"O êxito de vendas mais rápido de sempre. O livro que vai mudar para sempre o modo como vemos a vida dos outros."

Opinião:

Esta é realmente uma obra viciante. Temos 3 narradores nesta estória e através deles vamos viajando entre passado e presente, dando conta de que a vida deles não é assim tão diferente da nossa ou das vidas em geral. Talvez porque todos nós tenhamos algo em comum, por mais que queiramos ser ou parecer diferentes.
Rachel, é quem vai no comboio todos os dias para o trabalho e é aquela que observa todos os dias as mesmas pessoas. Começa a familiarizar-se com estas, projectando nas mesmas, os seus sonhos, os seus desejos e até as suas frustrações! E como o que presenciamos nem sempre é o que parece, há um desencadear de acções que tornam esta narrativa um autêntico vício.
Gostei da forma que a estória está estruturada, a alternância de capítulos que faz o leitor ficar preso e não querer sair "deste comboio"; as três mulheres que têm algo na sua vida em comum o que faz com que o leitor tenha de estar sempre atento; a forma como a autora conduz a narrativa com o objectivo de nos baralhar... as pequenas estórias, à volta da principal que faz com que esta tenha um grande impacto no final.
Gostei e recomendo!

"De leitura compulsiva, este é o thriller do momento, absorvente, perturbador e arrepiante."

Citações retiradas daqui 
Nas Livrarias a 8 de Junho 2015
pela editora TOPSELLER

Marie-Laure é uma jovem cega que vive com o pai, o encarregado das chaves do Museu Nacional de História Natural em Paris. Quando as tropas de Hitler ocupam a França, pai e filha refugiam-se na cidade fortificada de Saint-Malo, levando com eles uma joia valiosíssima do museu, que carrega uma maldição

Werner Pfenning é um órfão alemão com um fascínio por rádios, talento que não passou despercebido à temida escola militar da Juventude Hitleriana. Seguindo o exército alemão por uma Europa em guerra, Werner chega a Saint-Malo na véspera do Dia D, onde, inevitavelmente, o seu destino se cruza com o de Marie-Laure, numa comovente combinação de amizade, inocência e humanidade num tempo de ódio e de trevas.


Distinções:
- Um dos melhores livros do ano, segundo a Amazon.com
- Finalista do National Book Award 2014
- Um dos 10 melhores livros do ano, segundo o New York Times Book Review
Melhor livro de 2014 segundo a Barnes and Noble,Entertainment WeeklyThe Washington PostThe Guardian e Kirkus Review.


Toda a Luz Que Não Podemos Ver: o grande vencedor do Prémio Pulitzer 2015.

Sinopse
O pano de fundo deste romance é um Oriente efabulado, baseado no que pensamos que foi o seu passado e acreditamos ser o seu presente, com tudo o que esse Oriente tem de mágico, de diferente e de perverso. Conta a história de um homem que ambiciona ser invisível, de uma criança que gostaria de voar como um avião, de uma mulher que quer casar com um homem de olhos azuis, de um poeta profundamente mudo, de um general russo que é uma espécie de galo de luta, de uma mulher cujos cabelos fogem de uma gaiola, de um indiano apaixonado e de um rapaz que tem o universo inteiro dentro da boca.
Um magnífico romance que abre com uma história ilustrada para crianças que já não acreditam no Pai Natal e se desdobra numa sublime tapeçaria de vidas, tecida com os fios e as cores das coisas que encontramos, perdemos e esperamos reencontrar.

Opinião
Honesto. Estranho. Hipersensível.
Geralmente, não costumo falar muito das personagens quando dou a minha opinião acerca dos livros que leio. Porém, desta vez, vou comentar apenas cada uma das personagens. Para mim, faz todo o sentido, pois este livro é sobre elas e para elas e sobre o que elas representam.
Fazal Elahi. O ponto em comum entre todas as personagem. Será, porventura, a mais frágil de todas elas; aquela que, apesar de pensar pela sua própria cabeça, vive em função de todos os que o rodeiam, acabando por ser, ao mesmo tempo, um pilar e o epicentro de um terramoto que tende em atormentá-lo.
Badini. Trata-se da minha personagem preferida. É primo do anterior e aquele que o chama à razão, sempre sem voz, sempre com lucidez. É aquele homem que tem tudo para ser infeliz, embora seja o único que consegue viver com essa infelicidade, tornando-a no oposto.
Aminah. Irmã de Fazal Elahi e também aquela que nega tudo aquilo que deseja, refugiando-se em quantidades astronómicas de açúcar, que por sua vez lhe dão cabo dos dentes. É a mulher que tenta ser má, mas cujo karma não lhe devolve esse mesmo desejo.
Bibi. A mulher de Fazal Elahi, a mesma que, ao contrário da cunhada, não se nega àquilo com que sonha ser.
Salim. Filho de Fazal Elahi, que pensa que é um avião.
Isa. Filho adoptivo de Fazal Elahi, o americano que não é, mas sabe todas as coisas de um mundo que cabe dentro da sua boca.
General Krupin. Amigo do pai de Fazal Elahi, o homem que vence tudo e todos, aquele seria uma espécie de ditador numa feroz ditadura e que pensa que o sofrimento torna os seres vivos mais aptos a enfrentar a adversidade.
Dilawar Krupin. O filho do general. É o produto mais fraco de alguém que quer tornar a descendência mais forte.
Há ainda o hindu de espírito livre que se transforma por amor, o muçulmano que odeia todos os que não são muçulmanos e o padre católico que chegou até àquelas terras como consequência de uma viagem improvável que o seu pai realizou.
Este livro mistura os impossíveis de um mundo incompreensível, doente e corrompido. É uma excelente leitura e uma óptima companhia, nem sempre alegre, mas óptima na mesma.

Como sabem, neste mês de Maio, e com o apoio da Editorial Presença, temos para oferecer aos participantes da rubrica em sorteio um exemplar da obra "Toda a Luz Que Não Podemos Ver" de Anthony Doerr:




Durante esta semana estaremos a ler...


E vocês, que leituras estão a fazer??
Há muitos anos, Lois Brandt espreitou o frigorífico da sua melhor amiga e encontrou nas prateleiras quase vazias apenas um pequeno pacote de leite. A família da melhor amiga não tinha dinheiro suficiente para comprar comida.



Este episódio inspirou a autora a escrever O Frigorífico da Magui como forma de abordar o tema da fome e da pobreza infantil, um flagelo que afeta milhões de crianças em todo o mundo, não só nos países em desenvolvimento mas também nos países desenvolvidos, principalmente naqueles afetados pela crise de 2008, como Portugal.

Lois Brandt procurou com este livro chamar a atenção para a questão da pobreza infantil, bem como desenvolver iniciativas que ajudassem a transformar palavras em ações.

A Sofia e a Magui vivem no mesmo bairro, brincam no mesmo parque e andam na mesma escola. Mas, enquanto o frigorífico da casa da Sofia está cheio, o da casa da Magui está vazio — completamente vazio.
A Sofia descobre que a família da Magui não tem dinheiro, e que é por esse motivo que tem o frigorífico tão vazio. A Sofia quer muito ajudar a amiga, mas como prometeu não contar a ninguém, vê-se perante um dilema: manter a promessa que fez, ou contar à mãe que a Magui precisa de ajuda.



«Este livro é notável. As ilustrações luminosas e agradáveis suavizam o tema da história, ao mesmo tempo que transmitem os complicados sentimentos das personagens, como a preocupação e a vergonha. Uma forma profunda de tratar o tema da fome infantil.» - Kirkus Reviews

«Uma história que poderia ser apenas uma mensagem sobre a fome. Em vez disso é um livro sobre duas melhores amigas que cuidam uma da outra.» - Kid-Lit-Reviews.com

Vencedor do Christopher Award, em 2015, está nomeado para o Washington Children's Picture Book Award. Em 2014 foi distinguido com o Top Mighty Girl Book For Younger Readers.

O Frigorífico da Magui é pois um livro relevante que pode ser lido em casa ou na sala de aula, sensibilizando crianças e adultos para o tema.


Lois é professora e inspira-se muito em imagens e em acontecimentos da vida para criar histórias para crianças. Vive em Seattle, nos EUA, com o marido e os filhos. O Frigorífico da Magui é o seu primeiro livro infantil ilustrado, com o qual já venceu inúmeros prémios. Visite o site oficial da autora em www.loisbrandt.com.

*Texto retirado da informação enviada pela editora.

Promoções #22

A D. Quixote e Fnac, hoje e amanhã:



Há muito para aproveitar. Eu estou a pensar no Jonathan Franzen.


Como sabem, neste mês de Maio, e com o apoio da Editorial Presença, temos para oferecer aos participantes da rubrica em sorteio um exemplar da obra "Toda a Luz Que Não Podemos Ver" de Anthony Doerr:



Durante esta semana estaremos a ler livros tipicamente de fêmea e de macho. Facilmente adivinharão quem estará a ler qual.

 

E por aí?
(Mas alguém lê Jodi Picoult?)

Nova Trilogia - Ken Follet

Parece que vamos ter nova trilogia, títulos que serão lançados em 
2017, 2020 e 2023



"Estes três livros serão 'thrillers' históricos extensos, escritos no mesmo registo da série Kingsbridge, a cidade ficcional da epopeia medieval escrita por Follett. O primeiro título será, aliás, uma sequela de 'Os pilares da Terra' (1989) e de 'Um mundo sem fim' (2008), dois livros de culto no mundo inteiro", disse a mesma fonte.*
A notícia completa aqui

visto aqui
*retirado daqui
E cá temos uma ARC

Advance Reading Copy


Como já vos disse o livro só chega às nossas livrarias no dia 8 de Junho. No entanto, a editora vai mandar-nos uma ARC para lermos!

Aqui no blogue, teremos duas opiniões, a minha e a do Vasco!

Laço - E-books


Porque há que divulgar!




* visto aqui
Por certo já viu algures esta capa, este título!!

"The Girl on The Train"

está a ser um sucesso junto dos leitores dos EUA e Inglaterra!!

Por cá, a TopSeller vai colocá-lo nas livrarias a 8 de Junho!!

Que a contagem decrescente comece!!



O êxito de vendas mais rápido de sempre. O livro que vai mudar para sempre o modo como vemos a vida dos outros.
Todos os dias, Rachel apanha o comboio...


No caminho para o trabalho, ela observa sempre as mesmas casas durante a sua viagem. Numa das casas ela observa sempre o mesmo casal, ao qual ela atribui nomes e vidas imaginárias. Aos olhos de Rachel, o casal tem uma vida perfeita, quase igual à que ela perdeu recentemente.



Até que um dia... 

Rachel assiste a algo errado com o casal... É uma imagem rápida, mas suficiente para a deixar perturbada. Não querendo guardar segredo do que viu, Rachel fala com a polícia. A partir daqui, ela torna-se parte integrante de uma sucessão vertiginosa de acontecimentos, afetando as vidas de todos os envolvidos.
De leitura compulsiva, este é o thriller do momento, absorvente, perturbador e arrepiante.

O Cavaleiro Andante...

Por 10,00€
Simplesmente irresistível!

Edição Especial dos 50 anos da editora D. Quixote

 Mais uma Segunda, mais um mês...
Venham eles recheados de leituras!!


 Este mês, e com o apoio da Editorial Presença, temos para oferecer aos participantes da rubrica em sorteio, um exemplar da obra "Toda a Luz Que Não Podemos Ver" de Anthony Doerr

A obra está disponível nas livrarias a partir de dia 6 de Maio!




Sinopse
Marie-Laure é uma jovem cega que vive com o pai, o encarregado das chaves do Museu Nacional de História Natural em Paris. Quando as tropas de Hitler ocupam a França, pai e filha refugiam-se na cidade fortificada de Saint-Malo, levando com eles uma joia valiosíssima do museu, que carrega uma maldição. Werner Pfenning é um órfão alemão com um fascínio por rádios, talento que não passou despercebido à temida escola militar da Juventude Hitleriana. Seguindo o exército alemão por uma Europa em guerra, Werner chega a Saint-Malo na véspera do Dia D, onde, inevitavelmente, o seu destino se cruza com o de Marie-Laure, numa comovente combinação de amizade, inocência e humanidade num tempo de ódio e de trevas.

Críticas de imprensa
«Impressionante e inspirador…»
Entertainment Weekly

«Grandioso.»
The Guardian

«Provavelmente o melhor livro que vai ler este ano.»
Washington Post 

«Minucioso... Uma reflexão sobre o destino, o livre arbítrio, e o modo como, em tempo de guerra, as pequenas escolhas podem ter grandes consequências.»
The New Yorker

«Realidade e ficção histórica misturam-se - transmissões de rádio secretas, um diamante amaldiçoado, as dúvidas mais profundas de um soldado - num livro convincente e, ao mesmo tempo, doce e amargo.»
People

Relembrando as regras para a atribuição do livro:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
A partir de 2015, o envio dos livros são feitos apenas para Portugal Continental e Ilhas.


O vencedor do sorteio, referente à rubrica do mês de Abril, é

Soraia Gomes

 que vai receber a obra "Eu Sou Malala"

Parabéns Soraia, agora tens de enviar os teus dados para 
viajarpelaleitura@gmail.com




Nós por aqui estamos a ler...


E vocês, que viagens andam a fazer??
Opinião:
Como já tinha referido, no artigo de divulgação deste livro, este é um tema que me interessa. Tudo o que diga respeito a Feng Shui, Reiki, ambientes calmos e agradáveis, já lá estou para ler sobre o assunto. O facto é que não se pode conseguir nada com o que eu referi anteriormente se não soubermos arrumar a nossa casa. Porque nada funciona no meio da confusão.
Arrumar a casa por um dia é uma coisa, arrumar a casa para a vida é outra completamente diferente. E este livro fala exactamente disto. Quantas vezes organizamos o nosso espaço e no dia seguinte parece que a casa ganhou vida e voltou tudo ao mesmo? O segredo está no “por para o lixo” (salve seja que podemos dar a quem precisa) tudo o que NÃO NOS FAZ FALTA, mas que pensamos, ser imprescindível, para a nossa vida, para o nosso dia a dia. E isto de dar, não diz respeito só a roupa, brinquedos (que têm anos sem fim). Diz também respeito aos livros (imaginem vocês, aos livros) fiquei incrédula, é que me podem tirar sapatos e malas, mas os meus livros nãooooo! Depois e pensando bem, é justo, certo?
Marie Kondo, defende que se temos livros por ler há mais de 3 anos (certamente nunca os iremos ler, eu sei que há excepções, mas grosso modo será assim) e se temos outros tantos que já lemos, mas que não temos intenção de reler, temos de os dar! Claro que Kondo explica, aconselha e faz-nos perceber que temos de ter um pouco de sentido de desapego de certos objectos. Porque no geral não devemos manter em casa aquilo que não nos faz feliz!

Esta foi uma leitura que muito me agradou e aconselho a todos – a quem já sabe dar e arrumar ou a quem ainda anda a aprender!



Este mês, e com o apoio da Editorial Presença, temos para oferecer aos participantes da rubrica em sorteio, um exemplar da obra "Eu Sou Malala" 



Relembrando as regras para a atribuição do livro:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
A partir de 2015, o envio dos livros são feitos apenas para Portugal Continental e Ilhas.

Esta semana estamos a ler...

  

E por aí?

Oh yeah




E o moço de xadrez é o grande Mia Couto que, penso, todos conhecem!

Por acaso hoje li um texto, que foi partilhado no facebook, de autoria de Mia couto.
Um texto que nos mostra uma vez mais que este homem para além de grande escritor é também uma grande pessoa!
Fica o link para para poderem ler!

Este mês, e com o apoio da Editorial Presença, temos para oferecer aos participantes da rubrica em sorteio, um exemplar da obra "Eu Sou Malala" 



Relembrando as regras para a atribuição do livro:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
A partir de 2015, o envio dos livros são feitos apenas para Portugal Continental e Ilhas.

Esta semana continuamos com:


E por aí?
Não sei se isto se passa com vocês, mas eu não consigo "circular" em casa, sem esta estar arranjada. Da mesma maneira que arrumando a casa, a organização da vida no dia a dia parece mais fácil. 
Sinto que se sair e deixar tudo arrumado logo pela manhã, o dia corre certamente melhor, do que sair com tudo fora do sítio. Nem sempre o tempo ajuda (ou melhor a nossa gestão do tempo), mas sempre que possível é de louvar!
Este livro é uma novidade da Pergaminho para este mês, e chamou-me a atenção, precisamente pelo seu título.
Vou ler!


«Cada coisa no seu sítio!»… quantas vezes não ouvimos as nossas mães ou avós a dizer isto?
A verdade é que, no tempo delas, era mais fácil fazê-lo; elas não viviam rodeadas dos gadgets e dos mil e um pequenos objetos que «atafulham» as nossas casas, nem tinham saldos várias vezes por ano para encher os armários de roupa que nunca se chega a vestir…
Temos de o admitir: hoje em dia, a maior parte de nós tem a casa cheia de «tralha». E o problema é que essa tralha que nos rodeia tem uma influência muito subtil mas profundamente negativa na nossa qualidade de vida. Habitar um espaço desordenado faz-nos ser mais desorganizados na maneira de pensar e de nos comportarmos.*

*informação retirada da editora

Ui que vão falar...

Ora aqui está uma notícia, pela qual já todos esperávamos...
"Prometo Falhar" é um livro muito falado e lido!!
Uns gostam, outros adoram e ainda há quem ache que a obra não tem nada de literatura. Ou seja, não é por estar em formato livro que é literatura!
Enfim, eu não li, mas tenho a dita em casa e prometo não falhar esta leitura!

*

*

Por aqui, damos os parabéns ao autor!

Blogger Templates by Blog Forum