Stoner, John Williams (opinião)

Opinião:
Este é um livro que muito estimo na minha estante! Todas as vezes que passo por ele penso: "li-te e não fiz opinião, não é justo!" Certamente está na sua sina ser um livro esquecido (como devem ter lido na sinopse) mas não foi por esquecimento que não fiz, foi precisamente por ter adorado esta leitura!
Foi dos melhores livros lidos de 2015! E porquê? Porque fala de um homem e da sua vida de uma forma magnífica! Ele foi uma criança que nasceu num meio sem grandes possibilidades, mas que detém uma inteligência ímpar! Por sugestão de um amigo, que vai falar com o seu pai, não pára os estudos, como era de esperar, e enceta uma longa caminhada pela via do conhecimento e da vida prática! Uma caminhada sofrida, sem luxos, mas cheia de paixão.  Com uma escrita simples e uma história que poderia ser a nossa. Jonh Williams oferece-nos um romance com uma enorme dimensão humana.
Aconselho sem reservas!

Sinopse

Romance publicado em 1965, caído no esquecimento. Tal como o seu autor, John Williams - também ele um obscuro professor americano, de uma obscura universidade. 
Passados quase 50 anos, o mesmo amor à literatura que movia a personagem principal levou a que uma escritora, Anna Gavalda, traduzisse o livro perdido. Outras edições se seguiram, em vários países da Europa. E em 2013, quando os leitores da livraria britânica Waterstones foram chamados a eleger o melhor livro do ano, escolheram uma relíquia. 
Julian Barnes, Ian McEwan, Bret Easton Ellis, entre muitos outros escritores, juntaram-se ao coro e resgataram a obra, repetindo por outras palavras a síntese do jornalista Bryan Appleyard: "É o melhor romance que ninguém leu". Porque é que um romance tão emocionalmente exigente renasce das cinzas e se torna num espontâneo sucesso comercial nas mais diferentes latitudes? A resposta está no livro. Na era da hiper comunicação, Stoner devolve-nos o sentido de intimidade, deixa-nos a sós com aquele homem tristonho, de vida apagada. Fechamos a porta, partilhamos com ele a devoção à literatura, revemo-nos nos seus fracassos; sabendo que todo o desapontamento e solidão são relativos - se tivermos um livro a que nos agarrar.

6 comentários:

    Hoje fiz algo idêntico: lembrei-me d'A Estrada há uns dias, e percebi que ainda não tinha escrito nada sobre ele.

    Já tive 3/4 vezes com esse livro na mão. Acabo sempre por comprar outro mas estou ansioso para o apanhar :)

     

    "A Estrada" é muito bom...

     

    A Estrada é um livro e tanto!!

     

    Adorei o "Stoner". Também foi um dos livros que gostei mais, nos últimos tempos.

    Boa semana:)

     
    On 16 setembro, 2016 Aida Silva disse...

    Foi um dos meus preferidos dos que li em 2015, mas não acho que seja fácil de gostar ou de chegar ao coração de todos.

     

    Aida Silva,
    Sim tens razão!
    Mas quando se gosta, fica não é?
    :)
    Isabel,
    Sem dúvida, um excelente livro!
    :)

     

Blogger Templates by Blog Forum