Não sei se isto se passa com vocês, mas eu não consigo "circular" em casa, sem esta estar arranjada. Da mesma maneira que arrumando a casa, a organização da vida no dia a dia parece mais fácil. 
Sinto que se sair e deixar tudo arrumado logo pela manhã, o dia corre certamente melhor, do que sair com tudo fora do sítio. Nem sempre o tempo ajuda (ou melhor a nossa gestão do tempo), mas sempre que possível é de louvar!
Este livro é uma novidade da Pergaminho para este mês, e chamou-me a atenção, precisamente pelo seu título.
Vou ler!


«Cada coisa no seu sítio!»… quantas vezes não ouvimos as nossas mães ou avós a dizer isto?
A verdade é que, no tempo delas, era mais fácil fazê-lo; elas não viviam rodeadas dos gadgets e dos mil e um pequenos objetos que «atafulham» as nossas casas, nem tinham saldos várias vezes por ano para encher os armários de roupa que nunca se chega a vestir…
Temos de o admitir: hoje em dia, a maior parte de nós tem a casa cheia de «tralha». E o problema é que essa tralha que nos rodeia tem uma influência muito subtil mas profundamente negativa na nossa qualidade de vida. Habitar um espaço desordenado faz-nos ser mais desorganizados na maneira de pensar e de nos comportarmos.*

*informação retirada da editora

Ui que vão falar...

Ora aqui está uma notícia, pela qual já todos esperávamos...
"Prometo Falhar" é um livro muito falado e lido!!
Uns gostam, outros adoram e ainda há quem ache que a obra não tem nada de literatura. Ou seja, não é por estar em formato livro que é literatura!
Enfim, eu não li, mas tenho a dita em casa e prometo não falhar esta leitura!

*

*

Por aqui, damos os parabéns ao autor!

Harper Lee

Quem já não ouviu falar na senhora Harper Lee e na sua famosa obra

Por Favor Não Matem a Cotovia??


Li em 2011 e ficou como um dos meus livros preferidos.
Atticus é um personagem difícil de esquecer!!


Tudo indicava que esta era a única obra de Lee. No entanto, e ao que parece, vamos ter nova obra da autora!!!
"Go Set a Watchman" vai ser publicado a 14 de Julho nos países de língua inglesa.


Por cá, tudo indica que será a Editorial Presença a colocar a obra nas livrarias!!
E pronto, resta esperar!!

Fica o link da minha opinião a "Por Favor Não Matem a Cotovia" para quem quiser espreitar!

informações retiradas daqui

Quem é quem? XVI

Alguém saberá dizer quem é o jovem de camisa xadrez na foto??
Pista: 
Um escritor ^_^


Meia Maratona de Barcelos

Sabes, Paula, apesar dos teus desejos para o meu insucesso, bati o meu recorde da distância. Como diz a minha Bianca: "olha, azar".
Já viste que fresquinho que estou depois dos 21.1 km percorridos em 1h38min31seg e debaixo de um sol intenso (27º)?


Sabes que estenderam a passadeira vermelha só para eu passar, certo?

Jodi Picoult, Tempo de Partir

A 15 DE ABRIL DE 2015 NAS LIVRARIAS

A Editorial Presença lança a mais recente obra de 
Jodi Picoult

Tempo de Partir


Vou ler esta obra, porque sou fã da autora. As suas obras são excelentes!

Sinopse
Durante mais de uma década, Jenna Metcalf não deixa de pensar na sua mãe, Alice, que desapareceu em misteriosas circunstâncias na sequência de um trágico acidente. A criança que era então não conservou lembranças dos acontecimentos, mas Jenna recusa-se a acreditar que a mãe a tivesse abandonado e relê constantemente os diários que ela escrevia com as observações da sua pesquisa sobre elefantes, tentando encontrar uma pista oculta. 
Desesperada por obter respostas, Jenna contrata dois improváveis ajudantes, uma médium famosa por encontrar pessoas desaparecidas e um detetive que já tinha estado envolvido na investigação do desaparecimento de Alice, e parte determinada a descobrir a verdade.

Opiniões minhas a outros livros de Jodi Picoult:

Este mês, e com o apoio da Editorial Presença, temos para oferecer aos participantes da rubrica em sorteio, um exemplar da obra "Eu Sou Malala" 




Relembrando as regras para a atribuição do livro:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
A partir de 2015, o envio dos livros são feitos apenas para Portugal Continental e Ilhas.

Esta semana, estamos a ler...

 

E vocês, que viagens andam a fazer?

Opinião da Paula:
Esta obra de Junichirõ Tanizaki trata essencialmente dos opostos, que se atraem e que se tornam a afastar. Kaname e Misako (marido e mulher) são opostos, nos seus gostos, nos seus prazeres e até nos seus valores. Tem consciência que o são e no entanto atraem-se mutuamente, não se conseguem separar: Marido e mulher que não se olham, que falam com o olhar no horizonte ou simplesmente, no nada.
Por outro lado temos Osaka e Tóquio - o antigo e o moderno, por conseguinte as duas cidades completam quem já morou nelas, quem já vivenciou as suas tradições e não é capaz de as esquecer. Porque o passado e o presente jamais podem ser apagados. E como se todas as comparações e paralelismos entre estas cidades não bastassem, há ainda as modernices do Ocidente para atormentar os nossos personagens. As urtigas, a que o título faz referencia, tem nesta obra várias conotações. Podem fazer referencia tanto a Osaka e a sua paragem no tempo, como às transformações de Tóquio, ao Ocidente e à sua influencia ou ainda aos adeptos da mudança e a todas as consequências que esta acarreta.  Todos estes antagonismos reflectem-se na vida dos personagens desta obra.
A complexidade do casamento é aqui dissecada por Tanizaki através do seu personagem Kaname. A busca da mulher ideal, faz com que Kaname veja o seu casamento como algo tolerável, a ausência de sentimentos é palpável, o desejo sexual é nulo, no entanto, é para o nosso personagem masculino um mal necessário, algo de que não se consegue desvincular. O impacto da separação é também abordado, os filhos, a sociedade, a família... Acho que se pode dizer que não há jardim sem urtigas, caso este não seja tratado, assim como não há vida plena sem que esta seja cuidada por nós ao pormenor!
Esta é uma obra assolada de dúvidas e questões colocadas pelo próprio Junichirõ Tanizaki.
Gostei muito.

Opinião do Vasco
Este não foi um livro que me tenha agradado particularmente, apesar de ter sido eu a sugeri-lo para a leitura conjunta. Trata-se de uma obra que fala de contrastes. Imensos contrastes, entre gerações, entre povoações, entre mentalidades, entre pensamentos, entre formas de estar, entre prazeres, entre sentimentos. E a verdade é que “Alguns Preferem as Urtigas” acabou por me cansar por isso mesmo. Porque o casal nunca chega a entrar em sintonia, embora seja essa mesma distância que existe entre homem e mulher que os mantém sempre presos um ao outro. Portanto, esse vaivém eterno que não é nada mas não chega a ser alguma coisa não faz parte daquilo que me agrada numa leitura.
Opinião:
As Esquinas do Tempo é uma belíssima narrativa sobre aqueles que são capazes de viajar no tempo - um tempo que pode ter sido ou não vivido pelos próprios.
Margarida, personagem principal, certo dia e por motivos profissionais faz uma viagem a Vila Real e fica hospedada numa casa antiga, ao acordar vê-se transportada para um tempo que não é o dela, mas ao que tudo indica já foi da sua família. Constata que o seu amor do presente é também o amor que ela agora vive naquela tempo estranho, mas do qual tanto gosta. Margarida identifica-se tanto com aquela época que quando retorna à sua realidade é-lhe difícil suportar o que deixou para trás. Talvez porque no passado houvesse menos superficialidade e as amizades e relações fossem mais verdadeiras.
É um livro de leitura fácil que absorve a nossa atenção!
Gostei muito e recomendo!





Este mês, e com o apoio da Editorial Presença, temos para oferecer aos participantes da rubrica em sorteio, um exemplar da obra "Eu Sou Malala" 



Relembrando as regras para a atribuição do livro:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
A partir de 2015, o envio dos livros são feitos apenas para Portugal Continental e Ilhas.

Esta semana, estamos a ler...




O vencedor do livro O Miniaturista de Jessie Burton referente ao sorteio do mês de Março  é Bela.



Bela, parabéns, agora só tem de enviar os seus dados para o mail viajarpelaleitura@gmail.com

E vocês, nossos visitantes e seguidores, o que estão a ler esta semana?

Jamie Kimmett

Quando estive em Londres, este rapaz estava a tocar mesmo em frente ao Big Ben. 


Fiquei impressionado, claro. Por isso comprei-lhe um CD por 5 libras. Tinha apenas 4 músicas. Mas, caramba, foi das melhores compras que fiz nos últimos tempos. Comparável a essa compra só mesmo as minhas sapatilhas de corrida da Mizuno e os livros do Murakami, Coe e Bukwoski.

Ora ouçam a ver se não concordam comigo:


O moço chama-se Jamie Kimmett e provavelmente não tardará a ser uma estrela.


Manoel de Oliveira 1908-2015




"Uma homenagem a Manoel de Oliveira"

técnica mista sobre MDF
Novembro de 2012
Porque já passou o dia das mentiras (aqui nos Açores dizemos dia das "petas") e como vocês todos já sabiam, nós obviamente não encerramos o blogue 
^_^
Eu vou aguentando o Vasco...


Então, sorteamos este livro entre todos os que comentaram o post intitulado "Comunicado" e o livro vai para...a Célia.

Parabéns Célia, agora tens de me enviar a tua morada para viajarpelaleitura@gmail.com

Comunicado

É com muita pena minha que comunico aos nossos visitantes e seguidores que hoje o blogue encerra.
Isto de ter um blogue administrado por duas pessoas é complicado. Eu digo uma coisa, o Vasco não concorda, diz outra... enfim... é como o meu pai diz "meias são para as pernas" por isso ter um blogue a meias não dá certo! Está visto!
Foi bom estar por aqui 6 anos, conheci gente nova, gente boa, anónimos simpáticos, outros antipáticos, mas todos bem vindos.
Vou continuar no facebook para quem quiser continuar a acompanhar as minhas leituras, penso que o Vasco também continuará por lá... aqui é que sinceramente não dá mais!!! 
Um abraço a todos e vemo-nos por aí!



O Miniaturista, Jessie Burton

Opinião:
O Miniaturista de Jessie Burton faz-nos viajar até Amesterdão, sec XVII e para o seio da família de Johannes Brandt, um próspero mercador que recentemente casou. Damos conta, de que a sua mulher, vinda de famílias humildes, vê no casamento a esperança de ser feliz ao lado de um homem que pretende amar. Nella Oortoman, olha para tudo e todos com simplicidade e espanto menos para a sua cunhada, que logo se apresenta fria e desprovida de sentimentos (assim parece) e detentora do controlo da casa.
A narrativa, verdadeiramente começa, quando Johannes oferece a Nella uma miniatura da casa onde vivem. A ela, essa peça parece-lhe um labirinto sem saída, uma casa de bonecas para alguém mais novo - uma oferta para ser feita a uma criança e não a uma adulta. Porém, é esta casa que começa a dar as primeiras pistas do futuro que se avizinha para esta família. Um futuro perigoso e cheio de mistério para os habitantes daquela mansão.
Com a sua escrita graciosa e envolvente, Jessie Burton envolve-nos nesta leitura.
Gostei.

O livro aqui na editora




Este mês, como muitos de vocês já sabem, com o apoio da Editorial Presença, temos para oferecer (em sorteio) um exemplar do livro "O Miniaturista" de Jessie Burton aos participantes da rubrica.


Relembrando as regras para a atribuição do livro:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
A partir de 2015, o envio dos livros são feitos apenas para Portugal Continental e Ilhas.


Esta semana, nós continuamos a ler "Alguns Preferem as Urtigas" Junichiro Tanizaki para a nossa leitura conjunta aqui no blogue.



Que leituras andam vocês a fazer?

Leituras...

Neste Domingo...


Read Much

Foda-se

Luís Miguel Rocha, autor mundialmente reconhecido, faleceu nesta quinta-feira em Viana do Castelo, vítima de doença prolongada. Tinha apenas 39 anos. 


Um abraço, Luís.

Por norma, costumamos comunicar o vencedor de alguns prémios importantes. Mas, desta vez, por via das dúvidas e caso não ganhe, gostaríamos de destacar a presença de Mia Couto no lote restrito dos dez finalistas.

Dos restantes eleitos, três deles foram publicados em Portugal: César Aira (Assírio & Alvim), Amitav Ghosh (Editorial Presença) e Alain Mabanckou (Europress).



Recentemente vi o filme baseado na obra de Somerset Maugham - O Véu Pintado (leitura esta que adorei e recomendo).



Se fizerem uma pesquisa, o filme está disponível na integra no YouTube.
Aconselho!!

A minha opinião ao livro aqui

Se gostei mais do livro ou do filme?
Eu já li a obra há 3 anos, por isso gostei muito, certamente se o tivesse visto logo após a leitura não ia gostar tanto...
Somerset escreve de forma fenomenal e tudo o que ele consegue incluir na escrita será impossível de passar para a grande tela, no entanto, e como já referi, gostei bastante do filme.


Já muito se falou deste livro que, um dia, a Tinta da China decidiu publicar. Trata-se de um relato que põe a nu uma boa parte dos problemas da sociedade angolana, bem como de todas as outras que com ela se fundem de forma a garantir um enriquecimento fácil e rápido a todos aqueles que não olham a meios para atingir os seus fins.
"Diamantes de Sangue" foi lançado há cerca de quatro anos, depois foi retirado do mercado devido a uma acção judicial e, por fim, recolocado nas livrarias quando a justiça deu razão a Rafael Marques - autor e jornalista - e a Bárbara Bulhosa - editora.
Em Portugal, o tribunal deu razão ao autor. Porém, no dia em que o próprio começou a ser julgado em Angola, a editora resolveu disponibilizar o livro na integra em formato digital: aqui.
Haja coragem para denunciar, haja vontade para ler.



Esta semana, estamos a ler "Alguns Preferem as Urtigas" Junichiro Tanizaki



Este mês, com o apoio da Editorial Presença, temos para oferecer (em sorteio) um exemplar do livro "O Miniaturista" de Jessie Burton aos participantes da rubrica.




Relembrando as regras para a atribuição do livro:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
A partir de 2015, o envio dos livros são feitos apenas para Portugal Continental e Ilhas.

E vocês, que viagens programaram para esta semana?

Orientações...


Sol de infância...

The Sower 
by Vicent Van Gogh


"Uma pessoa só dá valor ao sol da infância quando o perde (...) quando perde o chão que sempre pisou, as mãos que pegaram nela, a casa em que cresceu. Quando parte para sempre, quando forças alheias a empurram e tem a certeza de que nunca voltará"

In Recomeçar, María Dueñas


O Pintassilgo, Donna Tartt

Opinião:
De Donna Tartt li "A História Secreta" e "O Amigo". Em relação à primeira obra, adorei. Esta é, para mim, uma referência, sempre que ouço falar na autora! Em relação à segunda que mencionei, li mas não gostei!
Quanto ao tão aguardado "O Pintassilgo", acho que esta narrativa tinha tudo para ser excelente, se Tartt não lhe tivesse "atribuido" oitocentas e noventa e cinco páginas! Peca pelo tamanho e por dezenas de páginas que, na minha opinião, não têm interesse nem contribuem para o enredo principal!
As primeiras quatrocentas páginas, lemos com grande entusiasmo e avidez. São estas páginas que nos fazem entrar na história e ficar agarrada aos personagens e a querer saber mais sobre eles! Isso é conseguido!
A história começa com uma explosão no Metropolitan Museum of Art em Nova Iorque, no qual o nosso personagem principal (Theo Decker) está com a mãe e onde esta, fatalmente, morre. Sendo, também este, o local onde Decker comete um delito que o manterá preso ao passado (como uma tábua de salvação), Theo, rouba um quadro intitulado "O Pintassilgo" de Carel Fabritius, discípulo Rembradt e mestre de Vermeer. É uma narrativa rica em pormenores, que nos fala de amizade, amor e sobrevivência de uma forma detalhada e cinematográfica...
A escrita de Tartt é MAGNÍFICA, isso ninguém lhe tira, só que Tartt escreve obras enormes e isto às vezes não é uma mais valia, sobretudo quando não acrescenta nada à história, como é o caso (na minha opinião) desta obra. Apesar de Donna Tartt, pecar pela extensão desta narrativa, gostei de reler a autora!


O livro aqui na editora

No dia do pai...uma foto nossa...


Neste dia especial, fica uma foto minha e do meu pai no Zoo de Lisboa por volta de 1980.
(sim, eu pareço um rapaz!)

I
You Dad!



Paula, não achas que o Wembley (sabes o que é, certo?) tem mais estilo quando eu estou a pisar aquela relva?



Espaço mágico...


O vencedor é

Rosária Pereira

Parabéns à vencedora e boas leituras ;)
Opinião: 
Patrick Modiano, com esta obra, deixa-nos um testemunho do que foi a perseguição, as punições e as injustiças contra os judeus em Paris.
Tentando reconstruir o que terão sido os passos de Dora Bruder, (judia) após o seu desaparecimento, Modiano evoca e mostra-nos todo o sofrimento de um povo que foi vítima de uma guerra que maltratou os seus, ao mesmo tempo que nos mostra a forma fria e desumana com que outros acatavam e desempenhavam ordens, matando, ferindo e fazendo desaparecer pessoas inocentes.
Não há muito mais a dizer sobre este livro, a não ser referir que esta é uma obra excelente, digna de ser lida por todos nós!
Em relação à escrita do autor, como sempre, é formidável!

Aconselho!

Sinopse:
Anos atrás, o narrador depara-se com um anúncio publicado no Paris-Soir de 31 de dezembro de 1974: «Procura-se uma rapariga, Dora Bruder, de 15 anos…» Quem era Dora Bruder? Desde esse dia, o destino da jovem judia enredada nas malhas da ocupação nazi nunca mais o largou, obcecado que estava em reconstruir a sua história até aos momentos finais no campo de Auschwitz.


Este livro (como aliás, toda a obra do autor) é assim um combate contra o esquecimento, uma afirmação portentosa dos caminhos redentores da memória – contra tudo aquilo que nos macula e destrói. Com ele, Modiano escreveu porventura a sua melhor obra – e uma das mais notáveis da moderna literatura francesa. 

Como vocês já sabem, este mês a Editorial Presença oferece, em sorteio, aos participantes da rubrica um exemplar do livro O Miniaturista de Jessie Burton.




Podem consultar as regras para a atribuição do livro aqui

Nós, estamos a ler...


E vocês que livros escolheram para esta semana?

Blogger Templates by Blog Forum