Quando este livro foi editado não me interessei em comprar e até manifestei algum espanto por ter ocupado durante várias semanas o top Bertrand. E isto tudo porquê? Porque deixei-me levar pelo preconceito em relação primeiro livro da tão conhecida figura pública Júlia Pinheiro.
Contudo e após ler em dois blogues, nomeadamente no NLivros e no Bookshelf da Betita dois excelentes comentários decidi arriscar a leitura e ADOREI!
.
O Livro conta a história de quatro gerações de mullheres portuguesas no período entre 1930-1974.
Numa linguagem simples e extremamente cativante, com uma pitada de ironia e humor, integramos a vida de Maria da Glória (personagem principal da história) a rapariga mais bonita e cobiçada de São Pedro da Beira que trabalha na taberna do seu pai.
Órfã de mãe à nascença, o pai dá-lhe uma educação isenta de amor.
.
“Em 1930, São Pedro da Beira era uma aldeia com meia dúzia de ruas, rodeadas de Baldio (…) nada prosperava ali a não ser a miséria e a fortuna robusta da família Mendonça”. Maria da glória odeia esta miséria entranhada naquela terra e naquele povo.
Abomina a taberna do pai, o cheiro da bebida e os olhares “gulosos” dos clientes brutos e sujos que depois de um dia de trabalho têm a tasca do pai por destino.
.
António Mendonça, o homem mais cobiçado do sítio, não só pelo seu porte robusto, mas principalmente pela sua riqueza marca um encontro com Maria da Glória, tendo por único objectivo desfrutar dos prazeres da carne. Ela aceita, não por amor, mas porque vê no horizonte uma oportunidade de sair da vida que leva até então.
Toda a narrativa é fortemente marcada pelos acontecimentos daquele encontro.
.
Através das suas personagens, nomeadamente as quatro mulheres que representam as quatro gerações distintas, Júlia Pinheiro vai dando a conhecer as mentalidades de um país em mutação.
.
É sem dúvida um livro que aconselho!!

Classificação: 5/7 – Muito Bom

7 comentários:

    On 09 julho, 2010 Iceman disse...

    Olá Paula!
    Eu reforço o que referi na opinião, é um livro magnífico.

     
    On 09 julho, 2010 Paula disse...

    Iceman,
    Sem dúvida que sim :)

    Uma escrita que nos prende, aliás é impossível ficar indiferente ao primeiro parágrafo que acaba por prender o leitor até à ultima página.

     
    On 10 julho, 2010 Manuela disse...

    Paula, comprei este livro para oferecer à minha mãe (ela não gosta de livros passados no estrangeiro e com nomes estrangeiros, como ela, de cima dos seus 80 anos, diz) e ela leu-o em 3 dias e adorou. Fiquei curiosa e qual não foi o meu espanto, quando o li num fôlego e gostei. Existe outro livro da Júlia Pinheiro?

     
    On 10 julho, 2010 Betita disse...

    Olá Paula :)
    Ainda bem que gostaste, vamos ver se em breve ela nos brinda com outro livrito...
    Beijocas

     

    Estou pasmado...
    não sei se é preconceito mas nunca imaginei... vou ler!
    Mas também te digo, Paula, se não gostar, venho aqui pedir a devolução do dinheiro :):):)
    Estou a brincar... se não gostar ofereço-o a alguém :):):)

     
    On 12 julho, 2010 Amizade disse...

    Olá Paula

    Tens um "miminho" para ti no nosso Farol.

    Beijinhos

     
    On 12 julho, 2010 Paula disse...

    Manuela,
    Olá,
    Eu acho que a Júlia Pinheiro ainda não tem um novo livro :)
    Abraço

    Betita,
    Sim, se escrever mais um livro vou ler de certeza.
    :)

    Manuel Cardoso,
    Eu acho que vais gostar...

    Amizade,
    Muito obrigado :D

     

Blogger Templates by Blog Forum