Neste livro, Rosa Lobato Faria brinda-nos com humor, ironia e um enredo bastante actual cujo jogo de palavras e frases tornam a leitura cativante e bastante viciante.

Este é um romance que nos fala sobre a importância das opções nas nossas vidas.

Teófilo é homossexual e prepara-se para casar com Raquel, mulher que logicamente não ama, tudo será uma grande farsa perante uma sociedade mesquinha que idolatra as aparências, quando na sua maioria, os membros desta mesma sociedade têm "telhados de vidro".

Felizmente, Téo tem coragem suficiente para assumir a sua preferência sexual, mesmo que isto signifique cortar os laços com os seus pais e depois é "um lugar comum dizer-se que determinada orientação sexual não é uma escolha, porque se fosse, ninguém escolheria o caminho mais difícil" *

Desde criança, Téo tem dificuldade em lidar com o seu próprio ser, com o seu "eu", situação esta que faz com que cresça cheio de dúvidas.

Influenciado pelos preconceitos que o rodeiam, a sua sexualidade, ou melhor a sua preferência sexual torna-se um problema monstruoso aos seus olhos. Contudo, após ter-se assumido, percebe que ele próprio estava a alimentar uma situação em que a maioria da sociedade já encara com a maior das naturalidades. E finalmente entende que o que os outros pensam de nós não interessa para nada, interessa apenas o que somos e a nossa felicidade.

Neste romance, adorei a alusão ao Alentejo -.. (que não conheço, mas que um dia tenho de conhecer) os cheiros, os sons, o por do sol, o campo e tudo o que rodeia este "quadro" magnífico.

Gostei muito desta leitura (foi o primeiro que li da autora), todo o livro está excepcionalmente escrito, a linguagem escrita envolve uma sátira sublime que a meu ver dá um toque especial a este romance.

No entanto há algo que gostei menos e não podia deixar de referir, até porque acho que nem prejudica a narrativa, apenas era perfeitamente dispensável uma vez que, na minha opinião, não foi bem explorado. Estou a referir-me a um episódio de rapto de uma criança que foi abordado superficialmente. Ora como as situações descritas anteriormente são de grande qualidade, esta passagem não sendo abordada com a mesma intensidade falha.

Concluindo então, este foi uma leitura que ADOREI e RECOMENDO "oxálida, plátano, milagrã"*
.
* Citações retiradas do referido livro

Classificação: 5/7 - Muito Bom

7 comentários:

    Nunca tinha ouvido falar deste livro mas fiquei interessada. O tema parece bom e acredito que a autora o explore bem.

     

    Tenho mesmo de conhecer a escrita da Rosa Lobato Faria. Já é o terceiro livro em que leio uma excelente opinião! :)

     

    Curiosamente gosto mais dos primeiros livros da autora, os mais recentes não me cativaram tanto, como é o caso deste Alma Trocada. É definitivamente uma autora que se deve ler. A escrita dela é muito bonita e as histórias são, também elas muito originais.

     
    On 10 abril, 2010 Paula disse...

    Ana C. Nunes,
    Acho que é uma história da qual vais gostar :)
    Um abraço

    Tons de Azul,
    Foi o primeiro que li da autora e garanto que não será o último.
    Um abraço

    N. Martins,
    Tenho de me lançar nos livros de Rosa Lobato Faria.
    Um abraço

     

    Olá, Paula!
    Tenho este livro da Rosa Lobato de Faria na estante, já recheado de pó há mais de um ano, à espera de ser lido, juntamente com o outro "O prenúncio das águas" (dizem que este último é um dos melhores)...
    A tua opinião está bastante boa. Este livro será então lido em breve.
    Boas leituras e bom fim-de-semana!
    Beijinhos

     

    Olá eu estou a ler o livro para apresentar numa discilplina chamada literatura e precisava de saber o significado de : "oxálida, plátano, milagrã"* Se me poderem ajudar , agradeço.

     

    Eu já li 6 ou 7 livros de Rosa Lobato Faria, e adorei.
    São historia sempre muito originais e de simples leitura.
    O que mais gostei foi passaro de seda e a trança de Inês.
    Recomdendo vivamente.

     

Blogger Templates by Blog Forum