Kindle

Olá, hoje venho aqui falar um pouco sobre as vantagens e desvantagens do kindle (quem diz kindle diz kobo etc..).

Pessoalmente, era o tipo de pessoa que odiava o kindle, a experiencia de leitura é realmente diferente e na minha opinião não há nada que se compare ao livro físico, com aquele cheirinho e textura das páginas. De qualquer forma de à uns tempos para cá tem se tornado difícil apoiar a venda de livros físicos por vários motivos. 

Os livros custam preços absurdos e como estudante tenho a dizer que comprar um livro por 16€ sendo que leio uma média de 3 a 4 livros por mês sai bastante caro. Sendo que o kindle é um investimento de 90€ mas depois os livros variam de 1 a 10€ também existindo a oportunidade de ler livros de graça para apoiar escritores iniciantes. 

Também há a vantagem de ler à noite sem cansar tanto a vista porque já tem luz embutida e a sua tela antirreflexo faz com que seja fantástico levá-lo para a praia. 

O PESO! Poder carregar comigo 200 livros no bolso vale sempre a pena, o meu pelo menos nunca sai da minha mala :P

Este post não é uma publicidade também porque sempre que tenho possibilidade opto pela versão física dos livros (sim, sou desse grupo de pessoas consumistas que gosta de vê-los na estante), mas sim uma alternativa para quem prefere algo mais portátil e barato.


Reading Journal

    Hoje venho cá falar um pouco sobre o meu reading journal e da importância deste nas minhas leituras. 
    Aqui deixo algumas fotos deste caderno (caso se queiram inspirar para fazerem o vosso), foi feito a partir de um livro de gestão de empresas muito antigo e que estava aqui apenas apanhando pó. Aqui deixo marcadas opiniões que faço a todos os livros que leio desde o início do ano.
    A meu ver, além de estimular a nossa criatividade, o hábito de fazer comentários e resumos dos livros que lemos é fantástico para organizarmos as nossas ideias, porque muitas vezes quando lemos os livros muito rápido e muitos em seguida, a longo prazo, a nossa opinião e até as nossas lembranças sobre os conteúdos dos livros misturam-se.







Trono de Vidro, Sarah J. Maas

   


Acho que já explicitei aqui o meu gosto por fantasia, pelo facto de me fazer fugir da realidade e entrar em cada personagem minuciosamente descrito em cada um dos livros fantásticos que já li. De todos eles a minha autora preferida deste estilo de obra é Sarah J. Maas. 

    De Sarah J. Maas já li os 5 livros (não publicados em Portugal ಥ_ಥ ) da saga "Corte de Espinhos e Rosas" que foi, incluindo, a minha primeira critica aqui no blog. De qualquer forma fiz uma pausa para ler outras coisas e voltei com o universo literário criado por Sarah. 

    Neste momento estou a ler a saga Trono de Vidro publicada em Portugal pela marcador, mas não se encham de esperança porque a editora só publicou os primeiros dois livros. De qualquer forma pelo que já li  pude ver que a autora manteve-se no mesmo patamar e não deixa nada a desejar. Para mim Sarah J. Maas e Stephen King sempre estarão num pedestal. 

      ORDEM DE LEITURA:

    A ordem de leitura de trono de vidro é bastante confusa por isso deixo aqui a ordem que estou a seguir:

-Trono de Vidro;

-Lâmina da Assassina;

-Coroa da Meia noite;

-Herdeira do Fogo

- Rainha das Sombras;

-Império de tempestade;

-Torre do alvorecer;

-Reino das cinzas

    Estou ansiosa para ver o que a saga tem a trazer e mais ainda para ler Crescent City da autora, porém estou à espera que saia o segundo volume para ver se alguma editora portuguesa se chega à frente para a publicação de mais uma saga fantástica que ainda está a nascer.


Imagens retiradas da internet

GIMNOARTE




 A Bianca Ricardo ( filha aqui do nosso colaborador Vasco Ricardo), integra este fantástico grupo que está na final do Got Talent Portugal. A equipa do Viajar pela Leitura apela pelo vosso voto para que a devida valorização seja dada a estes artistas.

A final será no dia 25!!!! Não se esqueçam e votem!!!╰(*°▽°*)╯

    


        Ups.. Mais um romance.¯\_(ツ)_/¯

    Nesta obra publicada pela TopSeller, Colleen Hoover mostra-nos uma escrita extremamente simples com um tema  bem trabalhado, o livro não é cansativo e aborda temas atuais, a história em si é interessante, puxa-nos pela leitura mas sem dúvida não é um livro excelente por deixar algumas pontas soltas.

     -Escrita muito simples.

    -Saltos temporais de ano em ano, o que faz com que vejamos a evolução dos personagens ao longo do tempo.

    -Aborda temas como a falta de autoconfiança e relacionamento familiar tóxico .

    -Histórias segundarias bem trabalhadas.

    -Romance fofo mas com um rumo um pouco estranho. Mas pronto quem sou eu para julgar amor à primeira vista.

    Sinopse:

"A história de um amor capaz de curar e renovar a vida. O dia 9 de novembro No último dia de Fallon em Los Angeles, a sua vida cruza-se com a de Ben e os dois apaixonam-se perdidamente. A química que os une é tão forte e incontrolável que, apesar de Fallon estar a caminho de Nova Iorque, os dois prometem encontrar-se novamente. Os reencontros Durante cinco anos, sempre no dia 9 de novembro, Fallon e Ben encontram-se para construírem a sua história de amor, entre as várias relações e atribulações das suas vidas separadas. Apesar de só estarem juntos uma vez por ano, os dois envolvem-se cada vez mais e partilham um amor pleno de entrega, paixão e intensidade, capaz de os transformar e de sarar cicatrizes profundas. Cinco anos depois Fallon descobre que Ben carregou um enorme segredo durante cinco anos. O choque e a desilusão tomam conta do coração da jovem, devastada com a possibilidade de tudo ter sido uma farsa. Estarão os dois preparados para aceitar que as histórias de amor nem sempre têm um final feliz? Ou será Fallon capaz de perdoar o homem que ama? O passado, o presente e o futuro cruzam-se num livro arrebatador e envolvente."



Compra e venda de livros usados

 Olá, hoje o post é um pouco diferente do costume e não venho falar numa obra específica, mas sim num site para que se possam desfazer dos livros que não vos agradaram tanto e dar uma nova vida a outros tantos.

O site chama-se Trade Stories e funciona basicamente como o OLX, é um jogo de confiança porém os vendedores têm avaliação e vocês conseguem comprar com quem se sentirem mais à vontade.

Na minha opinião é uma forma bastante menos consumista de adquirir livros, já para não falar no facto de saírem muito mais em conta. 

Para acederem ao Trade Stories cliquem aqui . 






Depois de receber a versão do principezinho da Livraria Lello decidi que já era tempo de reservar uma parte da estante para Antoine de Saint-Exupéry e fiz o nosso menino em cima do asteroide B-612. (●'◡'●)



     

    As minhas mais sinceras desculpas por trazer a esta rubrica apenas romances mas prometo que para a semana trago um clássico que sei que todos adoram. ¯\_(ツ)_/¯
    Juro que não trazia se fosse apenas mais um dos meus romances clichês (se calhar até trazia mas não é o caso). Vou deixar alguns motivos para lerem "Apartamento partilha-se" e posteriormente copiar a sinopse da Wook caso tenham curiosidade.

-Abordagem constante no que toca a relacionamentos abusivos e uma consciencialização continua, que por tabela se dirige ao leitor;
-Ambiente Hospitalar, "a mão na consciência do protagonista é uma menina de 7 anos e um idoso que estão internados;
-Como um dos termos do contrato de arrendamento é não se verem os protagonistas comunicam-se sempre por post-its;
-A protagonista tem um estilo muito diferente que é literalmente o vomitado de um arco-íris muito alegre;
-O livro é muito engraçado e o romance é muito fofinho com sentimentos bem trabalhados. (●'◡'●)

Sinopse:
"Tiffy Moore precisa urgentemente de um apartamento barato, depois de o ex-namorado a despejar da casa onde viviam. Leon Towney é enfermeiro, faz os turnos da noite no hospital, tem um apartamento para arrendar e precisa de dinheiro para ajudar o seu irmão.

Para os dois, surge a solução perfeita: durante o dia, enquanto Tiffy está a trabalhar, Leon descansa do lado direito da cama; durante a noite, e até à manhã seguinte, Tiffy é dona e senhora do apartamento. Embora nenhum deles se encontre no mesmo espaço ao mesmo tempo, limitando as hipóteses de algo poder correr mal, os seus amigos acham que esta é a receita para o desastre e que devem existir regras.

Para que tudo possa correr bem, decidem comunicar apenas por bilhetinhos destinados a resolver questões domésticas (e da vida) e facilitar a partilha do apartamento. Mas, com ex-namorados dramáticos, colegas de trabalho doidos e, claro está, o facto de ainda não se terem cruzado, estão prestes a descobrir que, para terem uma casa perfeita, vão precisar de atirar as regras pela janela."



    

     Hoje venho fazer um comentário a Carrie mas principalmente fazer uma crítica à editora. 
    Carrie foi o primeiro livro lançado pelo nosso rei, o King tem uma mente brilhante e mesmo que queira não consigo encontrar defeitos nos seus livros. Particularmente sou uma grande fã da sua forma de escrever. Neste livro notámos uma escrita inexperiente mas acima de tudo que nos faz agoniar até acabarmos o livro, o que na minha opinião nos prende à leitura. é uma obra que realmente vale a pena.

    De qualquer forma venho criticar em primeiro lugar a 11 17, regra geral os livros de bolso são chatos de ler porque a diagramação é muito má mas esta editora supera o terrível, as margens são minúsculas e uma pessoa tem de abrir o livro a 180º para conseguir ler o que está mais perto da lombada. Em segundo lugar acho vergonhoso que uma grande parte dos livros do King não tenha sido traduzido para Portugal, Cujo, A Incendiária, 22/11/63 entre muitos outros são livros que não estão disponíveis em Portugal. Os livros do mestre são tão intensos que para mim é impossível conseguir ler com um ritmo aceitável de leitura em inglês e é um atentado ao meu gosto e sanidade estar a ler obras deste grande escritor em português do Brasil.

    Já deixei aqui o meu descontentamento, continuação de um bom dia e espero que já tenham lido Carrie porque se não o fizeram estão à espera de quê?



 


Com Neve de Primavera, a Livros do Brasil dá início à publicação da tetralogia Mar da Fertilidade, de Yukio Mishima. Ao longo dos próximos anos, serão editados os restantes volumes, sempre com novas traduções       

Publicado em 1969, Neve de Primavera é o primeiro romance da tetralogia Mar da Fertilidade, testemunho literário de Yukio Mishima, que morreria após terminar a última peça deste que é o mais monumental retrato do Japão do século XX. A Livros do Brasil recupera assim um título há largas décadas esgotado em Portugal, numa nova tradução, de Tânia Ganho, e dá continuidade à publicação da obra do autor, depois de Confissões de Uma Máscara, Vida à Venda, O Templo Dourado e O Marinheiro Que Perdeu as Graças do Mar.


SINOPSE

Durante a Era Meiji, o Japão abre-se ao Ocidente e uma nova burguesia, avessa aos tradicionais costumes e valores nipónicos, entretece-se com a antiga aristocracia. Kiyoaki, filho único do marquês Matsugae, descendente de uma família samurai cujas origens humildes o embaraçam, é enviado para viver os seus primeiros anos em casa de um nobre da corte e cresce lado a lado com a filha deste, a encantadora e vivaz Satoko. Agora adolescente, Kiyoaki vê-se dominado pela tensão entre o velho e o novo mundo, entre o passado das suas raízes e o presente de uma paixão avassaladora, capaz de agitar as estruturas imperiais e o próprio conceito de existência, a um ponto que só o seu fiel amigo Honda poderá testemunhar. Publicado em 1969, Neve de Primavera é o primeiro romance da tetralogia Mar da Fertilidade, testemunho literário de Yukio Mishima, que morreria após terminar a última peça deste que é o mais monumental retrato do Japão do século XX.

    


    Criei esta rúbrica porque no meio de exames, testes, trabalhos e algumas horas de sono, não estou com vontade de ler livros com temas pesados que envolvam muito de mim, mas sim obras mais leves que me façam fugir um pouco do quotidiano. 
    "Noivos à Força" escrito por Christina Lauren e foi publicado pela TopSeller cá em Portugal. Vou deixar aqui alguns motivos para lerem e posteriormente copiar a sinopse da wook caso tenham curiosidade.

    -Passa-se quase todo no Havai.
    -Tem uma vibe muito boa, garanto que vão rir.
    -Aquele cliché que todos gostamos mas ninguém admite.
    -Enemies to lovers (quem não gosta).


Sinopse:
"Olive está habituada a não ter sorte. Seja no amor, na carreira ou em qualquer outro aspeto da sua vida, o azar está sempre à espreita. Já Ami, a sua irmã gémea, é tão sortuda que conseguiu organizar toda a sua festa de casamento com os prémios que ganhou em concursos online. Só que a boda de sonho da irmã é sinónimo de pesadelo para Olive, que terá de passar toda a cerimónia com o detestável Ethan Thomas, irmão e padrinho do noivo.

Mas a sorte de Olive parece estar prestes a mudar, já que todos os convidados apanham uma intoxicação alimentar e só ela e Ethan não são afetados. E com o casal doente, há uma lua de mel no Havai com tudo pago… e sem noivos!

Encorajada por Ami e determinada a impedir que Ethan goze umas férias gratuitas sozinho, Olive decide esquecer as diferenças que os separam e embarcar rumo ao paraíso. Afinal, será assim tão difícil evitarem-se um ao outro durante dez dias? Até nem seria, se Olive não desse de caras com o seu novo patrão e não precisasse de se fingir apaixonada numa idílica lua de mel.

O problema é que essa mentira inocente ganha contornos mais graves e o infortúnio de Olive parece agravar-se cada vez mais. Mas Olive não se sente azarada. Na verdade, começa até a sentir-se… uma felizarda."




  

 A Melodia do Pássaro Amarelo. Inspirado nas histórias reais das crianças judias escondidas durante a Segunda Guerra Mundial, est é um relato impressionante do elo inquebrável entre mãe e filha. Deslumbrante e arrebatador, A Melodia do Pássaro Amarelo é uma prova do triunfo da esperança mesmo nos piores momentos.

Um romance extraordinário e comovente sobre a música, o silêncio e a esperança perante escolhas impossíveis




Polónia, 1941. Róża e a sua filha de cinco anos, Shira, têm de se refugiar num celeiro quando os nazis iniciam a perseguição aos judeus. Escondida dia e noite, Shira tem dificuldade em permanecer quieta e em silêncio, com a música a percorrer-lhe o corpo e a quinta convidativa lá fora. Para a acalmar, Róża conta-lhe a história de uma menina num jardim encantado, onde um pássaro amarelo canta as melodias com que ela sonha. Neste mundo de fantasia, Róża consegue proteger Shira dos horrores que as cercam. Até ao dia em que o abrigo deixa de ser seguro e Róża tem de tomar uma decisão impossível: manter Shira ao seu lado ou afastar-se para lhe dar uma hipótese de sobreviver.


Jennifer Rosner

Jennifer Rosner é autora de vários livros para crianças. A Melodia do Pássaro Amarelo é a sua estreia na ficção para adultos. Os seus trabalhos já foram publicados no The New York Times, The Massachusetts Review, The Forward, entre outras publicações. Para além de escrever, é (ver mais)


Nova Contribuidora no Blogue!! :D

 Anda por aqui uma nova contribuidora!!

Adivinham quem é??

Pois é!! É a minha filha mais nova!!

Criei um MONSTRO DA LEITURA!!! E que bom que é!!

A Isaura tinha 4 anos quando o ...viajar pela leitura... surgiu :D


Daqui a dias já não temos espaço em casa para tanto livro :D


A primeira opinião com 7 anos :D

aqui


E hoje porque gosto pouco de dar hate  venho com uma nova rúbrica 😈😈😈

De forma muito sintetizada venho aqui dar 5 motivos para não lerem a "crónica de paixões e caprichos"

1_ As capas não têm nada a ver com a história. EDITORAS NÓS GOSTAMOS DE CAPAS ILUSTRADAS, não com meninas que não têm nada a ver com as protagonistas 

2_ MACHISMOOO. Porque raio é que os livros de Brigerton no geral têm de ser sempre uma mulher atrás de um homem? Porque não consegue encontrar a felicidade se estiver solteira?

3_ RELACIONAMENTO ABUSIVO (com direito a uma violação romantizada e tudo! Para supostamente mostrar o empoderamento feminino.) 

4_ É considerado um romance histórico mas não passa de crises existenciais e sexo.

5_ O narrador é omnisciente mas mostra-nos a história dentro da bolha que é o ponto de vista de nossa protagonista.



  

    Para variar mais um livro que não foi traduzido para Portugal e desta vez um romance. Este livro cumpre com tudo a que se propõe e é super necessário. Um Young Adult que é um amor. Nunca tinha lido um romance LGBTQ+ antes e foi apaixonante, um livro que tira qualquer um de uma ressaca literária.

    Este livro apresenta-nos um universo em que, depois do Obama sair da presidência dos Estados Unidos, em 2016 quem vence as eleições é uma mulher com dois filhos. O nosso protagonista é um deles, Alex, um jovem de 21 anos que tem um profundo ódio ao príncipe de Inglaterra  (Henry), entretanto, no casamento da irmã de Henry, Alex é obrigado a comparecer, ambos discutem e caem por cima do bolo de casamento que custou ao estado a módica quantia de 75 mil libras. Com os mídia em cima do assunto estes dois são obrigados a fazerem-se de melhores amigos (mesmo odiando-se até ao tutano) para não criar alvoroço.

    Este enemies to lovers é muito bom, para não falar sobre as histórias secundaria que também são fascinantes. Este livro mostra a importância do apoio da família quando um jovem assume a sua sexualidade perante a mesma. 

    É um livro extremamente levinho que se lê num só dia, li no kindle daí a leitura ter sido mais rápida  . Tem uma vibe muito divertida e apaixonante. Sem dúvida vou comprar a versão física do livro para manter na coleção. 


    Rainha Vermelha de Victoria Aveyard foi, sem sombra de dúvidas um livro que me orgulho ter chegado ao fim.

    Tenho de começar por agradecer à Saída de Emergência por ser das poucas editoras a fazer publicações de livros dentro do mundo do fantástico em Portugal, mas não compreendo como um livro como "A Rainha Vermelha" é publicado e outros muito melhores e com muito mais fama ficam sempre em lista de espera.

    Comecei a ler o livro depois de ter lido ACOTAR e se calhar por isso a minha desilusão foi tão grande, enquanto num temos um desenvolvimento rápido e que nos puxa para a leitura no outro temos imensa palha.

    O livro mostra-nos uma distopia. Neste universo o mundo é dividido entre vermelhos e prateados, em que as pessoas de sangue prateado têm poderes e as de sangue vermelho não. Isto faz com que os vermelhos sejam comandados pelos prateados. Mare é uma vermelha que arranja um trabalho o castelo e descobre publicamente os seus poderes. Estes nobres encobrem a sua real identidade para não criar alvoroço, porém Mare junta-se aos rebeldes e fica como "espia" dentro do castelo, com a ajuda do príncipe mais novo que mostra-se também um rebelde deste regime.

    O livro fica interessante por volta da página 150 e sinceramente para levar fretes de 20 capítulos já bastam as leituras obrigatórias.

    A base da história principal é realmente interessante mas a escritora leva muito tempo para desenrolar os acontecimentos. Já para não falar que tentou criar um romance mas os sentimentos dos personagens são muito mal desenvolvidos, algo inadmissível num livro com tanta palha!!! 

    As últimas 40 páginas do livro são onde a história realmente nos puxa  e nos faz pensar em coisas do tipo: "como é que eu nunca desconfiei desta merda", o que me fez muito esperançosamente comprar o segundo livro, ERRO, estou na página 130 e não se está a passar nada. Para melhorar a situação vi umas resenhas e as pessoas estão a dizer que o quinto é o pior COMO ASSIM, será que isto só piora?

    Bem, vou tentar acabar o segundo e se a minha opinião mudar venho aqui retirar cada difamação feita ao livro neste post. 

A Court Of Thorns And Roses





Opinião:
Escrito por Sarah J. Maas, "A Court Of Thorns And Roses" é o primeiro de uma série de quatro livros que infelizmente não foi traduzida por nenhuma editora portuguesa. 
Os primeiros 3 livros contam com a história propriamente dita e o último é apenas um conto que tem como objetivo ser um ponto de partida a spin-offs. Neste momento a série já conta com um.
O primeiro livro é excelente e possui as explicações necessárias para os próximos. É evidentemente inspirado em "A Bela e o Monstro". Esta obra conta-nos a história de Feyre, que vive num mundo dividido por uma muralha, que separa os feéricos dos mortais. A nossa protagonista caça para a sua família e certo dia no meio da floresta, próxima da muralha, vê um lobo e decide que o matará para trazer sustento aos seus. "Ela Roubou uma vida e agora deve pagar com o coração" uma besta aparece na sua casa para levá-la fazendo justiça à criatura que Feyre matou que pertencia ao outro lado da muralha. O restante livro mostra-nos uma evolução constante da nossa protagonista, mas acima de tudo insere-nos neste mundo que tanto tem para nos contar.
Na minha opinião, as primeiras 300 páginas são extremamente necessárias para que vejamos e conheçamos mais sobre este mundo mas a ação da história só se inicia depois disto, e nunca mais para.
A meu ver o livro é excelente. 
Relativamente ao tipo de escrita de Sarah J.Maas, inicialmente pensava que a mesma não aprofundava suficientemente os personagens, de qualquer forma ao ler o spin-off lançado compreendi que é tudo uma questão de marketing e que, a seu tempo, saberemos tudo e mais alguma coisa sobre os personagens que sentimos não terem suficiente "tempo de tela" nesta fantástica série de livros.







Opinião:

A sociedade de hoje é composta por uma população que anda numa azáfama sem término: trabalho, filhos, escola, almoços rápidos, reuniões... tudo isto, muitas vezes, em frente a um computador. Quando o fim do dia chega há que preparar o próximo. O próximo, que é novamente de luta, parece que hoje para sobrevivermos temos de "matar um tigre" diariamente. Felizes daqueles que conseguem tirar tempo para si, para exercitar o seu corpo e fazer refeições saudáveis. E porque a saúde não é uma parte de nós mas um todo, há que compreender que podemos agir de forma eficaz para que o nosso corpo e mente estejam em sintonia

Há algum tempo que faço uma alimentação saudável (pensava eu), consciente e pratico exercício físico. No entanto, só isto não basta, temos de investigar sobre o que comemos e como comemos. Vejo muita gente, cheia de boas intenções com a sua alimentação, darem aos filhos determinados alimentos e pensarem que estão a fazer bem, temos o exemplo do leite!

A obra do Pedro Medeiros, Pela Sua Saúde, Manual de Sobrevivência na Sociedade Moderna, é excelente para consultarmos sobre as rotinas que devemos adquirir e manter na nossa alimentação e as que devemos eliminar.

Na referida obra, o autor fala-nos de sítios onde a esperança média de vida é elevada, onde se pratica uma alimentação saudável e o exercício físico é uma constante, são exemplos Okinawa (Japão), a ilha Ícara (Grécia) A Acciaroli (Itália).

Pedro Medeiros fala-nos na alimentação orgânica versus alimentação normal; do benefício do jejum, de vários alimentos de forma individualizada enaltecendo os benefícios e alertando para os malefícios, sendo que as especiarias não foram esquecidas!

Estamos perante uma obra bastante completa sobre os alimentos, é daqueles livros que todos devemos ter em casa para ler e consultar. Já o li e várias vezes fui consultar determinados tópicos.

Recomendo não só a quem quer informar-se de como fazer e ter refeições saudáveis, mas também aqueles que acham que já as fazem. Muitas vezes, cometemos erros e nem sabemos.

É de salientar que toda a informação da obra está documentada com as devidas referências bibliográficas! 

Avaliação: 5/5

Documentários...

 Nas últimas semanas tenho visto alguns documentários muito bons!

Qualquer um destes aconselho sem reservas!



Orca, fala-nos de Tilikum, uma orca que matou alguns dos seus treinadores! 
Um animal majestoso que continua aprisionado num parque aquático!

Até quando o Homem vai ter direitos sobre os outros seres da natureza?



SEAPIRACY


Seapiracy mostra-nos a matança que a industria da pesca pratica em alto mar!
Uma autêntica vergonha!




Minimalismo fala-nos da quantidade de coisas que precisamos adquirir/doar para sermos felizes!
Uma sociedade consumista e não satisfeita!

Vale a pena refletir!

Opinião:

Esta obra é um grito ao inconformismo. O inconformismo em relação a uma sociedade retrógrada e aos membros que a compõem em que muitos deles não aceitam a sua própria realidade – homossexualidade.

Richard Zimler, neste livro fala-nos da homossexualidade. A homossexualidade, tal como ela é, sem tabus, sem rodeios, sem meias palavras. É tudo dito de forma limpa e clara. Muitas vezes em tom de revolta (quando nos descreve factos e situações presentes nos nossos dias que simplesmente já não deveriam existir), mas sempre de uma maneira apaixonante!

Publicado originalmente em 1996 no Reino Unido e nos EUA, Insubmissos foi recentemente lançado em Portugal pela Porto Editora. E somente agora, porque Portugal do sec XX não estava preparado para os temas abordados: homossexualidade e SIDA. É de lamentar que volvidos 25 anos, o país continua atrasado em relação aos temas, embora já com algumas mudanças que se vão verificando paulatinamente!

Com sarcasmo e mestria, o autor descreve-nos a atitude de alguns homens portugueses que sendo homossexuais, jamais o admitem, preferindo optar por uma vida dupla, amando e satisfazendo-se em segredo, negando o que são e voltando à vida de fachada, mas perfeita, que a sociedade espera!

Zimler é duro e cru nas suas descrições. Fala-nos da morte que a SIDA trouxe, do preconceito associado, das vítimas incompreendidas por quem as rodeava…

A pág. 84 é repleta de descrições irónicas e deliciosas de se ler sobre o diálogo entre um casal homossexual, quando um deles é português e estão ambos numa situação de interesse mútuo.

As últimas páginas da obra, são um apelo ao amor e à razão, no fundo um alerta àquilo que realmente amamos e damos valor!


“Apercebi-me de que as almas frustradas como o Rui acreditam que as pessoas como eu e o António merecem morrer, não tanto por serem homossexuais, mas por serem livres” pág 352


Liberdade é o que está para além da barreira que muitos não conseguem derrubar... quase sempre está além da zona de conforto... o medo de lutar tolda a visão, o pensamento e assim a felicidade vai sendo adiada! 

Excelente leitura!

Aconselho sem reservas! 


SINOPSE

Depois da morte de muitos dos seus amigos, um professor de guitarra clássica, mundano, judeu e antiga estrela da equipa de basquetebol de Greenwich Village, decide abandonar os Estados Unidos e procurar uma nova vida em Portugal. Mas aquilo a que ele chama o eclipse viral da sexualidade persegue-o até ali, quando António, o seu mais talentoso aluno, testa positivo para VIH e ameaça desistir da vida aos vinte e quatro anos. Desesperado por mostrar ao jovem que ele ainda tem um futuro pela frente, «o Professor» organiza uma viagem de carro com destino a Paris, esperando ser capaz de convencer um virtuoso a aceitá-lo como aluno. O pai de António, um homem rígido e presença distante na sua vida, decide acompanhá-los e, de passagem, os três mergulham num triângulo de aventuras, violência e revelações pessoais. Será que de caminho vão encontrar uma oportunidade de redenção?

Publicado originalmente em 1996, e inédito até agora em Portugal, Insubmissos é um romance vívido e intimista que ousa dar luz a temas que ainda persistem nas sombras.


O livro aqui na wook

Leituras Para Este Ano 2021

 Este ano, estou a pensar em ler maioritariamente livros da estante. Vocês sabem quais não é?? Aqueles que estão há anos à espera de serem lidos. Costumo dizer que não tenho livros por ler... tenho estantes por ler. Enfim, vamos ver se é desta. Assim, em cada opinião, vou referir, se a obra foi comprada, oferecida, emprestada ou da estante... Não é que tenha grande interesse para vocês, mas tem para mim! Será o meu desafio deste ano no âmbito da literatura!




Leituras 2021

 Neste post serão colocadas as leituras/opiniões elaboradas em 2021



Paula

1- Apneia, Tânia Ganho - Comprado
2- Olga, Bernhard Schlink - Oferecido
3- Sahar, A Rapariga do Véu, Susana Teles Margarido - Emprestado
4- Insubmissos, Richard Zimler - Oferecido


APNEIA, Tânia Ganho (Opinião)



 Opinião:

APNEIA de Tânia Ganho fala-nos de divórcio, desentendimentos, desgaste psicológico, lutas constantes e infernais pela guarda dos filhos e incide sobretudo no SOFRIMENTO DAS CRIANÇAS que se vêm dentro desta trama, sem terem pedido para virem ao mundo e muito menos para serem usadas como "joguetes" de brigas entre pais e mães inconscientes que têm como objetivo maior a vingança! 


"Vendo os efeitos devastadores da guerra parental no seu filho, Adriana não tinha dúvidas de que, para Edoardo, mais importante do que ter pai e mãe em tempos iguais era o seu direito a crescer num ambiente sem violência"


Há a salientar que Tânia Ganho, refere nesta obra a GRANDE FALHA DOS TRIBUNAIS no que concerne ao regime de proteção de crianças que se encontram nestas situações. PARA OS TRIBUNAIS A BUROCRACIA ACIMA DE TUDO! As crianças? Estas podem esperar! Quer sejam em instituições, quer estejam a ser maltratadas física ou psicologicamente  ou ainda abusadas! 


"Nos tribunais, a verdade é apenas a verdade possível, truncada, manipulada."


É triste verificar a incoerência da justiça! 

"Justiça"... uma palavra que vai ter de adquirir outra conotação quando usada pelos tribunais.


"Eram uma família. Pai, mãe, filho.

Inviolável aos olhos da lei.

A Tóxica trindade"


Esta obra é uma "bofetada" a um regime que se esqueceu dos direitos das suas crianças e das vitimas de violência!

À Tânia, os meus parabéns pela sua escrita e pelo assunto importantíssimo abordado! Um tema que jamais pode ser "arrumado", que tem de ser falado diariamente, mostrando ao mundo as falhas e injustiças praticadas pelos nossos tribunais todos os dias! É isto que a Tânia tem feito! 

Recomendo!

*Todas as referências foram retiradas da referida obra.

Boas Festas!

 

O blogue 
...viajar pela leitura... 
deseja a todos os visitantes e participantes umas 
Boas Festas!

Ora aqui está mais um livro que muitos de nós vamos querer ler!

 O outro dia coloquei esta foto no meu facebook, para mostrar o novo cantinho de livros da minha casa!

Acho que ficou um mimo!

A ilustração é do Rui Ricardo


 


Uma abadia medieval isolada. Uma comunidade de monges devastada por uma série de crimes. Um frade franciscano que investiga os mistérios de uma biblioteca inacessível.

Numa edição com desenhos e apontamen­tos preparatórios do autor, o romance que revelou o génio narrativo de Umberto Eco: traduzido em 60 países com mais de 50 milhões de exemplares vendidos, O Nome da Rosa ganhou o prémio Strega em 1981 e inspirou um filme e uma série de televi­são com grande êxito internacional.

«Os desenhos e as anotações manus­critas do futuro autor de O Nome da Rosa testemunham o trabalho preparatório mi­nucioso antes da redacção do romance. São a confirmação efectiva do afirmado por Eco em Porquê ‘O Nome da Rosa’? (1983): «para contar uma história há que começar por construir um mundo, tanto quanto possível recheado até aos últimos pormenores». E o que nos conta, ou me­lhor, nos antecipa deste mundo o material aqui reproduzido? Em primeiro lugar a identidade, a fisionomia dos principais protagonistas, com o típico traço veloz e arguto do autor, que justificará a sua invenção ‘para saber que palavras colocar na sua boca’. Depois, alçados e plantas de abadias, cas­telos, labirintos, emanados da mente de um soit disant ‘medievalista em hiberna­ção’, que entretanto se ocupou também de outras coisas.»

Mario Andreose

Blogger Templates by Blog Forum