Pérolas do mercado editorial...

Belo título!!! Que disparate pegado.
50 razões para mudar de clube... Diz a Maya, a lançadora de cartas, e o André, seja lá ele quem for...
Eu aposto que, em 2 minutos e meio, arranjo 100 razões para se mudar do Casa Pia para o Passarinhos da Ribeira.


Colectânea com 301 autores seleccionados! Fantástico. Não são 300, nem 302. São 301, esse número redondo... Imagino quantos poemas terão ficado de fora. Aposto que esse número, multiplicado por qualquer outro que não seja zero, dá zero.


A solidão como um sentido seguido de Desespero. Este título é quase tão bom  quanto seriam os seguintes: Fui à taberna beber bagaço mas acabei por mamar Absinto ou Comprei uma sachola para cavar a terra mas só havia uma Tesoura de Podar ou Fumei durante 20 anos mas continuo com o hálito Fresco.



7 comentários:

    Este comentário foi removido pelo autor.

     

    Hahahaha adoro :D

     
    On 09 abril, 2016 Vasco disse...

    :)

     
    On 12 abril, 2016 Susana Lopes disse...

    Podem por favor explicar poruqe razão não faz sentido o título "A solidão como um sentido seguido de Desespero". Eu comprei o livro porque vi uma crítica no "Expresso" e já o li e acho que não tem nada de mal, até faz muito sentido pois trata-se de duas partes, uma chamada "A solidão como um sentido" e a outra "Desespero". Acho que neste caso se trata de uma piada muito infeliz fica mal porem um livro que é considerado pela crítica do "Expresso" como um dos melhores livros de poesia mais recentes misturado com lixo editorial. Obrigada.

     
    On 12 abril, 2016 Vasco disse...

    Eu não falei em lixo nem disse que o título não fazia sentido. Portanto, não posso explicar uma situação que não foi assumida por mim.

    Também achei piada ao título do Manuel Alegre "O Miúdo Que Pregava Pregos Numa Tábua". E trata-se do Manuel Alegre, que por acaso não gosto, embora pudesse gostar. Esse livro, publicado por editora credível.

    Aliás, vi os comentários do autor acerca do post e de bofetadas (ao estilo do João Soares) e não interferi no diálogo. Nem tampouco o farei. Como não voltarei a fazê-lo aqui.

    Quanto à felicidade das piadas ou do que quer que seja, felizmente cada um tem a sua.

    De qualquer forma, fico contente por saber que contribuo para a divulgação da obra, uma vez que o número de visualizações deste post foi brutal.
    Eu, pessoalmente, estarei sempre do lado daqueles que merecem uma boa divulgação, principalmente de autores portugueses.

    De nada.

     
    On 12 abril, 2016 Susana Lopes disse...

    Não conheço o autor pois só comprei o livro através da editora e não vi o comentário a ameaçar bofetadas. Nesse caso o senhor perde toda a consideração e perde toda a razão. Por muito bom que seja a escrever poesia nada justifica a violência e muito menos por uma situação destas.

     

    Apenas (e nada mais do q isso) para esclarecer q em momento nenhum eu ameacei, sugeri ameaçar ou sequer pensei em ameaçar quem quer q fosse com bofetadas ou de qualquer outro modo.

     

Blogger Templates by Blog Forum