A minha opinião:
.
Esta é uma história contada na 1ª pessoa, por um adolescente de 15 anos, chama-se Christopher e sofre de autismo.
.
A história inicia-se quando Christopher, ao atravessar a rua vê o cão do seu vizinho morto/"assassinado".
Ao tentar desvendar a morte do cão, Christopher vai descobrir muitas outras coisas sobre parte da sua vida que desconhecia. É um adolescente difícil de criar e educar devido ao autismo, a calma nem sempre reinou em casa e foi causa de várias discussões por parte da família. Contudo o pai, o elemento mais calmo do seio familiar sempre soube lidar com a situação. Mas mesmo assim será que sempre agiu da melhor forma?
.
Excelente aluno a Matemática e Ciências, Christopher é possuidor de uma memória fotográfica fantástica, mas tem uma grande dificuldade: entender os humanos e a linguagem ambígua que usam. A exactidão da matemática dá-lhe paz e a solidão transmite-lhe segurança, a sua rotina é crucial!
Contudo, perante uma descoberta que faz, Christopher ultrapassa todos os seus limites e vai em busca das suas certezas.
.
Esta também é uma história de opções. Opções que se tomam em detrimento de outras. A dúvida da opção acertada/errada sempre paira...
.
Uma leitura cativante, que nos envolve em pensamentos sobre acções da vida real, sobre os problemas que muitas vezes não são os nossos, são os dos outros, mas que podiam ser muito bem os nossos. Que nos faz pensar na coragem e no amor de educar uma criança como Christopher e todas as dificuldades que isto implica.
.
Uma leitura que aconselho :)
.
Classificação: 5/7 -Muito Bom

9 comentários:

    "A exactidão da matemática dá-lhe paz" - uma perspectiva muito interessante; isto dá que pensar, não só a propósito da matemática como em relação a qualquer tipo de conhecimento: artistico, cientifico, litarário... o conhecimento como fuga... interessante.
    Tinha uma ideia um bocado diferente deste livro; o título e a capa sugerem um romance policial.
    Parece-me que é mais um para a lista..-

     

    Oi Paula!!!
    Adorei a dica. Sempre tive muita admiração pelas pessoas que cuidam/criam um autista, pois todos sabemos que não é uma tarefa fácil, e pensar em ler algo sob o ponto de vista do próprio autista me parece uma idéia fantastica.
    beijos

     

    Tenho um primo meu autista, que apesar de não ser em ultimo grau, só graças a três psicólogos, muita medicação e amor passa por um criança normal.
    Mas também é muito inteligente e sem dúvida que matemática e ciências são as suas disciplinas preferidas, um adolescente (tem 12 anos), está no sexto ano e é um orgulho para mim poder ver a sua evolução. É um adolescente amoroso contrariando muito do que se vê nos dias de hoje.
    Acho que este livro é uma bela prenda de Natal para a sua mamã.

     
    On 20 outubro, 2010 Argos disse...

    Olá Paula,

    Se eu te disser que já li este livro duas vezes que vais pensar de mim?
    Sabes? "Crianças diferentes" podem ser um desafio, mas são certamente gratificantes. Quanto à coragem e ao amor, elas têm muito para nos dar!

    Abraço grnade

     

    Ooo dica legal e diferente, me interessei!!!
    Parece ser uma otima liçao de vida, conheço um autista e sei como a mãe dele sofre com ele, bah é muita persistencia!
    Otima resenha!

     

    Passatempo novo no Refúgio dos Livros:

    http://refugio-dos-livros.blogspot.com/2010/10/passatempo-bizancio-o-jogador-de.html

    3 exemplares! Toca a participar

     
    On 22 outubro, 2010 Paula disse...

    Olá Manuel, realmente a capa e o título não sugerem em nada o conteúdo da história, acho que o deves juntar à tua wish list :)

    Renata,
    Todo o livro é escrito na 1ª pessoa, ou seja, do ponto de vista do autista o que torna a leitura deveras interessante!

    Elphaba J.
    Obrigado pela tua partilha :)

    Argos
    O que vou pensar de ti??
    Que és uma pessoa muito sensível :)
    É impossível ficarmos indiferentes nesta leitura, porque a forma como o livro está escrito faz-nos perceber a importância dos pormenores para um autista, a importância da rotina, no fundo a estabilidade para a sua segurança tanto física como mental.
    Um livro a reler, sem dúvida :)

     

    Não imaginava que o tema do livro fosse esse. Parece ser bastante interessante. Vou pedir emprestado a uma amiga, que sei que o tem. ;)

     

    Desconhecia este livro! O titulo não me chamou atenção pelo facto de ser "mórbido" (cão morto) e também pensava que era um policial. Afinal, é sobre Autismo, ainda por cima contada na 1ª pessoa por autista com 15anos. Se não fosse a tua opinião, este livro teria passado de lado! Fica então acrescentado na minha lista de compras! Li muitos livros sobre autismo e recomendo altamente este livro: "Um amigo chamado Henry". Uma história veridica sobre a luta e o amor de uma mãe para educar o filho autista, e também um cão irá contribuir muito para evolução do filho.
    Bom feriado!
    Beijinhos

     

Blogger Templates by Blog Forum