Confissões de Inverno, de Brendan Kiely, nas livrarias a 20 de Janeiro de 2017
Um romance ousado que explora o tema inquietante do abuso sexual a jovens no seio da igreja católica




Confissões de Inverno é o romance de estreia de Brendan Kiely, uma obra pujante sobre o retrato multidimensional de um jovem adolescente que lida com os desafios implacáveis da passagem para a idade adulta. Este é um livro que explora vários temas sensíveis: a crise de identidade, o desmoronamento familiar, a falta de redes de apoio, a ausência de um sentido de pertença, o consumo de drogas e ainda o abuso sexual no seio da igreja católica.  

Aidan é o protagonista deste livro, um jovem vulnerável que encontra no padre Greg um amigo e confidente, mas cujo elo de confiança é quebrado de forma trágica.


Brendan Kiely é natural de Boston, cidade norte-americana onde, em 2002, rebentou o escândalo dos abusos sexuais por padres católicos.

by Monet



BARCO

Margens inertes abrem os seus braços 
Um grande barco no silêncio parte. 
Altas gaivotas nos ângulos a pique, 
Recém-nascidas à luz, perfeita a morte. 


Um grande barco parte abandonando 
As colunas de um cais ausente e branco. 
E o seu rosto busca-se emergindo 
Do corpo sem cabeça da cidade. 



Um grande barco desligado parte 
Esculpindo de frente o vento norte. 
Perfeito azul do mar, perfeita a morte 
Formas claras e nítidas de espanto. 

Sophia de Mello Breyner Andresen*

Visto aqui 

Quem é quem? XXIX - Especial

E este é um "Quem é quem?" especial. 
Toda a gente sabe de quem se trata,  mas não podia deixar de ficar registado :)

Vamos sentir saudades!!!

O Coração é o Último a Morrer é a nova distopia de Margaret Atwood

2017 é o ano da escritora canadiana, com dois livros a serem adaptados a séries de televisão





Margaret Atwood, uma das mais aclamadas autoras mundiais, lança pela Bertrand Editora o seu novo romance, a distopia O Coração é o Último a Morrer. O livro chega hoje às livrarias.

Margaret Atwood é conhecida pelas suas histórias de caráter futurista e especulativo, mas com uma fortíssima componente de atualidade, e nesta obra o enredo assenta sobre o desespero de pessoas comuns afetadas pela crise económica mundial. Nas palavras do jornal britânico The Guardian, que tão bem descreve este livro, O Coração é o Último a Morrer é «uma distopia clássica de Atwood que se transforma numa aventura selvagem e surreal que examina o auto-engano e o controle corporativo».
Opinião:
Iniciei a leitura desta obra, porque li na sinopse, uma frase, que me chamou a atenção "(...) na imaginação das pessoas, a surdez é cómica, enquanto a cegueira é trágica". Se reflectirmos sobre a frase, podemos concluir que ela tem a sua ponta de verdade.  Até porque se poderia pensar em pregar uma partida a um surdo, mas jamais se pensaria em pregar uma rasteira a um cego. No entanto, ambos os sentidos são de igual forma importantes e a perda de um deles é trágica de forma igual.
Aqui, o nosso personagem principal é Desmond e através dele, ficamos a conhecer e a compreender um pouco mais da dificuldade que é começar a perder a audição. Ele mostra-nos, de forma clara, quais os maiores entraves/medos desta perda a vários níveis: social, escolar, familiar...
Desmond é um personagem muito bem caracterizado, alegre, muito inteligente e acima de tudo, um ser que sabe envelhecer com sabedoria (oxalá todos saibamos um dia).
Adorei ler esta obra!


Adaptado à grande tela e em exibição a 27 de Julho em Portugal

Visto aqui no blogue Estante de Livros



A nossa opinião ao livro aqui
Há uns dias atrás, estava eu a navegar na net, quando me deparei com uma lista de livros. A famosa, ou uma das famosas listas de 1001 livros para ler antes de morrer. Por curiosidade, fui apontando os livros que já li (59) e os que tenho em casa, mas por ler (52).
Depois de apontar, decidi partilhar com vocês (aqueles que tenho em casa por ler) ^_^
Fica então a foto dos meus apontamentos!
(clicar na imagem para aumentar)






Desta lista não tenho os assinalados no ponto 11 e no 12. Apontei porque pretendo adquirir!
O Filho, de Philipp Meyer, adaptado para série de televisão, com estreia em Portugal prevista para Abril no canal AMC  

Pierce Brosnan interpreta Eli McCullough, o carismático patriarca da família




O Filho, obra finalista do Prémio Pulitzer, da autoria de Philipp Meyer, e publicada em Portugal pela Bertrand Editora, vai chegar às televisões portuguesas em abril. O livro foi adaptado para uma série de televisão de 10 episódios e tem como protagonista o ator Pierce Brosnan, conhecido pelo seu papel como James Bond em 007 – O Amanhã Nunca Morre ou por filmes como O Caso Thomas Crown.

É no canal AMC que a série será transmitida.


O Filho é uma obra-prima inesquecível na grande tradição do cânone americano.
A poucos dias de deixar a Casa Branca, Barack Obama revelou ao New York Times o segredo do seu equilíbrio ao longo dos oito anos de presidência: os livros.

Para o ainda Presidente dos EUA, os livros permitiram-lhe muitas vezes abrandar e ganhar novas perspetivas e diferentes apreciações sobre as complexidades e ambiguidades da condição humana. Uns foram a maneira de mudar o registo da documentação política que tinha que estudar; outros serviram para melhor compreender a vida de outras pessoas noutros lugares; outros ainda para resistir e combater visões do mundo mais cínicas e realistas – exemplo destes é «A Curva do Rio», de V.S. Naipaul, publicado pela Quetzal em 2011.


Saul Bellow, também autor da Quetzal, mereceu igualmente uma menção de Obama. Como um dos temas centrais da escrita de Bellow – de grande parte da Literatura Americana, aliás –, o Presidente referiu as histórias dos que se sentem à margem e buscam um lugar a que possam pertencer, sem saberem bem o que estão a perder pelo caminho.
E acrescentou: «Num tempo em que a maior parte das nossas políticas tenta lidar com o choque de culturas provocado pela globalização, tecnologia e migração, o papel unificador das histórias – por oposição à divisão, que envolve em vez de marginalizar – é mais importante do que nunca.»*

* Texto enviado pela editora
Vocês já sabem como é que é!!!!
Para participar, basta comentar este post, na zona dos comentários e ficam habilitados ao sorteio  de um exemplar da obra "O Homem que Sabia Contar"
de 
Malba Tahan

O passatempo é válido até dia 20 de Janeiro!!!



Os passatempos relâmpago, são feitos com livros nossos, que já foram lidos e podem apresentar marcas de leitura.

Opinião:
Estamos em 1922 - Londres! A Primeira Guerra Mundial terminou, a tristeza impera, os mortos fazem falta às famílias. Primos, irmãos, maridos, deixaram as pessoas que mais amavam para sempre...
As dificuldades financeiras fazem-se sentir, derivado à guerra. Há que tomar opções para que se consiga sobreviver e é neste contexto que nos surge Frances e a sua mãe, que têm de alugar parte da sua casa para aumentar, desta forma, os seus rendimentos, de forma a que se consigam manter.
Lilian e Leonard são os hóspedes tão esperados e que vão travar amizade com Frances. A vida dos três muda, inevitavelmente, porque vão passar a viver uma nova realidade. Uma realidade em que a privacidade se torna escassa. Onde os ruídos, discussões e conversas trespassam as portas e os mal entendidos surgem.
Lilian e Frances aproximam-se primeiro como amigas, depois como íntimas e mais tarde cúmplices de algo maior e aterrador.
Nesta obra de  Sarah Waters, muito é explorado (e bem) - o amor, a traição, a amizade, o preconceito, o crime... assim como as consequências de determinados actos!
Gostei da escrita da autora, os temas são desenvolvidos com calma, no entanto com exactidão e isto faz com que o leitor se sinta próximo das personagens! O que para mim é muito importante numa leitura.
Gostei!
A vencedora do passatempo "Reunião de Heróis" de Ricardo Formigo
é

 Ana Borges

Parabéns à vencedora!!
Maria, agora tens de enviar os teus dados para o mail do blogue.
Como já tinha referido aqui, pretendo ler alguns livros este ano, mas um deles será mesmo um desafio, é ele "Dr. Jivago" de Boris Pasternak. Então, para que eu não adiasse mais a leitura, resolvi fazer um plano e decidi também desafiar vocês. Sim, vocês que são nossos visitantes assíduos.
A idéia é:
1º Lermos a obra por partes e uma parte (cerca de 100/150 páginas) por mês.
2º Publicarmos a parte que lermos todos os meses num post (com data agendada). Quem quiser participar, pode enviar-me o seu comentário para o mail do blogue para ser publicado no post. Quem desejar comentar apenas na zona de comentários, também poderá fazê-lo.
Os comentários terão spoilers, uma vez que iremos falar de partes do livro e dar opinião sobre as mesmas. Não será uma opinião geral, mas mais específica.

As edições que tenho são estas, sendo que a de comemoração dos 50 anos é enorme e de capa dura. É linda, mas para leitura não dá muito jeito. Como também tenho a edição de bolso é nesta que vou fazer a leitura.



Plano de leitura:

A ler até 15 de Fev
I parte: O Rápido das Cinco
IV parte: Prenúncio de tempestade (inclusive)

A ler até 15 de Março
V parte: Adeus ao Passado
VII parte: A viagem (inclusivê)

A ler até 15 de Abril
VIII parte: A Chegada
XI parte: A milícia da floresta (inclusivê)

A ler até 15 de Maio
XII parte: A sorveira geleada
XIV parte: De volta a Varykino (inclusivê)

A ler até 15 de Junho
XV parte : O fim e até ao final da obra

As datas são para termos uma ideia, mas poderão ser flexíveis.
Espero que adiram, se não o fizerem, lá vou eu ter de ler sozinha.
Recebo mensagens destas ^_^


depois...

"Maeeee, não esquecer pagar a Saída de Emergência para que possam enviar os livros"

^_^

Este mês de Janeiro e com o apoio da Editorial Presença, temos para oferecer um exemplar de 
"O Carrinho de Linha Azul" de Anne Tyler

Para participarem, já sabem, basta que comentem todas as semanas (não importa se comentarem num outro dia da semana, que não seja segunda! Leiam as regras!)




«Estava uma linda e fresca tarde em tons de verde e amarelo...» é como Abby Whitshank começa por contar a sua história de amor com Red, no verão de 1959. Os Whitshank, com os patriarcas Abby e Red, os seus quatro filhos e os netos, são uma típica família de classe média. Reunidos no alpendre parecem o retrato da felicidade, plenos de lembranças e a celebrar o passado que remonta aos anos 20, com a chegada dos pais de Red a Baltimore. 

Uma imagem de perfeição que se desintegra no momento em que atravessamos a porta de entrada, quando aos risos e celebrações se juntam segredos, ciúmes e desapontamentos, guardados entre as quatro paredes de uma casa antiga que já albergou quatro gerações. 

Como um carrinho de linhas, esta história desenrola-se entre passado e presente, revelando ao leitor a complexidade emocional desta família.


Ficam as regras, para relembrar...
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.

O envio dos livros é feito apenas para Portugal Continental e Ilhas.


Por aqui estamos a ler...

 

E vocês?? Que leituras andam a fazer??

It´s 15th! Look Who's Answering!

Este mês, temos cá a Lígia Casimiro - nossa visitante assídua - para nos responder à nossa rubrica "It´s 15th! Look Who's Answering"!





Lígia, como te havia dito, estas perguntas são um tanto em tom de brincadeira. Dentro deste espírito, o Vasco tem uma pergunta para te fazer (e eu as outras três). então, aqui vão elas:

1- És tão lenta na leitura como és na corrida? (Para quem não sabe, a Lígia corre, participa em meias-maratonas e mini-maratonas)

Esta pergunta é mesmo à Vasco. Já me fez rir um bom bocado.
No ano de 2015 li 50 livros e no de 2016 li 55. Para alguns posso ser lenta como um caracol, mas para outros leio à velocidade da luz... na minha opinião leio ao ritmo que corro, ao ritmo certo... ao meu meu ritmo.

2- Qual a tua história infantil preferida e porquê?

Tenho várias histórias infantis preferidas, são as que mais me recordo da minha infância. A "Cinderela", a "Branca de Neve e os sete Anões" e o "Pinóquio", eram as que mais gostava, tinham sempre um final feliz e eu adorava isso. Mais tarde passei para a fase dos livros da Condensa de Ségur (a minha mãe comprava no Círculo de Leitores) e as aventuras  "Os Cinco" (que requisitava na biblioteca itinerante da Fundação Calouste Gulbenkian).

3- Lígia, preferias um grande salário ou satisfação plena no trabalho?

Esta pergunta também parece à Vasco.
Dada a situação que o nosso país atravessa, sinto-me, sem dúvida uma privilegiada, porque ganho o suficiente para ter uma vida desafogada e porque faço o que gosto, trabalho na profissão para o qual estudei e dediquei desde o ensino secundário.
O ideal seria trabalharmos todos naquilo que gostamos, naquilo em que nos sentimos felizes, mas compreendo perfeitamente as pessoas que têm uma família para sustentar e que trabalham só pelo salário, mesmo sendo em algo que não lhes traga satisfação.

4- O que sentes quando alguém profere as seguintes palavras: " Eu detesto ler!" ou "Eu não gosto de ler"?

Sinto alguma tristeza. A primeira "coisa" que penso é "impossível... ainda não leu o livro certo". Com tantos temas de leitura que existem, provavelmente fizeram as escolhas "erradas". Quando digo livro certo ou errado, não estou a dizer que o livro é bom ou mau, porque o que para mim é bom, para outra pessoa pode não o ser, estou a dizer que ainda não encontraram um tema que lhes traga satisfação e prazer.
Para mim é uma questão de procurar...

Obrigada pelo vosso convite, adorei poder fazer parte da "It´s 15Th! Look Who's Answering!".
Sou uma grande fã do vosso blog, um bom ano para vocês.




«História da Origem e Estabelecimento da Inquisição em Portugal - Tomo I», de Alexandre Herculano


Em 1846, Alexandre Herculano publica o primeiro livro da sua História de Portugal e, até 1853, seguem-se-lhe mais três volumes. Em 1850 interrompe este trabalho e a sua atenção dirige-se então para um dos mais importantes particularismos da história de Portugal – a política de intolerância religiosa – e, em 1854, publica o primeiro volume da «História da Origem e Estabelecimento da Inquisição em Portugal». Uma importante análise que trata do aparecimento do sistema inquisitorial, na Europa e entre nós, acompanha a situação dos judeus em Portugal e observa as relações que se estabelecem entre a Inquisição e o poder político, especialmente durante os séculos XV e XVI, nomeadamente até ao reinado de D. João III.

:)

Gosto de emprestar! Mas é sempre um risco!
Ou não devolvem, ou não voltam como foram O.O
Em breve nas livrarias!!

SINOPSE

CYRA é a irmã do tirano cruel que governa o povo de Shotet. O dom-corrente de Cyra confere-lhe dor e poder, que o irmão explora, usando-a para torturar os seus inimigos. Mas Cyra é muito mais do que uma arma nas mãos do irmão; é resistente, veloz e mais inteligente do que ele pensa.

AKOS é filho de um agricultor e do oráculo de Thuvhe, a nação-planeta mais gelada. Protegido por um dom-corrente invulgar, Akos possui um espírito generoso e a lealdade que dedica à família é infinita. Após a captura de Akos e do irmão, por soldados Shotet inimigos, Akos tenta desesperadamente libertar o irmão, com vida, custe o que custar. Então, Akos é empurrado para o mundo de Cyra, onde a inimizade entre ambas as nações e famílias aparenta ser incontornável. Ajudar-se-ão mutuamente a sobreviver ou optarão por se destruir um ao outro?

Da autoria de Veronica Roth, Gravar as Marcas é um retrato deslumbrante do poder da amizade e do amor, numa galáxia repleta de dons inusitados.
Personagens de livros que adorei e que continuei a adorar quando foram para a grande tela!!

São elas...

Jean Valjean, "Os Miseráveis"



Florentino Ariza, "Amor em Tempos de Cólera"



Kincaid, "As Pontes de Madison County"



Jay Gatsby, "O Grande Gatsby"



Rob Cole, "O Físico"



Anna, "Anna Karenina"




E vocês? Falem-me dos vossos personagens que, mesmo na grande tela, não desiludiram!

Chegam a 19 de janeiro às livrarias os primeiros três livros da renovada coleção Miniatura, da Livros do Brasil. Criada nos anos 50, e com o slogan As Grandes Obras em Pequenos Volumes, esta foi uma das principais coleções de livros de bolso em Portugal e contou com 170 números.

Nesta nova série, os livros serão igualmente em tamanho e preço reduzido, numerados e com uma linha editorial que se regerá pela qualidade literária, onde constarão autores contemporâneos e clássicos.


A Louca da Casa, de Rosa Montero, Soldados de Salamina, de Javier Cercas, e A Um Deus Desconhecido, de John Steinbeck são os títulos que inauguram a nova vida da Miniatura, três livros essenciais na obra de cada um dos seus autores.

Os livros terão um custo de 8,80€



Pois, a ostra quando está feliz tem mais que fazer!!
Deixem pensar...

Sai lá do sítio, vai confraternizar com as amigas, tomar um chá...
Não tem tempo para fazer pérolas senhores!!!! Porque simplesmente ela está feliz!!


Sexo, dor, loucura e a arte de um grande chef. Este pode ser um dos resumos de O Diabo na Cozinha, a autobiografia de Marco Pierre White, que chega às livrarias na sexta-feira, dia 13 de janeiro.

O aclamado chef rockstar britânico White transformou a arte de cozinhar numa atividadesexy. Apesar do seu mau feitio na cozinha – e, às vezes, na sala de jantar dos seus restaurantes – foi um herói da classe trabalhadora que encantou celebridades e aristocratas. Foi o mais jovem chef do mundo a receber três estrelas Michelin  e o único a devolvê-las para poder cozinhar em liberdade. Formou chefs que viriam a ser famosos – como Gordon Ramsay, Heston Blumenthal ou Mario Batali – e é presença regular no Masterchef Australia. Os direitos de adaptação do livro ao cinema foram adquiridos por Ridley Scott e a imprensa da especialidade aponta Michael Fassbender como ator principal.

Nesta autobiografia (que inclui um interessante conjunto de receitas da sua vida), Marco Pierre White fala sobre o caminho que o levou de um bairro de Leeds até ao olimpo da cozinha contemporânea, revelando os segredos dos seus fogões, falando sobre os seus negócios, os seus amores, os seus ódios de estimação, a ingratidão e a lealdade, a busca da originalidade sem perder as raízes, as loucuras de um chef que – no fim de tudo – acha que a principal base da arte culinária não são a sofisticação ou o exibicionismo, mas a simplicidade.

«O terror da cozinha serve-nos uma autobiografia confecionada com tanto dramatismo quanto um prato de um restaurante com estrelas Michelin.» (The Times)

«Totalmente impossível parar de ler.» (Glamour)

«Marco será sempre o epítome do chefe malvado, talentoso e brilhante – o arquétipo em carne e osso.» (Independent)

«Podemos sentir a sua influência não apenas no legado gastronómico mas também na postura rebelde de celebridade volátil dos chefes que povoam as nossas televisões.» (Guardian)

Sinopse:
O aclamado primeiro chef rockstar britânico, Marco Pierre White, foi o homem que transformou a arte de cozinhar numa coisa sexy. O seu temperamento na cozinha é lendário. Funcionários irritantes eram atirados para o caixote do lixo, e clientes, para a rua. Mas o mais rude dos chefs londrinos foi também um herói da classe trabalhadora que encantou estrelas e aristocratas. E o primeiro e mais jovem do mundo a ser galardoado com três estrelas Michelin. E a devolvê-las – para poder continuar a cozinhar em liberdade e em grande estilo, como uma espécie de investigação sobre a beleza, o prazer e o sentido da vida.

«Enquanto trabalhava como um escravo, aguardava o momento em que aquelas portas se abriam e me proporcionavam o vislumbre de glamorosos clientes, à suave luz da sala de jantar, rindo e erguendo os copos, desfrutando do vinho.»

«As pessoas vinham ao Harveys não só para a comida, mas também para o Grande Espectáculo Marco Pierre White. E era um espectáculo animadíssimo, uma espécie de circo, cheio de tensão, drama e imprevisibilidade. Um circo dentro dum pequeno restaurante. E as pessoas ali estavam, a comer pratos sofisticadíssimos enquanto um pobre cozinheiro é assassinado na cozinha. Paraíso à dianteira, inferno na retaguarda.»

Sobre o autor:
Nascido em Leeds em 1961, Marco Pierre White foi o primeiro chef britânico (e o mais jovem em todo o mundo) a ganhar três estrelas Michelin.

O seu império gastronómico, que inclui os restaurantes Luciano e Marco, conheceu uma rápida expansão, marcando presença também em Las Vegas, Xangai, Jamaica e Dubai. Embora tenha abandonado a cozinha em 1999, White regressou recentemente para servir de anfitrião no reality show Hell’s Kitchen. Vive em Londres. Do seu casamento com Mati teve três filhos, e da primeira mulher, uma filha.
Desta vez não é muito difícil adivinhar. Acho eu :)

Quem tenta??



«Marion, minha filha, a 13 de fevereiro de 2013, suicidaste-te, enforcando-te com um lenço, no teu quarto. Tinhas 13 anos». O livro «13 Anos para Sempre, Marion», que chega às livrarias na próxima sexta-feira, dia 13 de janeiro, não podia começar de forma mais trágica. A autora é Nora Fraisse, mãe de Marion.

Nora Fraisse escreveu este comovente e alarmante livro como um tributo à sua filha mas também para servir de alerta para os perigos do bullying e das pressões das redes sociais sobre os jovens. Causas essas que levaram Marion a cometer suicídio.

«Escrevo este livro para te prestar homenagem, para te falar da nostalgia que sinto perante um futuro que não vais partilhar comigo, connosco. Escrevo este livro para que cada pessoa retire lições da tua morte. Para que os pais evitem que os seus filhos se tornem vítimas, como tu, ou agressores, como aqueles que te levaram ao desespero. Para que as direções das escolas se esforcem por vigiar, por escutar, por estender a mão às crianças em sofrimento. Escrevo este livro para que levem a sério o problema do assédio na escola, o bullying. Escrevo este livro para que nunca mais uma criança tenha vontade de enforcar o seu telemóvel, nem de suspender a sua vida para sempre».

bullying é, atualmente, um dos maiores perigos da sociedade ocidental, no que diz respeito aos jovens, sendo um tema que gera grande preocupação em Portugal. Um estudo da Organização Mundial de Saúde, atualizado em setembro de 2016, que envolveu 40 países em desenvolvimento, diz que em média, 42% de rapazes e 37% de raparigas foram expostos a bullying

No dia 23 de fevereiro realizar-se-á uma tertúlia na FNAC do Centro Comercial Colombo, que terá como ponto de partida este livro para abrir o diálogo sobre a deteção e prevenção do bullying e de outros problemas relacionados com a violência escolar.


Desafio 2017??

Depois dos top's, surgem os desafios literários para o ano novo!!

Nunca cumpro os desafios, mas tento (tento mal, mas pronto!)
Este ano, resolvi ir à estante e tirar alguns dos livros que tenho há séculos (nem tento). Uns deixei a meio, como é o caso de David Coperfield de Charles Dickens e os outros, nunca lhes peguei!

Não sei se vou conseguir, mas posso sempre tentar!

Fica a foto das obras selecionadas!



Concluir "David Coperfield" em 2017 acho que consigo, mas ler Doutor Jivago no mesmo ano acho que vai ser difícil. But I'll Try


E vocês, costumam desafiar-se neste sentido??
Partilhem lá!

Registo de Leituras 2017

Este, será o post de registo das nossas leituras de 2017




Paula

JANEIRO
1- A Vida Em Surdina, David Lodge
2- A Química, Stephenie Meyer
3- O Carrinho de Linha Azul, Anne Tyler
4- A Mulher é uma Ilha, Andur Ava Oláfsdóttir

Vasco

JANEIRO

Balanço 2016

Em 2016 li apenas 31 livros, daí que não faça um top 10, mas sim um top 5...



Então, os meus 5 livros a destacar (sem ordem de preferência) são:

O Mel e as Vespas, Fernando Évora
Kyoto, Yasunari Kawabata
A Outra Metade de Mim, Affinity Konar
Seda, Alessandro Barico

____________________________________

by Vasco

O meu Top10 2016 foi:
1 - O Impiedoso País das Maravilhas e o Fim do Mundo, Haruki Murakami
2 - Que Grande banquete, Jonathan Coe
3 - Cinco Esquinas, Mario Vargas Llosa
4 - Confissões, Kanae Minato
5 - Clube de Combate, Chuck Palahniuk
6 - American Psycho, Bret Easton Ellis
7 - Peregrino, Terry Hayes
8 - O Capitão Saiu para Almoçar e os Marinheiros Tomaram o Navio, Charles Bukwoski
9 - O Diário Secreto de Laura Palmer, Jennifer Lynch
10 - Deixei-te Ir, Clare Mackintosh

Bom dia!!
Muito frio por aí??
Por aqui está um frio imenso!!!!


Este mês de Janeiro e com o apoio da Editorial Presença, temos para oferecer um exemplar de 
"O Carrinho de Linha Azul" de Anne Tyler

Para participarem, já sabem, basta que comentem todas as semanas (não importa se comentarem num outro dia da semana, que não seja segunda! Leiam as regras!)





«Estava uma linda e fresca tarde em tons de verde e amarelo...» é como Abby Whitshank começa por contar a sua história de amor com Red, no verão de 1959. Os Whitshank, com os patriarcas Abby e Red, os seus quatro filhos e os netos, são uma típica família de classe média. Reunidos no alpendre parecem o retrato da felicidade, plenos de lembranças e a celebrar o passado que remonta aos anos 20, com a chegada dos pais de Red a Baltimore. 

Uma imagem de perfeição que se desintegra no momento em que atravessamos a porta de entrada, quando aos risos e celebrações se juntam segredos, ciúmes e desapontamentos, guardados entre as quatro paredes de uma casa antiga que já albergou quatro gerações. 

Como um carrinho de linhas, esta história desenrola-se entre passado e presente, revelando ao leitor a complexidade emocional desta família.


Ficam as regras, para relembrar...
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.

O envio dos livros é feito apenas para Portugal Continental e Ilhas.


Por aqui estamos a ler...


 E vocês o que estão a ler???

Aquela poltrona à frente da janela dá imenso jeito!
Nada como ler com luz natural!!
O Templário Negro marca a estreia de Roberto Genovesi em Portugal. 
O escritor italiano é um dos mais prestigiados ficcionistas históricos da atualidade.




A saga de um cavaleiro renegado em busca das relíquias sagradas da Cristandade

SINOPSE
O Templário Negro é um romance épico que dá vida a um período histórico marcado pelas guerras em nome da fé. 

Nele acompanhamos a saga de um templário renegado que tem como missão preservar a todo o custo uma insignificante lasca de madeira. Deus, ou o destino, escolheram-no para guiar a mão-cheia de heróis que combaterá a última e definitiva batalha em nome da fé. 

Terra Santa, 4 de julho de 1187, Saladino, governador do Egito, esmagou os cruzados. Nesse domingo simbólico perdeu-se uma das mais importantes relíquias da Cristandade. Alguém será capaz de recuperar a Vera Cruz?

Blogger Templates by Blog Forum