.
A minha opinião:
.
Esta é uma história que nos fala de Holly Golightly, uma mulher bonita, inteligente cuja liberdade é regra primeira para ser feliz!
.
De malas e bagagens sempre prontas para poder partir, Holly não tem raízes, não tem pousio certo. Há quem a pense ingrata, mas não se trata disto, trata-se de alcançar a felicidade através da liberdade.
.
Ela bem que avisa- não vale a pena levar um animal selvagem para casa, pois quanto mais se sentir aprisionado, mais vontade terá ele de regressar ao seu habitar...
.
Golightly embora "indomável" e impulsiva (pois tanto se prende a algo com sofreguidão imensa como a abandona com a mesma intensidade) é também, carinhosa e sensível.
Estabelece, ela própria, as suas regras, actuando na alta sociedade com a maior destreza não deixando que ninguém lhe dite o que fazer.
.
Com um passado bastante conturbado, somente uma pessoa seria capaz de a fazer permanecer a um só lugar- o seu irmão Fred, por quem nutre um amor incondicional.
.
Numa escrita fluída, Truman Capote relata-nos a vida deste "furacão" que é Holly, as suas amizades, as suas aventuras e principalmente as suas desventuras. Isto porque, Holly é incapaz de encontrar um lugar seu, um espaço que a faça sentir em casa.
.
Sinopse:
.
Holly Golighly é mais do que uma boneca de luxo. Deslumbrante, espirituosa e ternamente vulnerável, inquietando as vidas dos que com ela se cruzam, é retratada por Truman Capote em Breakfast at Tiffany’s (Boneca de Luxo), um romance tocante e singelo sobre a amizade, que constitui uma autêntica história de sedução. Verdadeiro clássico da literatura americana contemporânea, nele se inspirou Blake Edwards para o filme homónimo protagonizado por Audrey Hepburn.
Classificação: 3/7 - Razoável

3 comentários:

    On 18 abril, 2010 Argos disse...

    Olá Paula

    Finalmente voltei!
    Segui o teu conselho, fui ler de novo a Alice e sabes o que aconteceu?
    Perdi-me no labirinto da toca do coelho!
    Finalmente encontrei o caminho de volta mas ainda estou combalido.
    Decididamente Alice e eu somos “incompatíveis”!
    Quanto a este romance, não o conheço nem ao filme…
    Prometo dar uma “olhadela” e depois digo alguma coisa.

    Abraço ;)

     

    Li apenas um livro deste autor, "Travessia de Verão", que gostei, mas mesmo assim Truman Capote ficou naquele patamar de "não sei se voltarei a ler algo mais"...

     

    Interesante punto de vista acerca de la obra.

    En lo referido a la película a mi me encanto Audrey.

     

Blogger Templates by Blog Forum