DRÁCULA - Bram Stoker


"Drácula, o sinistro conde da Transilvânia, só pode ser morto por uma estava espetada em pleno coração. Até que alguém consiga fazê-lo, porém continuará a alimentar-se do sangue de inocentes, e estes, tornados mortos-vivos, passarão também a sofrer da insaciável sede de sangue.
Mas como se conseguirá preparar uma armadilha a um montro com vastos poderes e com a sabedoria dos séculos?
.
O conde sorriu, os seus lábios abriram-se sobre as gengivas e os compridos e aguçados dentes caninos apareceram estranhamente"

Bram Stocker, escreveu Drácula em 1897. Um clássico da Literatura, um clássico do terror! Assim, pensava eu.

No início a narrativa está escrita de forma muito interessante e prende o leitor. Contudo, com o evoluir da história, torna-se menos cativante. Pois, espera-se que o Conde Drácula tenha um papel fundamental na história: o de acção. Afinal, estamos a ler “Drácula” o máximo/o melhor em matéria de vampiros, o mito!
O que não acontece! O conde acaba por ter um papel passivo. Não há confronto directo com os personagens, não há a luta pela sua própria “sobrevivência”.

Existem acções pertinentes e personagens que pareciam importantes, que são puramente esquecidas da história ou eliminadas de uma forma simplista.

De um modo geral, foi uma leitura que gostei, mas que me desiludiu um pouco, porque estava à espera de uma história mais coesa, onde os factos não são deixados ao acaso.
.
Classificação 3/6 Razoável

21 comentários:

    On 27 julho, 2009 flicka disse...

    Li "Dracula" há 14 anos atrás! Pois é, já lá vão muitos anos... E no entanto, lembro-me bem que tinha gostado bastante deste livro, até tive medo de o ler a altas horas... lol... Ainda me lembro bem a chegada do Jonathan ao Castelo pela carruagem puxada por cavalos no meio de nevoeiro, o medo das pessoas que não o queriam levar ao Castelo porque já era tarde e estava amaldiçoado... Estou certa, não é? Gostei das personagens, do desenrolar da história, sendo cada personagem a contar a sua história - uma especie de cartas, não é? Até cheguei a chorar pela morte da mulher do Jonathan. De facto, este livro marcou-me bastante na altura. Tens razão num ponto, o Dracula neste livro tem realmente um papel passivo, apenas ataca os personagens. ;-)

     
    On 27 julho, 2009 Paula disse...

    Olá Flicka,
    Quase tudo o que descreves decorre na primeira parte do livro, que é deveras interessante. Achei que no decorrer da história esta acaba por perder interesse, devido à "passividade" do Conde Drácula ;)
    Abraços

     
    On 27 julho, 2009 Argos disse...

    Paula,

    Confesso que muitas vezes, ao vir aqui, mudei de opinião e li livros com que tinha "embirrado"(ás vezes por pura "casmurrice")e por isso lhe estou agradecido. Mas desta vez...não sei...julgo que não vou mesmo ler. Já comecei este livro várias vezes e nunca finalizei!

    Abraço

     

    Puxa, eu adorei este livro.
    Li este livro quando tinha 17 anos, mas lembro-me bem dele e te confesso que me emocionei muito no final dele...rsrs
    Passando pra te desejar uma linda noite e uma ótima semana também. Beijos minha querida!

     
    On 28 julho, 2009 Renata disse...

    Oi amiga!!!!Desde que comecei a ler a série The House of Night, estava louca para ler esse livro, já que a Zoe personagem principal vivia falando dele...agora fiquei um tandinho decepcionada....tavez desista de vez...super beijo

     
    On 28 julho, 2009 Paula disse...

    Argos e Renata,
    Olá, acho que mesmo assim vale a pena ler, pois é um clássico há muito falado e famoso, contudo, eu estava cheia de expectativas, daí que,me desiludi um pouco :(

    Serena,
    Olá, obrigado. Para ti também.

     
    On 28 julho, 2009 Daiane disse...

    Olá, como vai?
    :) hoje acordei, disposta a conhecer novos encantos ( blogs)...
    ( somente aqueles, que possuem e me proporcionem__ o alimento enriquecedor para o espírito...)
    estou muito feliz, por ter encontrado este cantinho
    parabéns, adorei as músicas...
    resolvi seguir,ok!
    um abraço, fica com Deus
    aguardo sua visita.

    att.: Daiane.

     
    On 28 julho, 2009 Paula disse...

    Daiane,
    Olá, sê bem vinda ao ...viajar pela leitura...

     

    viva Paula

    li este livro em 1984,como tal certos pormenores já me escapam. No entanto suponho que Drácula, enquanto personagem, não tivesse muito mais para dar, dado se tratar de um maléfico oportunista. Escolhe as vítimas e aguarda. O grande interesse do livro reside nas suas vítimas, que se vão transformando em vampiros e que como tal, o passam a ter como mestre e que...essas sim...podem surpreender.
    A personagem mais forte do romance, na minha opinião, é a do Dr. «qualquer coisa», o único humano capaz de fazer frente a Drácula e aos seus esbirros, através do qual foram criadas cenas verdadeiramente emocionantes.
    Dar-lhe-ia uns pontinhos a mais na pontuação.
    Cumprimentos

     

    Nos meus 18 anos li este livro e vi vários filmes do drácula. Na altura, lembro-me, que lhe achei muito encanto. Aliás, na altura, gostava muito de literatura do género e de todos os filmes de terror. Hoje, não são definitivamente os meus preferidos, mas nãffo deixafm de ter enredo e prender o leitor.

     
    On 29 julho, 2009 Paula disse...

    Poeta do Penedo e Manuel Afonso,
    Entendo o que dizem, o que acontece é que esta leitura foi feita em conjunto e discutida, também em conjunto com o forum "estante dos livros" e como foi vista ao ínfimo pormenor, demos conta de algumas "falhas", se assim pode-se chamar, por parte de Bram Stoker, cuja pesquisa sobre vampiros foi enorme para a escrita de Drácula em 1897. A meu ver a história começa em grande e vai perdendo "interesse" à medida que se aproxima do fim.
    Abraços aos dois!

     

    Paulinha,
    um grande amigo criou dois selinhos pra mim,
    e venho ofereçe-los à você com todo carinho!
    Ficarei muito feliz se os aceitar. Bjs.

     

    Olá!
    Li Drácula também (e valeu um post no meu blog) e fiquei super decepcionada....Drácula mais parecia um velhote exótico...e nada mais.
    Ótimo post!
    Bj

     

    Olá Paula!
    Obrigada pela visita ao blog!
    Vi q vc leu algumas coisas que estão em meu projeto pessoal e que chamo de "o cult da vez", que é ler um dos clássicos da literatura mundial, eu já comprei por ex. Madame Bovary que é um dos livros que vc leu!!
    Muito legal seu blog!
    Vou linkar vc e acompanhar sua "viagem"!!
    Bj

     

    Parabéns pelo belo espaço.
    Vim, vi e gostei.
    Abraços.

     
    On 30 julho, 2009 Mariana disse...

    Gostei do blogue:)

    bj

     

    Esse livro, assim como o filme são classicos, e sempre devem ser lembrados.

     

    Congordo contigo. Não tenho mais nada a acrescentar...

     
    On 03 agosto, 2009 Paula disse...

    Lice Soares e Mariana
    Obrigado e voltem sempre :)

    Dayane Pereira,
    Sem dúvida uma referência a ter em conta :)

    Jacqueline'
    ;)

     

    Olá, parabéns pelo blogue antes de tudo:)
    Devo dizer que o encontrei devido exactamente a este Drácula, ainda no rescaldo de o ter acabado de ler há uns dias atrás, e estava-me a sentir um bocadinho mal porque de facto a tal passividade do conde que foi aqui mencionada, também eu a senti, e não consegui ter a opinião que esperava ter, afinal este livro é suposto ser sei lá, a bíblia do terror, um clássico mais que obrigatório, e pronto... mas já não me sinto tão carrasca, ainda bem que achei a tua review;)
    Abraço!

     

    É como dizes Carla C, devia ser a bíblia do terror, mas está tão longe...
    Contudo é uma leitura agradável :)
    Um abraço e espero que voltes ao blogue.

     

Blogger Templates by Blog Forum