“Um homem desconhecido tenta salvar da morte um suicida. De seguida, espalha a mensagem que a sociedade moderna se tornou num manicómio global. O seu discurso fresco e irreverente conquista as pessoas, habituadas a frases feitas e ao “politicamente correcto”, ao mesmo tempo que as assusta. O que pensar de um estranho com ar de pedinte que fala da importância de vender sonhos ao ser humano? Uma ideia maravilhosa, mas invulgar...Numa época em que nos habituamos ao ritmo e às exigências desmesuradas de um relógio que não pára. Libertarmo-nos das grilhetas da rotina e recuperarmos a consciência do que é, de facto, importante nesta vida pode ser assustador. Mas é fundamental!

Ao longo deste romance poderá seguir os passos de um Vendedor de Sonhos, uma personagem fascinante que nos deixa na dúvida se trata de um sábio ou do mais louco dos seres?! Uma história que lhe fará chorar, rir e, certamente, mudar a sua vida."

O que eu achei:

O livro começa, como a própria sinopse refere, com um indivíduo que se tenta suicidar saltando de um edifício. A dada altura chega uma figura que se senta perto dele e começa a colocar-lhe questões pertinentes sobre o seu ser. Questões que nunca havia reflectido, questões que lhe fazem querer agarrar novamente a vida, querer recuperar, querer viver…
Ao longo do livro, este estranho - Vendedor de Sonhos - realiza um chamamento a alguns indivíduos da sociedade. Assim formam um grupo heterogéneo que despojados de tudo o que é material vão viver aventuras inesquecíveis e aprender que A VIDA PODE SER DIFERENTE DAQUELA QUE FAZEMOS QUESTÃO DE CONSTRUIR AO NOSSO REDOR.

Quando iniciei a leitura comecei a identificar frases já lidas em outros livros, comecei a pensar…porquê? Para quê??...
Depois, conclui que Augusto Cury deveria ter algum propósito para tal. A repetição faz relembrar, não esquecer, insistir… Pois como ele próprio refere mais do que vender um livro, uma história, os seus livros têm um objectivo: que o leitor reflicta. Dei por mim a fazê-lo, uma vez mais, sobre a minha própria vida e tudo o que me rodeia.
Um livro de uma leitura fluída e agradável. Foi muito bom e gratificante rever, uma vez mais, os seus conceitos.
Os seus livros são indispensáveis à mesa-de-cabeceira. Ler/reler Cury muda a nossa vida, o nosso olhar, as nossas atitudes, não só para connosco, mas também para com os outros.

Augusto Cury, é um psiquiatra, psicoterapeuta, investigador na área de psicologia e escritor que estou certa, já mudou a vida de muitas pessoas!

Classificação: 5/6 Muito Bom

19 comentários:

    On 02 agosto, 2009 Betita disse...

    Ola Paula!
    Este é mais um livro que está "esquecido" na minha pilha de livros para ler... Vamos ver quando lhe consigo pegar :P mas com a tua critica fiquei com vontade de o ler!
    Fico a aguardar o teu coméntário sobre "O Pacto" da Jodie Picoult ;)
    Beijos e boa leitura

     

    Oi Paula!
    tem bastante gente elogiando Augusto Cury aqui na blogosfera. Não é o meu tipo de leitura....tenho um pé atrás com livros do tipo "auto-ajuda", mas talvez seja hora de rever meus conceitos, não é?
    Bj :)

     
    On 02 agosto, 2009 Diana disse...

    Já tinha ouvido falar no livro, mas ainda não me tinha dado ao trabalho de ler sobre ele.
    A sinopse e a tua crítica despertaram-me alguma curiosidade... Acho que vou acrescentar este livro à minha lista!

     
    On 02 agosto, 2009 Jojo disse...

    Olá!

    Ainda não li este de August Cury mas li A Ditadura da Beleza e gostei. Na minha lista está A Saga de Um Pensador e O Vendedor de Sonhos. Tens razão ler Cury muda a nossa vida.

    Bjinhos e boas leituras!

     
    On 03 agosto, 2009 Renata disse...

    Já li este livro e também gostei bastante....não cuto livro de alto ajuda, mas esse faz isso de uma maneira mais discreta.Gostei bastante

    BJ

     
    On 03 agosto, 2009 Anita disse...

    Que bom que gostou, uma boa leitura é muito importante, renova nossos conhecimentos.

    Bjs e boa semana.

     
    On 03 agosto, 2009 Marta disse...

    Olá Paula

    Nunca li nada de Cury, mas acho que chegou a hora!! Mais um para a listinha.
    Beijinho e boa leitura (aguardo o cpmentario do "Pacto").

     
    On 03 agosto, 2009 Iceman disse...

    Por acaso neste fim-de-semana, em conversa com a pessoa que me deu a conhecer Cury e que já leu alguns livros dele, comentava esse facto de ele repetir nos seus livros muitas das mensagens.

    E concluímos que é propositado.

    A ideia é induzir, insistir, tornar a falar para que essa(s) mensagem(s) não seja esquecida, pois só através da insistência tomamos o que ele diz como uma verdade da nossa vida.

    Não sei se me fiz entender.

    Mas eu acredito nisso, até porque eu utilizo muito uma frase que li na "saga" e que, penso, ele repete no "vendedor": Brinca com a vida, se não brincares ela zangar-se-à contigo.

     

    Olá!...

    Também tenho andado nas rotas do "Vendedor de sonhos". Leio e vou voltando atrás, sempre que reabro o livro na última página que li. Vou lendo e vou bebendo as mensagens de Cury, que em linguagem simples, me faz sentir que as ilhas de sonho, a beleza do mundo começa pela busca da beleza que há dentro de nós. Uma luta que requer persistência, sacrifícios, escolhas, despojamento, em nome dos nossos sonhos. Algum dia lá havemos de chegar. Ao ler Cury, diria que pela simplicidade das palavras também sonhamos e vamos.

    Contagiada pelo sonhador, envio abraços de estrelas para todos os que desacreditaram de sonhar e para os que ainda acreditam nos sonhos que nos tornam mais pessoas.

     

    Agusto Cury pra mim é essencial...

     
    On 03 agosto, 2009 Paula disse...

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
    On 03 agosto, 2009 Paula disse...

    Betita, La Sorcière, Diana e Marta,
    Olá, estou certa de que se lerem não vão ficar indiferentes aos seus livros :)

    Jojo,
    Para mim "A Saga de um Pensador" é o seu melhor livro, embora todos os outros sejam bons também!

    Renata e Mariane,
    Os livros de Augusto Cury são auto ajuda, mas ele aborda o tema de forma singular!
    Essenciais para a vida, para a nossa reflexão...

    Iceman,
    Sim Iceman, entendo. Ao caminhar para o fim da leitura, também cheguei a essa conclusão. De que a repetição das frases e dos conceitos têm por objectivo lembrar e relembrar, para que nós leitores não esqueçamos o essencial na nossa vida.

    Margarida Graça,
    Um livro a ter connosco ;)

    Anita,
    Augusto Cury renova e relembra :)

    Abraços a todos!

     

    No mundo actual é óptimo que exista alguém que nos faça despertar para a realidade espiritual e nos ajude à introspecção, que muitos de nós há muito não fazemos. De quanto dela carece a humanidade.

     
    On 03 agosto, 2009 Paula disse...

    Poeta,
    Não sei se já leu Cury. Os seus livros são simples e simplesmente fantásticos. Se "arriscar" ler algum, aconselho "A Saga de Um Pensado" garanto que vai gostar!
    Um abraço :)

     
    On 04 agosto, 2009 Renata disse...

    olá!!

    passei para dizer que deixei um selinho para você...passa lá para pegar.

    BJ

     

    Paula
    nunca li Cury. Na realidade, a vida é uma contínua aprendizagem, pois muito embora tenha já lido muitos autores, aqui tenho descoberto muitos mais. Irei seguir a sua indicação.
    Cumprimentos.

     

    Tenho ali este livro para ler, mas ainda não me deu muito para pegar nele. Sei das qualidades da sua escrita, mas acho que temos que ter uma certa predisposição para ler os livros dele.

     

    Morrighan,
    Augusto Cury, é um dos meus escritores preferidos:)
    Já leste "A Saga de um Pensador", é excelente, o meu preferido.

     
    On 07 junho, 2010 peacefulgirl disse...

    olá .. recomendo Cury sem pensar duas vezes.
    O 1º livro que li foi "o vendedor de sonhos" fiquei apaixonada pela maneiro como Cury trata originalmente e inteligentemente todas as suas ideias e ideais de vida, usa vocabulário bastante simples, consegue captar bem a atençao do leitor, consegue-nos fazer rir, chorar, intrigar =D, questiona fazendo-nos pensar e não diz simplesmente as suas posições perante os factos, nao sei se me fiz entender .. mas o que quero dizer, é que ele apenas nos apresenta conceitos e problemas sociais, deixando-os em aberto, ou seja, nós é que concluimos, obtendo as nossas ideias e provavelmente também ideais de vida. O que é bastante invulgar hoje em dia!
    Depois do 1º livro que li dele, já li mais 2.. a "saga de um pensador" igualmente bom, mas mais saturado em história, e "o codigo da inteligencia".
    Já há poucas pessoas com estas capacidades de racionalização.

     

Blogger Templates by Blog Forum