O TIGRE BRANCO - Aravind Adiga


EXCELENTE livro!

Munna é o nome do personagem principal. Quer dizer, acaba por não ser propriamente o seu nome, porque Munna quer dizer simplesmente “rapaz”. Os seus pais não tiveram a preocupação de lhe dar um nome à nascença. É uma preocupação que não existe na Índia. Quer dizer, na Índia da Escuridão. O nosso personagem principal só adquire um nome quando entra para a escola e, posteriormente, aquando de uma inspecção à mesma atribuem-lhe também uma data de nascimento. Munna passa a chamar-se Balram .


Balram Halwai, esclarece-nos que existem duas Índias: a da Escuridão e a da Luz.
Na Escuridão, as pessoas não têm valor, valem tanto como o chão que pisam ou menos. Na Luz, estas sim, estas vivem bem. Mas para viverem neste estado de graça que é viver bem na Índia, têm de “bajular” e encher os bolsos aos polícias, aos políticos…


Balram conta-nos o percurso desde a sua infância, na Escuridão, até ao seu escritório em Bombaim, onde é um empresário de sucesso (agora na Luz)!
Balram Halwai – O Tigre Branco - revela-se, desde cedo, um homem inconformado com o seu destino de homem da Escuridão e projecta algo maior para a sua vida, mesmo que tenha de agir de acordo com a “política” da Índia.


É através de um relato irónico, que o Tigre Branco faz ao primeiro ministro da China que nos vamos apercebendo de uma forma nua e crua, das injustiças, das atrocidades, da pobreza física e mental, da ausência de valores, da exploração e de toda uma corrupção que nós não fazemos ideia que existe na Índia.


Com este romance, Aravind Adiga, mostra-nos o outro lado da Índia, o seu lado escuro e desumano.

Um livro de leitura obrigatória!

O Tigre Branco provem do tigre comum, mas são muito raros, especialmente no estado selvagem. Por vezes, surge um em cada geração. Balram Halwai, foi considerado O Tigre Branco.
.
Classificação: 6/6 - Excelente

13 comentários:

    Andava com este livro debaixo de olho, agora tornou-se uma prioridade...

     

    Bom dia minha querida,
    passei em busca do selinho, mas não o achei!rsrs
    Mas nunca é viagem perdida por aqui não é mesmo? Afinal sempre tem boas dicas de livros e as músicas são belíssimas!
    Um beijo enorme e um dia maravilhoso pra ti minha querida!

     
    On 23 julho, 2009 Jojo disse...

    Olá!
    Este já está na minha lista de livros a ler... Mas depois de ler o teu comentário passou para o princípio da lista.

     

    Obrigada pelo selo minha querida,
    logo irei publicar ok?
    Um beijo imenso amiga!

     
    On 23 julho, 2009 Marta disse...

    Aqui esta um livrinho que não tinha intenção de adquirir. Mas, depois de ler a tua resenha, já vai para a lista de novas aquisições.
    Boas leituras
    Beijinho

     
    On 23 julho, 2009 Paula disse...

    Jacqueline's, Jojo e Marta,
    Olá,
    é um livro que vale a pena ler, tem uma escrita fluida ecom muita informação de uma Índia diferente daquela que conhemos das revistas :) Um excelente livro!
    Abraços

    Serena,
    Abraços Serena ;)

     

    Querida amiga,
    Eu acho que tudo o que nos abre os olhos é válido. E este livro, a julgar pelas tuas palavras, cumpre beme ste papel de convidar à reflexão. Há tantas culturas no mundo que compreendemos tão pouco!
    Bem, lendo tuas observações, não tive como não lembrar do que vi com meus próprios olhos. Sim, já estive lá, e a Índia tem mesmo coisas belas e outras chocantes. É um país que mexe com os sentidos. E, às vezes, apavora:
    http://cartas.edutrindade.com/2008/09/os-olhos-da-india.html
    Abraços!

     
    On 24 julho, 2009 Renata disse...

    Não conhecia o livro, mais me interessei bastante..bj

     

    Ola.. Esse livro é muito bem falado, ja queria ler, e lendo seu texto sobre ele, me despertou o interesse!
    Eu te escolhi para um selinho ta, se quiser pega no meu blog.. Tem seu blog la nos indicados. BJsss

     

    Eu achei esse livro muito bom, mostra uma face bem desconhecida da Índia. O autor tem um jeito peculiar de escrever, irônico.
    E fiquei muito feliz de conhecer esse blog, dica que me foi passada por uma amiga. Vou colocá-lo nos meus favoritos.

     
    On 24 julho, 2009 Tita disse...

    Acreditas q já estive com este livro na mão tanta vezes, mas acabo sempre por trazer outro(os)
    Depois de ler a tua opinião, mais convencida fiquei... tenho mesmo que o comprar =)

     

    Todo o autor que se proponha a escrever ficção, num acto de reflexão sobre a sociedade que o gerou é sempre de salientar, principalmente quando essa reflexão tem uma vertente denunciadora sobre as desigualdades gritantes de que essa mesma sociedade está enferma.
    Mas, o livro que propõe, é daqueles livros que eu lerei apenas e só quando perceber muito bem o que se passa na minha própria sociedade, quando for capaz de entender, na sua total plenitude, o porquê das escuridões do nosso Portugal, que também as temos.

    O seu blogue é um hino á palavra escrita e lida.
    Cumprimentos

     
    On 25 julho, 2009 Paula disse...

    Dayane Pereira,
    Obrigado, vou passar lá para ir recolher o selo :)

    Abriendo puertas y ventanas,
    Obrigado :)

    Renata e Tita,
    É uma leitura que eu aconselho e à qual não ficamos indiferentes. ;)

    Poeta do Penedo,
    Tem razão poeta! O nosso Portugal também tem muito de escuro, acho que todas as sociedades têm. Apesar de que em alguns casos, essa "escuridão" ser mais ou menos gritante.

    Abraços a todos ;)

     

Blogger Templates by Blog Forum