DEZANOVE MINUTOS - Jodi Picoult

“Em Sterling, New Hampshire, Peter Houghton, um estudante de liceu com dezassete anos, suportou anos de abuso verbal e físico por parte dos colegas. A sua amiga, Josie Cormier, sucumbiu à pressão dos colegas e agora dá-se com os grupos mais populares que muitas vezes instigam o assédio. Um incidente de perseguição é a gota de água para Peter, levando-o a cometer um acto de violência que mudará para sempre a vida dos residentes de Sterling.”

O que eu achei:

Este é mais um dos romances de Picoult que vale a pena ler!
Trata de situações presentes no nosso dia a dia e de como lidámos com elas ou de como agimos perante a sociedade.
Como cidadãos, muitas vezes, agimos de acordo com as “regras” da sociedade para sermos aceites ou bem vistos perante esta !!
Picoult dá-nos exemplos expondo várias personagens:
A mãe de Josie, a Juíza Cormier que praticamente perdeu a oportunidade de partilhar a juventude da sua filha, a qual mal conhecia os seus sentimentos e acções. Tudo porque importava apenas ser bem vista pela sociedade, importava ter sucesso na carreira e, realmente, consegue conquistar tudo isso, mas a sua filha passa para segundo plano!
Josie, é outra das personagens que age em função do que os outros esperam, nomeadamente os colegas e o próprio namorado. Mas Josie tem consciência que estas acções estão erradas e no final consegue mudar a sua atitude mesmo não sendo da melhor forma;
Peter, o personagem principal, é um aluno que foi agredido verbalmente durante anos. Desde o jardim de infância em que os colegas faziam troça dele. Não tinha amigos e a sua única amiga abandona-o para se juntar ao grupo dos “populares”…
As agressões consistiam em atirar o almoço ao chão, baixarem-lhe as calças na cantina, chamarem-lhe nomes, darem-lhe socos…
Peter, todos os dias a caminho da escola rezava para que ninguém reparasse nele!
Uma história triste e que infelizmente existe nas nossas escolas.
Mais uma vez Jodi põe-nos a pensar com este romance!

Deixo um excerto de que gostei particularmente:

“Quando era pequeno costumava por sal em cima das lesmas. Gostava de vê-las dissolverem-se diante dos meus olhos. A crueldade é sempre um pouco divertida até nos apercebermos de que estamos a magoar alguém.
Uma coisa é sermos um totó quando ninguém nos presta atenção, mas na escola isto significa que nos procuram intensivamente. Somos a lesma e eles têm o sal na mão. E não possuem consciência.
Há uma palavra que aprendemos em estudos sociais: Sadismo. É quando gostamos de ver alguém sofrer. No entanto, a verdadeira questão é porquê?
Acho que em parte se trata apenas de instinto de sobrevivência. E em parte porque um grupo fica mais coeso quando se junta contra um inimigo. Não importa que esse inimigo nunca tenha feito nada para nos prejudicar – Temos apenas que fingir que detestamos alguém ainda mais do que nos detestamos a nós próprios (…)”
Classificação: 4/6 - Bom

14 comentários:

    Também gostei muito deste livro e acho que devia ser lido por muito boa gente! De facto, faz-nos pensar que não existe certo nem errado e que devemos sempre tentar ver todos os lados dos problemas.

    PS: Uma dúvida... a tua classificação é 4 numa escala máxima de quanto?

     
    On 01 junho, 2009 Paula disse...

    Olá Canochinha, a minha classificaçãi é 4 (bom) numa escala de 1 a 6
    Abraço ;)

     

    Ok, obrigado pelo esclarecimento :)

     

    Olá Paula,

    pela primeira vez não desliguei o som de um blogue enquanto o leio. Adorei!

     
    On 01 junho, 2009 Paula disse...

    Olá Homem do Leme!
    Obrigado:)
    Adoro Emma Shapplin, é magnífica!!!

     
    On 02 junho, 2009 Marta disse...

    olá...
    parece-me sem duvida um excelente livro...:)
    ja à algum tempo que ando a tentar ler alguma coisa desta autora.. vou ver se começo por este...:)

     
    On 03 junho, 2009 bauny disse...

    Tenho dificuldade em escolher um livro desta autora, mas acho que este foi o melhor que li!! Adorei!! E é mesmo o que disseste 'Deixa-nos a pensar!!' Bjs e Boas Leituras!

     
    On 03 junho, 2009 Argos disse...

    Olá!

    Este li de uma assentada!
    Um livro perturbador porque…nos faz sentir “responsáveis”.
    Recomendo a todos os pais e educadores.

    Abraço

     

    Paulinha. Mil perdões pela ausência mas, caso tenhas passado pelo meu blog verás que não tenho postado o que quer que seja. É o tempo que não chega para tudo. Estou agora a revisitar os velhos amigos, por isso, aqui me tens. Começo por te felicitar pelo novo template. É muito bonito.
    Relativamente ao livro deste-me uma óptima sugestão para a leitura de férias. Parto este fim-de-semana. Mais uma ausência!
    Abraço grande.

     
    On 08 junho, 2009 flicka disse...

    Geralmente, os livros da Jodi nos fazem pensar, são bastante bons. Este ainda não o li mas tenho emprestado à espera de ser lido. Posso saber porque deu um 4 na escala de classificação? :)

     
    On 08 junho, 2009 Paula disse...

    Olá Flicka, dei um 4 numa escala de 1 a 6 porque dentro da classificação que atribuo considero um livro Bom.

    Abraços

     
    On 08 junho, 2009 Paula disse...

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
    On 13 outubro, 2009 Anónimo disse...

    Boa noite,
    não sei se ainda vou a tempo, mas tenho uma duvida sobre o livro e penso que me poderia ajudar. :)

     
    On 13 outubro, 2009 Paula disse...

    Anónimo,
    Olá, tenho todo o gosto em ajudar, desde que eu saiba a resposta à sua dúvida :) Contudo, terá de colocar a questão :)
    De qualquer forma, se preferir pode ainda escrever para o mail do blogue
    viajarpelaleitura@gmail.com

    Cumprimentos

     

Blogger Templates by Blog Forum