a minha sensação de isolamento. Senti-me ligeiramente menos assoberbado. Além disso, as outras histórias preparam-me para desafios que, caso contrário, me teriam apanhado de surpresa. Não posso dizer que tenham sido o remédio para todos os meus males, mas senti-me grato até pelo mais pequeno alívio e qualquer tipo de orientação que pudesse obter.”
 “Porque nos ajuda lermos as histórias dos outros? Não tem só que ver com o facto de que a infelicidade gosta de companhia, porque (como vim a perceber) a infelicidade é demasiado egocêntrica para querer muita companhia. As experiências dos outros ajudaram-me na luta emocional; quando lia, sentia-me um pouco mais insano. E, tal como as histórias que ouvi nas reuniões dos Al-Anon, a escrita dos outros serviu-me de guia para as águas inexploradas. Thomas Lynch mostrou-me que é possível amar um filho que está perdido, possivelmente para sempre.”
“Qualquer pessoa que já passou pela situação – ou que esteja a passar por ela – sabe que tratar de um toxicodependente é tão complexo, penoso e debilitante quanto a própria dependência. Nos meus piores momentos, senti-me indignado com o Nic, porque um toxicodependente, pelo menos quando está sob o efeito de alguma substância, tem um alívio momentâneo de sofrimento. Os pais, os filhos, os maridos, as mulheres ou as outras pessoas que os amam não têm qualquer alívio.”

“Nós somos disfuncionais – tão disfuncionais quanto qualquer família. Por vezes mais outras vezes menos. Acho que não conheço nenhuma família «funcional», se funcional implica nunca ter passado por tempos difíceis e membros sem uma série de problemas. Tal como os toxicodependentes, as famílias destes são tudo o que estaríamos à espera e tudo o que não estaríamos à espera. Os toxicodependentes vêm de lares desfeitos e de lares intactos. São eternos falhados e pessoas extremamente bem-sucedidas. Muitas vezes ouve-se em palestras ou em reuniões dos Al-Anon ou dos AA falar dos homens e das mulheres inteligentes e encantadores que desnorteiam aqueles que os rodeiam quando acabam na sarjeta.”

“Sei que estou a perder o Nic, mas continuo a racionalizar a situação: é típico dos adolescentes afastarem-se dos pais – tornarem-se intratáveis e distantes. «Uma pessoa pergunta-se com terá sido Jesus aos dezassete anos», escreveu Anne Lamott. «Nem sequer falam disso na Bíblia, deve ter sido mesmo muito mau.» Ainda assim, continuo a tentar chegar até ele, a fazê-lo falar, mas parece não ter grande coisa para me dizer.”

“As drogas podem tornar-se o foco central tanto para os miúdos como para os pais, mas também mascarar problemas mais profundos associados. Como podem os pais saber? Consultamos mais especialistas, mas não é garantido que eles saibam. O diagnóstico não é uma ciência exata e é complicado, sobretudo no caso dos adolescentes e dos jovens adultos, para quem algumas alterações de humor, incluindo a depressão, são comuns. Muitos sintomas destas perturbações parecem idênticos a alguns dos sintomas do consumo de drogas. Além disso, quando os especialistas finalmente descobrem que existe um problema, a toxicodependência pode ser exacerbado a maleita inicial e ter-se fundido com ela. Torna-se impossível saber onde uma termina e a outra começa.”

“… Contudo, aprendi que o adágio do AA é verdadeiro: somos tão doentes quanto os nossos segredos. Aprendi o quanto ajuda falar sobre a toxicodependência do meu filho, reflectir sobre a questão e ouvir e ler as histórias dos outros. … “

“Concordo, sem reservas, com a primeira recomendação de qualquer campanha antidroga racional: falem com os vossos filhos cedo e frequentemente sobre drogas. Caso contrário, estarão a deixar a tarefa da instrução nas mãos de outra pessoa qualquer. Devem ser abertos e sinceros sobre a vossa experiência com as drogas? Essa é uma decisão muito pessoal, porque cada progenitor e cada filho é único. Eu teria todo o cuidado para não glorificar o consumo de drogas e álcool e teria em consideração a idade das crianças, sem nunca dar mais informação do que aquilo que elas conseguem compreender num determinado momento. Porém, em última instância, não sei se tem relevância o facto de os pais contarem a sua experiência ou a quantidade de informação que fornecem. Há coisas que são muito mais importantes. Qual é a minha opinião sobre isto no que diz respeito à minha família? Acredito que os filhos não precisam de conhecer todos os pormenores pessoais da nossa vida (e não devem conhecê-los), mas nunca mentiria os meus filhos e responderei às perguntas deles com honestidade.”

“Isto parece um final feliz para o pesadelo infernal da toxicodependência, e é. Aquilo que quero dizer é que, por muito más que as coisas se tornem, geralmente há esperança. As pessoas geralmente recuperam. Àqueles que estão a travar uma luta agonizante, digo: a toxicodependência é uma doença complicada, que geralmente se complica ainda mais devido à existência de transtornos psicológicos coexistentes. Viver com esta doença é sempre um desafio e, por vezes, um verdadeiro tormento. Porém, essas doenças são tratáveis. Volto a dizer: não percam a esperança.”

“E eu? Não passa um dia sem que pense na sorte que temos – eu e o Nic e a nossa família. Sei que a sorte é a única razão pela qual o meu filho está vivo, enquanto outras pessoas tiveram de enterrar os filhos. Enquanto nós continuamos a viver, penso nessas pessoas todos os dias.
Estou muito orgulhoso do trabalho que o Nic fez e continua a fazer consigo próprio, mas é claro que não há garantias. Sinto-me optimista porque os estudos sugerem que o tempo passado sem o consumo de drogas prevê mais tempo passado sem o consumo de drogas. Porém, há sempre um risco: já ouvi histórias de pessoas que tiveram uma recaída após vinte anos de sobriedade ou mais.
No momento em que escrevo estas linhas, o Nic tem trinta e seis anos.
Depois de tudo aquilo por que passámos, trinta e seis parece-me um milagre.”


Meu Deus! Quem há-de dizer que o homem pode meter um inimigo pela boca dentro para lhe roubar a razão?! Como somos capazes de nos transformarmos em animais, com alegria, prazer, entusiasmo e orgulho?!
William Shakespeare, Otelo


Para mais informações procurar aqui.



Segundo a Wook, esta obra é uma das melhores do ano passado!
Curiosa, fui ler a sinopse e as primeiras páginas que a Wook disponibiliza! Pareceu-me bastante interessante! Vou ver se compro!


SINOPSE
Se esta rua falasse, esta seria a história que contaria: Tish, 19 anos, apaixona-se por Fonny, que conhece desde criança. Fazem juras de amor e conjuram sonhos para a vida a dois. Sensual, violento e profundamente comovente, este romance é uma bela canção de blues, de toada doce-amarga, com notas de raiva e ainda assim cheia de esperança. Publicado pela primeira vez em 1974, Se esta rua falasse é o quinto romance de James Baldwin, um dos nomes maiores da literatura americana do século XX e uma das vozes mais influentes do activismo pelos direitos civis. 


Um romance manifesto contra a injustiça da justiça e uma história de amor intemporal, é hoje tão pertinente e tão comovente quanto no dia da sua publicação
Aqui ficarão registadas as nossas leituras de 2019



LÍGIA
1- Sanditon, Jane Austen
2 - VALIS, Philip K. Dick


PAULA
1- A Bela Americana, Jess Walter
2- Pense e Fique Rico, Napoleon Hill
3- A Casa na Praia, Daphne Du Maurier (a ler)


VASCO




Janeiro!!!! 2019!!!




Este mês com o apoio da Editorial Presença, temos para oferecer, em passatempo na rubrica, um exemplar da obra de Marcos Chicot O Assassinato de Sócrates
Para participarem, basta que comentem todas as segundas (ou durante toda a semana) a rubrica, leiam as regras!


Sinopse:
Grécia, século V a. C. Um oráculo sombrio vaticina a morte de Sócrates. Um recém-nascido é condenado a morrer por vontade do seu próprio pai. Uma guerra sangrenta entre Atenas e Esparta divide a Grécia. Um livro que recria magistralmente uma das épocas históricas mais extraordinárias de sempre. 

Mães que lutam pelos seus filhos, amores impossíveis e guerreiros que se esforçam por sobreviver entrelaçam-se de uma forma fascinante com os governantes, os artistas e os pensadores que conduziram a Grécia clássica ao apogeu da nossa civilização. 

Ao longo das páginas deste absorvente romance, destaca-se de modo fulgurante a figura inigualável de Sócrates, o homem cuja vida e morte nos inspiram há mais de dois milénios, o filósofo que marca um antes e um depois na história da humanidade.

Regras de participação na rubrica:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte.
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
O envio dos livros é feito apenas para Portugal Continental e Ilhas.


E chegou o tão aguardado momento de revelarmos a vencedora da rubrica de Dezembro!!!!!!

A vencedora é 

Carina Pereira


A Carina vai receber um exemplar de...


Carina, tens a partir de hoje, 30 dias para enviares os teus dados para o mail do blogue.
ligialeituras@gmail.com


Por aqui estamos a ler...


E vocês, o que andam a ler??

Pois Claro!

*
* imagem retirada da net
O Dia Em Que Perdemos a Cabeça de Javier Castillo tem sido tão anunciado que já estou com a curiosidade aguçada!!
É o que dá ter um bom marketing!!


Quanto a Paolini, não sou muito de ler este género de livros, mas acho que vou arriscar esse! A ver vamos!



Também já fiz uma lista de e-books que tenho e que quero ler, falta-me dar uma olhadela pela minha estante e separar alguns livros para 2019 (como sempre não cumpro as leituras a que me proponho, mas sabe bem percorrer as lombadas, separar... ver que tenho centenas por ler).

Balanço 2018 (Lígia)



2018 foi um ano de alguma ansiedade, de muito trabalho, mas que aprendi muito e compensou muitíssimo, porque consegui atingir o que pretendia… o meu grande objectivo de 2018. No dia 4 de Novembro participei na minha primeira maratona, a Maratona do Porto e foi uma das melhores experiências da minha vida, valeu cada minuto, cada km, cada gota de suor, que levei para me preparar para esse grande momento.
Claro que conjugar a vida familiar, trabalho, o blogue e a corrida não foi nada fácil, e como se devem ter apercebido o blogue acabou por ficar para segundo plano… não que o tenha feito deliberadamente, mas ao final do dia (é quando ponho a minha leitura em dia), estava (e ainda estou) tão cansada que acabava por ser vencida pelo cansaço e adormecia.
Para o ano vou repetir tudo novamente, porque apesar de toda a ansiedade, trabalho e cansaço, foi um ano em que me senti muito feliz e realizada.

Foi dos anos em que li menos e que gostava e tinha como objectivo ler muito mais, mas digo já que não me arrependi nada… entre livros infanto-juvenis e para adultos li cerca de cinquenta e dois. A correria era tanta que consegui vencer um pouco mais que o ano passado, a minha “compulsão” na compra de livros. Conclusão… tal como no ano passado a minha estante continua com muitoooos livros que quero muitoooooo ler….


Quanto ao meu TOP, gostei de vários, vou referir três para adultos e uma coleção infanto-juvenil:

“Se Isto é uma Mulher” de Sarah Helm, de todas as obras que li sobre o Holocausto foi a que mais impressionada, chocada e revoltada me deixou, aconselho vivamente a sua leitura, mas preparem-se que não é fácil.
A Alegria de Ser Miserável” de Rute Simões Ribeiro, adoro esta autora, tem uma escrita e uma imaginação deslumbrante. Editou há pouco tempo uma pequena obra com o título “O Escritor e o Prisioneiro”.
- “Perguntem a Sarah Gross” de João Pinto Coelho, um dos livros do meu Desafio de Leituras para 2018. Adorei…
Temos autores portugueses muitíssimo bons e que são pouco valorizados. Devemos trata-los melhor e valorizar mais o seu excelente trabalho.

Quanto às leituras infanto-juvenis deste ano, resolvi apresentar as aventuras do Astérix ao meu filho, e tivemos uns valentes minutos bem divertidos todas as noites. Só hoje reparei que não apontei todos os livros que li do Axtérix.

Dia 10 de Janeiro vai estrear no cinema mais uma aventura do Astérix, e o meu filhote já me convenceu a fazer esse grande sacrifício de o acompanhar a essa sessão ;)


Quanto ao desafio de leitura de 2018 (podem ver aqui), não fui nada cumpridora, dos 12 livros li 8, por isso os restantes vão transitar para o desafio de 2019, já que me espera mais um ano de muita correria ;)

Desejo-vos a todos um bom ano e de preferência com muito boas leituras ;)



*

2018 foi um ano de muita luta, muita conquista, muita coisa nova e mudança!!
A zona de conforto, sem dúvida, voou para longe!!!!
Foi um ano de poucas leituras e as que fiz, nem coloquei aqui a opinião. Li desenvolvimento pessoal e, essencialmente, pratiquei/pratico o que aprendi! Posso dizer que foi um ano de crescimento!

Que venha 2019, a minha agenda já conta com alguns objectivos!!

Ah, é verdade, a obra que mais gostei dos poucos livros que li/ouvi foi Ensaio Sobre a Cegueira de José Saramago! Super recomendado, mesmo para quem diz não conseguir ler o autor! Também levei alguns anos a dizer isso, mas já mudei completamente de opinião! Saramago é qualquer coisa de espectacular!!


*imagem retirada daqui

FELIZ ANO NOVO!!!!!

A todos vocês um EXCELENTE 2019!!!!!





Este mês com o apoio da Editorial Presença, temos para oferecer em passatempo na rubrica de Dezembro um exemplar de Beautiful Boy de David Sheff.
Leiam as regras, participem!!



«Que aconteceu ao meu filho? E à nossa família? Que fiz eu de errado?»

Estas foram perguntas dolorosas que martirizaram David Sheff durante o longo período de dependência de drogas do seu filho Nic e de várias tentativas de recuperação.
Antes de se tornar toxicodependente, Nic Sheff era um rapaz encantador, alegre e divertido, um aluno excelente, praticante de desporto e adorado pelos dois irmãos mais novos. A toxicodepência fez dele um débil fantasma de si mesmo, que mentia, roubava e vivia na rua.
Neste livro, David Sheff descreve os primeiros sinais de aviso - a negação, os telefonemas de madrugada - «É o Nic?», «É da polícia?», «É do hospital?» -, e como a sua preocupação com Nic se tornou obsessiva, um vício em si mesmo e um peso tremendo para toda a família. Mas, graças à sua experiência de jornalista, David dedicou-se a uma intensa pesquisa de todos os meios de tratamento disponíveis que pudessem salvar o seu filho. E, mais importante ainda, recusou-se a desistir de Nic.
Autêntico e profundamente comovente, este é o testemunho da dedicação e do amor por um filho à beira do abismo.



REGRAS:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte.
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
O envio dos livros é feito apenas para Portugal Continental e Ilhas.


Por aqui estamos a ler...





E vocês o que estão a ler?

Blogger Templates by Blog Forum